Inclusão Educacional: uma Análise da Pespectiva de Ensino em Libras

Armênia Silvia Silva Araújo, Aline Cássia Silva Araújo

Resumo


O objetivo desta obra foi buscar, analisar e descrever a inclusão educacional e suas pespectivas de ensino em Libras. Para a investigação e análise, foram realizadas leituras de artigos científicos, monografias, dissertações e teses, em Programas de Graduação e Pós-Graduação em Pedagogia, Letras e Libras, com embase temporal entre 1994 a 2017. Após a investigação da revisão de literatura, conclui-se que as conquistas na educação inclusiva foram baseadas em meio a preconceitos e lutas. Destaca-se como um dos principais documentos da educação inclusiva, a Declaração de Salamanca. No Brasil, esse documento serviu como embasamento para melhorias na educação inclusiva, assim como, uma amparato de leis que legislam sobre a educação inclusiva. Dentre essas leis, ressalta-se a criação da Lei nº 10.436, de 24 de Abril de 2002, que reconhe a LIBRAS como a língua oficial utilizada pelas comunidades Surdas e considerada como um marco para educação de surdos. Por meio dessa Lei e outras, que foi estabelecido à obrigação da disciplina de Libras na base curricular dos cursos de licenciatura em Pedagogia, Letras, Fonoaudiologia e outros. Isso permite que sejam formados professores com capacitação em Libras, porém, mesmo com esse avanço, são poucos os cursos de graduação e pós-graduação com capacitação em libras.

 

 


Palavras-chave


educação inclusiva, Libras, formação de professores em Libras

Texto completo:

PDF

Referências


AMORIM, E.B.O.S.; OLIVEIRA, G.F. Dislexia em Perspectiva: Contribuições da Psicopedagogia e da psicologia. Id on Line Revista Multidisciplinar e de Psicologia, Set-Out de 2016, vol.10, n.31, Supl 2, p. 135-146. ISSN 1981-1179.

BAPTISTA, C. R. Inclusão e escolarização: múltiplas perspectivas. Porto Alegre: Mediação, 2007.

BEYER, H. O. Inclusão e avaliação na escola: de alunos com necessidades educacionais especiais. Porto Alegre: Mediação, 2006.

BRASIL. Decreto nº 5.626, de 22 de Dezembro de 2005. Regulamenta a Lei nº 10.436, de 24 de abril de 2002, que dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais e o art. 18 da Lei nº 10.098, de 19 de dezembro de 2000. Diário Oficial da União, Brasília, 23 abr. 2005.

BRASIL. Lei nº 10.436, de 24 de Abril de 2002. Dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais - Libras e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, 24 abr. 2002.

BRASIL. Presidência da República. Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos - Decreto nº 5.626, de 22 de dezembro de 2005. Regulamenta a Lei no 10.436, de 24 de abril de 2002, que dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais - Libras, e o art. 18 da Lei no 10.098, de 19 de dezembro de 2000.

BRASIL. CONSTITUIÇÃO (1988). Constituição da República Federativa do Brasil de 5 de outubro de 1988. 5. ed. São Paulo: Atlas, 1994.

COUTO, L. F.; RUBIO, J. A. S. Libras: uma análise histórica na perspectiva da educação inclusiva. Revista Eletrônica Saberes da Educação, vol. 5, n. 1, 2014.

E-MEC. Cadastro e-MEC de Instituições e Cursos de Educação Superior. Disponível em: Acesso em: 09 de agos. 2017.

GARBE, D. S. Acessibilidade às pessoas com deficiência física e a convenção internacional de Nova Iorque. Revista Unifebe, Balneário Camboriú, v.10, p. 95-104, 2012.

GIROTO, C. R. M.; MARTINS, S. E. S. de O.; LIMA, J. M. R. de. Formação de professores e inserção da disciplina Libras no Ensino Superior: perspectivas atuais. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, v. 2, p. 741-758, 2015.

LODI A.C.B. Plurilinguismo e surdez: uma leitura bakhtiniana da educação de surdos. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 31, n 3, p. 409-424, 2005.

MAZZOTTA, M. J. S. Educação especial no Brasil: história e políticas públicas. 4. ed. São Paulo: Cortez, 2003.

LOPES, E.S.; OLIVEIRA, G.F. Por uma Pedagogia Inclusiva. Id on Line Revista Multidisciplinar e de Psicologia, Janeiro de 2017, vol.10, n.33, Supl 2. p. 294-303. ISSN: 1981-1179.

MENDES, E. G. Construindo um “lócus” de pesquisas sobre inclusão escolar. In: MENDES, E.G; ALMEIDA, M. A; WILLIAMS, L. C. de. Temas em educação especial: avanços recentes. São Carlos: EdUFSCAR, pp.221-230, 2004.

OLIVEIRA, Gislene Farias.. Por uma educação transdisciplinar. Id on Line Revista de Psicologia, Novembro de 2013, vol.1, n.21, p. 07-09. ISSN 1981-1189.

PORTAL BRASIL. Apesar de avanços, surdos ainda enfrentam barreiras de acessibilidade. Disponível em: . Acesso em: 08 ago. 2017.

RIBEIRO, M. C. M. A. A escrita de si: Discursos sobre o ser surdo e a surdez. 178 f. Dissertação apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Estudos Lingüísticos da Faculdade de Letras da Universidade Federal de Minas Gerais, 2008.

ROCHA, S. M. Antíteses, díades, dicotomias no jogo entre memória e apagamento presentes nas narrativas da história da educação de surdos: um olhar para o Instituto Nacional de Educação de Surdos (1856/1961). Tese (Doutorado em Educação) – Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2009.

SANTIAGO, M.; AKKARI, A., MARQUES, L. P. Os caminhos do Interculturalismo no Brasil. In: Educação Intercultural: desafios e possibilidades. Petrópolis: Ed. Vozes, p. 15-33, 2013.

SOUZA, Regina Maria de; SILVESTRE, Nuria. Educação de surdos: São Paulo: Summus, 2007.

REIS, A. A.; MOTA, P. M.; JESUS, D. M. Lei brasileira de inclusão nº 13.146/2015: do direito à educação. X Encontro internacional de formação de professores, 2016.

STROBEL, K. L. As imagens do outro sobre a cultura surda. 1 ed. Florianopólis:

Editora UFSC, 2008. v. 1, p 118.




DOI: https://doi.org/10.14295/idonline.v11i38.885

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Armênia Silvia Silva Araújo, Aline Cássia Silva Araújo

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

A Id on Line (ISSN: 1981-1179) é indexada nas seguintes bases de dados: