Educação Intercultural e suas Ambivalências com o Estranho. Um Estudo Sobre a Representação Social do Negro no Livro Didático

Miguel Melo Ifadireó, TaÍs Oliveira de Souza, Érika de Sá Marinho Albuquerque, Maria do Socorro Cordeiro de Sousa

Resumo


O presente artigo é fruto dos trabalhos de leitura, pesquisas de campo e ações de extensão universitária que se enraizaram nas reuniões do Laboratório Interdisciplinar de Estudos da Violência (LIEV/ UNILEÃO) e nos encontros do Núcleo de Estudos em Gênero, Raça, Organizações e Sustentabilidade (NEGROS/ UPE), bem como, emergiu da necessidade de preparo de aulas e material didático para facilitar o ensino e as práticas pedagógicas para as disciplinas: Educação do Campo e Educação Intercultural no curso de Pedagogia da Faculdade de Ciências Humanas do Sertão Central (FACHUSC/ Salgueiro-PE. O objetivo da presente investigação está fundamentado na tentativa de destacar a contribuição que o material escolar pode, por um lado, dar à educação intercultural; e por outro lado, acentuar os nuances em que o racismo e o preconceito direcionados ao negro podem contribuir com a representação negativa destes na sociedade. A questão problema deste estudo concentra-se na investigação do material didático e paradidático do ensino infantil e fundamental selecionados e utilizados em uma escola pública do município de Verdejante, no Sertão Central Pernambucano. A metodologia utilizada é fruto da abordagem qualitativa, revisão bibliográfica e método de procedimento de análise documental com uso da abordagem crítica dos discursos. A fundamentação teórica especifica se deu a partir da teoria da ideologia de John Thompson (1995), da teoria da Mestiçagem de Kabengele Munanga (2008), da teoria da Pedagogia Intercultural de Georg Auerheimer (2005), da teoria da Estranheza na Escola de Franz Pöggeler  (2004; 2003), dos Estudos Africanos de Achillie Mbembe (2014) e da filosofia da ancestralidade de David Oliveira (2007; 2003). Os achados nos permitem concluir que a educação intercultural satisfaz em plenitude os quesitos do respeito à dignidade da pessoa humana, da educação para a liberdade, da educação para a autonomia e da educação inclusiva e do pertencimento. 

 


Palavras-chave


Educação Intercultural e Estranheza. Discriminação e Racismo. Material Didático. Representação Social do Negro.

Texto completo:

PDF

Referências


ALAVI, Bettina. Plädoyer für neue geschichtsdidaktische Überlegungen bezüglich der Methodik eines inklusiven Geschichtsunterrichts, S. 102-140. In: Bettina Alavi; Martin Lücke (Hrsg.): Geschichtsunterricht ohne Verlierer!? Inklusion als Herausforderung der Geschichtsdidaktik. Schwalbach.: Wochenschau 2016.

ARENDT, Hannah. The origins of totalitarianism. New York: HBJ Book, 1979.

AUERHEIMER, Georg. Einführung in die Interkulturelle Pädagogik. Stuttgart - Darmstadt: Wissenchaftliche Buchgesellschaft Verlag, 2005.

AURÉLIO, Buarque de Holanda Ferreira. Dicionário Aurélio eletrônico século XXI. [S.I.]: Nova Fronteira, 1999. Versão 3.0 – 1 CD-ROM.

BAZZANELLA, Waldemiro. Valores e estereótipos em livros de leitura. Boletim do Centro Brasileiro de Pesquisas Educacionais, Rio de Janeiro, v. 2, n. 4. mar. 1957.

BORGES, E MEDEIROS, C.A. e D´ADESKY, J, Racismo, preconceito e intolerância. São Paulo: atual,2002.

BREITLING, Petra; REESE-SCHÄFER, Walter (Hg.). Universalismus, Nationalismus und die neue Einheit der Deutschen. Frankfurt am Main: Suhrkamp Verlag, 1994.

CARNEIRO, Maria Luiza Tucci. Preconceito racial: Portugal e Brasil Colônia. São Paulo: Brasiliense, 1988.

CARRIL, Lourdes. Terras de negros e herança de quilombos. Editora Scipione.1997

CASTRO, Hebe M. Mattos de. Escravidão e cidadania no Brasil monárquico. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2000. (Coleção Passo a Passo).

CONRAD, Robert. Os últimos anos da escravidão no Brasil. Rio de Janeiro: Editora Civilização Brasileira. 1975.

CUNHA JR, Henrrique. Quilombo: patrimônio histórico e cultural. In: Revista Espaço Acadêmico – Nº. 129 – Fevereiro de 2012. Mensal – Ano XI. Pp. 158 – 167.

DEGLER, Carl N. Nem preto nem branco: escravidão e relações raciais no Brasil. Cad. Pagu, n. 23, p. 199-228, 2004. [on-line]. (do original: DEGLER, Carl N. Nem preto, nem branco. Rio de Janeiro: Labor, 1976).

DELACAMPAGNE, Christian. L'Invention du racisme: antiquité et moyen age. Paris: Fayard, 1983.

DUPPONT, Marc. Biologische und psychologische Konzepte im Dritten Reich” zur Homosexualität, 189-208. In: JELLONNEK, Burkhard; LAUTMANN, Rüdiger (Hrsg.). Nationalsozialistischer Terror gegen Homosexuelle. Verdrängt und ungesühnt. Paderborn - München – Wien – Zürich: Ferdinand Schöningh Verlag, 2002.

FRANKLIN, John Hope; MOSS JUNIOR, Alfred A. Von der Sklaverei zur Freiheit. Die Geschichte der Schwarzen in den USA. Erweiterte und aktualisierte Ausgabe. Berlin – New York – Amsterdam: Theodor Bayer-Eynck Verlag, 2009.

GOLDHAGEN, Daniel Jonah. Der eliminatorischen Antisemitismus im modernen Deutschland, p. 107-164. In: GOLDHAGEN, Daniel Jonah. Hitlers willige Vollstrecker. Ganz gewöhliche Deutsche und der Holocaust. München – Amsterdam – Berlin: Siedler Verlag, 1998.

GOMES, Nilma Lino; SILVA, Petronilha Beatriz Gonçalves. 3ª Edição. Experiências étnico-culturais para a formação de professores Belo Horizonte: Autêntica editora, 2011 (Coleção Cultura Negra e Identidades).

GRAU, Günter. “Unschuldige Täter”. Medizin als Vollstrecker der nationalsozialistischen Homosexuellenpolitik, 2009-236. In: JELLONNEK, Burkhard; LAUTMANN, Rüdiger (Hrsg.). Nationalsozialistischer Terror gegen Homosexuelle. Verdrängt und ungesühnt. Paderborn - München – Wien – Zürich: Ferdinand Schöningh Verlag, 2002.

HASENBALG, Carlos. Entre o mito e os fatos: Racismo e relações raciais no Brasil. In: MAIO, M.C./ SANTOS, R. V. (Org.) Raça, ciência e sociedade. Rio de Janeiro: Fiocruz/ 1996.

HOLANDA, Sérgio Buarque de. Caminhos e fronteiras. Rio de Janeiro: Livraria José Olympio Editora, 1975 [1957].

LANDMANN, Michael. Das Fremde und die Entfremdung, S. 180-219. In: Heinz-Horst Schrey (Hrsg.). Entfremdung. Verlag Freies Gestesleben: Stuttgart, 1999.

LENZEN, Dieter. Multikulturalität als Monokultur, S. 147-157. In: Ottfried Schäffter (Hrsg.). Das Fremde. Erfahrungsmöglichkeiten zwischen Fazination und Bedrohung. Westdeutschland Verlag: Opladen 1991.

LEPENIES, Wolf. Between litterature and Science: the rise of sociology. Cambridge: Cambridge University Press, 1988.

LISBOA, Emanoel Jackson; IFADIREÓ, Miguel Melo; ALBUQUERQUE FILHO, José Antônio de; SOUSA, Maria do Socorro Cordeiro de. Educação Intercultural e Integração Social: Uma Proposta Pedagógica para a Docência no Sistema de Ensino da Cidade de Parnamirim/PE. Id on Line Rev.Mult. Psic., 2018, vol.12, n.42, Supl. 1, p. 759-776. ISSN: 1981-1179.

LÜCK, Mitja Sabine/ STÜTZEL, Kevin. Zwischen Selbstreflexion und politischer Praxis: Weißsein in der antirassistischen Bildungsarbeit. In: MENDE, Janne/ MÜLLER, Stefan (Hg.): Emazipation in der politischen Bildung. Theorien - Konzepte – Möglichkeiten. Schwalbach am Taunus: Wochenschau, 2009.

MACHADO, Adilbenia. Filosofia africana e currículo: Aproximações. Revista Sul-Americana de Filosofia e Educação, Brasília, v. 0, n. 18, maio de 2012. Disponível em:

periodicos.unb.br/index.php/resafe/article/view/14990. Acesso em: 10. Jan. 2017.

MAGGIE, Ivonne. A ilusão do concreto: Análise do sistema de classificação racial no Brasil. Tese de titulação. Rio de Janeiro, UFRJ, 1991.

MBEMBE, Achillie. Crítica a razão negra. Tradução Marta Lança.3ª ed., Lisboa: Antígona Editores, 2014.

MELO, Miguel Ângelo Silva de; BANDEIRA, João Adolfo Ribeiro. Crítica aos estereótipos e ideias racistas no Brasil sob o prisma dos estudos Pós-coloniais. In: Revista Direito & Práxis, Rio de Janeiro, Vol. 07, N. 15, 2016, p. 213-246.

MILES, Robert. Racism. London: Routledge, 1989.

MUNANGA, Kabengele. Rediscutindo a mestiçagem no Brasil. Identidade Nacional versus identidade negra. 3. Ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2008.

NEGRÃO, E. V. A discriminação racial em livros didáticos e infanto-juvenis. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, n. 63, p.86-87, nov. 1987.

OLIVEIRA, Marco Antônio de. O negro no ensino de história: temas e representações. Dissertação (Metrado em Educação), Universidade de São Paulo, 2000. APUD SILVA, Paulo Vinícios Baptista da. Racismo em Livros Didáticos: estudo sobre negros e brancos em livros de Língua Portuguesa. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2008 (Coleção Cultura Negra e Identidades).

OLIVEIRA, Eduardo David. Filosofia da Ancestralidade: corpo de mito na filosofia da educação brasileira. Curitiba: Editora Gráfica Popular, 2007.

________,. Cosmovisão africana no Brasil: elementos para uma filosofia afrodescendente. Fortaleza: LCR, 2003.

OLIVEIRA, J.B. et. Política da política do livro didático. Summus Ed. São Paulo.1984.

OOSTERHUIS, Harry. Medizin, Männerbund und die Homosexuelleverfolgung im Dritten Reich, p. 119-126. In: JELLONNEK, Burkhard; LAUTMANN, Rüdiger (Hrsg.). Nationalsozialistischer Terror gegen Homosexuelle. Verdrängt und ungesühnt. Paderborn - München – Wien – Zürich: Ferdinand Schöningh Verlag, 2002.

PÖGGELER, Franz. Fremde und Fremheit im Schulbuch und der Wandel der Pädagogik. München: Opladen Verlag, 2004.

PÖGGELER, Franz. Macht und Ohnmacht der Pädagogik. München: Opladen Verlag, 2003.

RODRIGUES, Raimundo Nina. As raças humanas e a responsabilidade penal no Brasil. Salvador: Livraria e Editora Progresso, 1957.

ROMERO, Sílvio. Prefácio a Tito Lívio da Costa (O Brasil e o Negro). Outlook. V. 106, p. 410, 21 fev, 2014, apud MUNANGA, Kabengele, Op. cit., p. 50.

REGINA, Cláudia de Paula, no livro Historias da Educação do Negro e Outras Historias,p,189. .

RÖNN, Peter von. Das Homosexualitätskonzept des Psychiaters Hans Bürger-Prinz im Rahmen der NS-Verfolgunspolitik, 237-262. In: JELLONNEK, Burkhard; LAUTMANN, Rüdiger (Hrsg.). Nationalsozialistischer Terror gegen Homosexuelle. Verdrängt und ungesühnt. Paderborn - München – Wien – Zürich: Ferdinand Schöningh Verlag, 2002.

ROSEMBERG, F. Literatura infantil e ideologia. São Paulo: Global, 1985.

SAVIANI, Dermeval. História das ideias pedagógicas no Brasil. 4ª Edição. Campinas, SP: Autores Associados, 2013 (Coleção memória da educação).

SCHÄFFTER, Ottfried (Hrsg.). Das Fremde. Erfahrungsmöglichkeiten zwischen Fazination und Bedrohung. Westdeutschland Verlag: Opladen 1991.

SCHMARCZ, Lilia Moritz. O espetáculo das raças. Cientistas, instituições e a questão racial no Brasil 1870-1930. 11ª impressão. São Paulo: Companhia das Letras, 1993.

SILVA, Paulo Vinícios Baptista da. Racismo em livros didáticos: estudo sobre negros e brancos em livros de língua portuguesa. Belo Horizonte: Autêntica editora, 2008 (Coleção Cultura Negra e Identidades).

TELLES, Edward. Racismo á brasileira: uma nova perspectiva sociológica. Rio de janeiro: Relume Dumará; Fundação fort,2003.

THOMPSON, John B. Ideologia e cultura moderna: teoria social crítica na era dos meios de comunicação de massa. Tradução do Grupo de Estudos sobre ideologia, comunicação e representações sociais da pós-graduação strictu sensu em Psicologia da PUCRS. Petrópolis: Vozes, 1995.

UNESCO. Educação Para Todos. História da educação do negro e outras histórias. 2005.

YOUSEFI, Hamid Reza / BROWN, Ina. Interkulturalität. Eine interdisziplinäre Einführung. Einführung Philosophie. Darmstadt: Wissen Bildung und Gemeinschaft Verlag/ WBG, 2012.

WOLLRAD, Eske. Weißsein im Widerspruch. Feministische Perspektiven auf Rassismus, Kultur und Religion. Königsstein/Taunus: Ulrike Helmer, 2005.




DOI: https://doi.org/10.14295/idonline.v13i43.1584

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2021 Miguel Melo Ifadireó, TaÍs Oliveira de Souza, Érika de Sá Marinho Albuquerque, Maria do Socorro Cordeiro de Sousa

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

A ID on line. Revista de psicologia (ISSN: 1981-1179) é indexada nas seguintes bases de dados: