O Comportamento Empreendedor no Ensino Profissional e Tecnológico / Entrepreneurial Behavior in Vocational and Technological Education

Cristiane Krüger, Jéssica da Silva Maciel, Italo Fernando Minello, Camila Coletto

Resumo


Neste estudo objetivou-se analisar o comportamento empreendedor e a intenção empreendedora de alunos de graduação dos cursos de Matemática e Ciências Biológicas de um IFE. A metodologia é quantitativa, descritiva e utilizou-se de questionários para a coleta de dados. Os instrumentos são validados e correspondem ao Questionário de Intenção Empreendedora (LIÑAN, CHEN, 2009) e o de Características Comportamentais Empreendedoras (MANSFIELD et al, 1987;). Por meio de estatística descritiva, conclui-se que os discentes apresentam as dez características comportamentais empreendedoras, no entanto, estas podem ser aprimoradas. Quanto à intenção empreendedora, os alunos pesquisados apresentam baixa pretensão de empreender. Os alunos, apesar de inseridos em um IFE, desconhecem, em sua maioria, experiências empreendedoras por meio de disciplinas relacionadas. Além disso, curiosamente, os alunos com experiência profissional apresentaram menor intenção empreendedora frente aos sem tal experiência.


Palavras-chave


Educação empreendedora, Ensino profissional e tecnológica, IFFJC

Texto completo:

PDF

Referências


AJZEN, I. The theory of planned behavior. Organizational behavior and human decision processes, v. 50, n. 2, p. 179-211, 1991.

BARON, R. A. OB and Entrepreneurship: The reciprocal benefits of closer conceptual links. Em B. M. Staw & R. M. Kramer (Eds.), Research in Organizational Behavior - An annual series of analytical essays and critical reviews (vol. 24, pp. 225-270). Oxford: Elsevier Science, 2002.

BARON, R. J.; SHANE, S. A. Empreendedorismo: Uma visão do Processo. São Paulo: Thomson Learning, 2007.

BRASIL. LEI Nº 11.892, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2008. Institui a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, cria os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia, e dá outras providências. Disponível em: . Acesso em: 20 abr 2018.

COLLIS, J.; HUSSEY, R. Pesquisa em administração: um guia prático para alunos de graduação e pós-graduação. Bookman, 2005.

DINIS, A.; PAÇO, A.; FERREIRA, J.; RAPOSO, M.; GOUVEIRA, R. R. Psychological characteristics and entrepreneurial intentions among secondary students. Education + Training. v. 55, n 8/9, p. 763–780, 2013.

FAYOLLE, A.; LINAN, F. The future of research on entrepreneurial intentions. J. Bus. Res. 67, 663–666, 2014.

FONSECA, J. S.; MARTINS, G. A. Curso de estatística. 6. ed. São Paulo: Atlas, 1996.

GARCIA, R.; ARAÚJO, V.; MASCARINI, S.; SILVA, A. O.; ASCÚA, R. Empreendedorismo acadêmico no Brasil: uma avaliação á criação de empresas por estudantes universitários. Revista de Empreendedorismo e Gestão de Pequenas Empresas. V.1, n.3, 2012.

GREATTI, L.; SENHORINI, V. M. Empreendedorismo - uma visão Comportamentalista. In: I EGEPE, 2000, Maringá. V Encontro de Estudos sobre Empreendedorismo e Gestão de Pequenas Empresas. Maringá: PPA - Programa de Pós-Graduação em Administração, 2000. v. 1. p. 22-34.

KRUEGER, N. F. JR.; REILLY, M. D.; CARSRUD, A. L. Competing models of entrepreneurial intentions, Journal of Business Venturing, v. 15, n. 5, p. 411–432, 2000.

LIÑÁN, F.; CHEN, Y. W. Development and Cross‐Cultural application of a specific instrument to measure entrepreneurial intentions. Entrepreneurship theory and practice, 33(3), 593-617, 2009.

LOPES, L. F. D. Métodos Quantitativos. 1ª ed. UFSM. 2016.

MANAGEMENT SYSTEMS INTERNATIONAL (MSI). Entrepreneurship training and the strengthening of entrepreneurial performance. Final Report. Submetido por Robert Young, Washington, 1990.

MANSFIELD, R. S.; MCCLELLAND, D. C.; SPENCER, J. L. M.; SANTIAGO, J. The identification and assessment of competencies and other personal characteristics of entrepreneurs in developing countries. Final report. McBer and Compay. Massachusetts, 1987.

MATTHIENSEN, A. Uso do Coeficiente Alfa de Cronbach em Avaliações por Questionários. EMBRAPA Boa Vista, RR, 2011.

MCCLELLAND, D. C. The achievement society. Princeton: D. Van Nostrand Co. 1961.

MCCLELLAND, D. C. A sociedade competitiva: realização & progresso social. Rio de Janeiro: Expressão e Cultura, 1972.

MINELLO, I. F. Resiliência e insucesso empresarial: o comportamento do empreendedor. Curitiba: Appris, 2014.

MINUZZI, C. D. O.; VARGAS, K. S.; FIALHO, C. B. Características comportamentais empreendedoras: em cena os futuros administradores. Revista de Empreendedorismo e Gestão de Pequenas Empresas, v.5, n.1, 2016.

MORALES, J. F.; REBOLLOSO, E.; MOYA, M. Actitudes. Em J. F. Morales (Ed.), Psicología Social (pp. 495-621). Madrid, España: McGraw- Hill, 1994.

OLIVEIRA, B. M. D. F.; VIEIRA, D. A.; LAGUÍA, A.; MORIANO, J. A.; SALAZAR SOARES, V. J. Intenção empreendedora em estudantes universitários: adaptação e validação de uma escala (QIE). Avaliação Psicológica, 15(2), 187-196, 2016.

PALMA, L. C.; ALVES, N. B.; SILVA, T. N. Educação para a sustentabilidade: a construção de caminhos no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul (IFRS). Revista de Administração Mackenzie, v. 14, n. 3, p. 83-118, 2013.

PEREIRA, R. L. A. As competências do educador na difusão da cultura empreendedora: uma análise no ensino fundamental e superior de Belo Horizonte. 124 f. Dissertação (Mestrado Profissional em Administração) FIPEL - Fundação Cultural Dr. Pedro Leopoldo - Faculdades Integradas de Pedro Leopoldo, 2010.

RAUCH, A.J.; HULSINK, W. Putting entrepreneurship education where the intention to act lies. An Investigation into the Impact of Entrepreneurship Education on Entrepreneurial Behaviour, Academy of Management Learning & Education. 2015.

SAMPIERI, R. H.; COLLADO, C. F.; LUCIO, M. P. B. Metodologia de Pesquisa. 5. ed. Porto Alegre: Penso, 2013.

SCHAEFER, R. Educação Empreendedora: a Mentalidade e o Comportamento Empreendedor em Alunos de Graduação. Tese (Doutorado em Administração). Programa de Pós-Graduação em Administração, Universidade Federal de Santa Maria, 2018.

SCHLAEGEL, C.; KOENIG, M. Determinants of entrepreneurial intent: a meta-analytic test and integration of competing models. Enterp. Theory Pract. 38, 291–332, 2014.

SETEC/MEC – Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica/Ministério da Educação. Os Institutos Federais, uma revolução na educação profissional e tecnológica. Disponível em: Acesso em: 20 abr. 2018.

THOMPSON, E. R. Individual entrepreneurial intention: construct clarification and development of an internationally reliable metric. Enterp. Theory Pract. 33, 669–694, 2009.

TRIVIÑOS, A. N. S. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. 1ª ed. São Paulo: Atlas, 1987.

ZAMPIER, M. A.; TAKAHASHI, A. R. W. Competências e aprendizagem empreendedora em MPE’s educacionais/entrepreneurial competences and learning in educational mse’s. Revista Pensamento Contemporâneo em Administração, v. 8, n. 3, 2014.




DOI: https://doi.org/10.14295/idonline.v13i44.1619

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A Id on Line (ISSN: 1981-1179) é indexada nas seguintes bases de dados: