Necessidades de qualificação do processo de trabalho da Enfermagem em UTI Pediátrica

Francisco Rodrigues Martins, Mirelle Salgueiro Morini, Antônia Gomes de Olinda, Francisco Hilângelo Vieira Barros, Leonardo Oliveira Silva, Maria Alcione Silva Gomes Roseno

Resumo


A Unidade de Terapia Intensiva (UTI) é o local que se destina ao acolhimento de pacientes em estado grave com chances de sobrevida que requerem monitoramento constante e cuidados complexos. Neste sentido, a assistência ao paciente em unidade de terapia intensiva exige dos profissionais de enfermagem um aprofundamento teórico específico, bem como a tomada de decisões adequadas, uma vez que irão interagir diretamente na sobrevida do paciente. O estudo tem como objetivo identificar as principais necessidades de qualificação da equipe de enfermagem quanto ao seu processo de trabalho na Unidade de Terapia Intensiva Pediátrica. A pesquisa é do tipo exploratório-descritivo, com abordagem qualitativa, desenvolvida no período de fevereiro a março de 2017, com 29 profissionais de enfermagem, sendo 25 enfermeiros e 04 técnicos de enfermagem. Para a coleta de dados adotou-se um questionário estruturado cujos resultados foram sistematizados a partir do agrupamento em tabela e analisados à luz do referencial de Minayo. Os resultados apontam que em relação às necessidades assistenciais, os profissionais destacaram como prioritárias a administração de medicamentos e suas interações, a assistência ao paciente na Parada Cardiorrespiratória (RCP) e na Ventilação Mecânica (VM). Quanto às necessidades gerenciais, a equipe de enfermagem apontou como práticas importantes para o aprimoramento dos conhecimentos: a Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE), implementação dos protocolos de procedimentos e da rotina admissional na UTI e, para as ações ético-sociais, a equipe de enfermagem propôs a qualificação em humanização e cuidados paliativos. Evidenciou-se que o processo de qualificação da equipe de enfermagem da Unidade de Terapia Intensiva tem sido uma relevante estratégia para melhoria da qualidade da assistência ao paciente crítico. Nesta perspectiva, a realização da educação continuada dos profissionais de saúde é de grande importância, uma vez que capacitar os mesmos gera impacto direto na qualidade dos serviços prestados à população, além de garantir, aos trabalhadores, valorização profissional.

 



Palavras-chave


Processo de Trabalho, Unidade de Terapia Intensiva, Educação Permanente

Texto completo:

PDF

Referências


CONSELHO FEDERAL DE ENFERMAGEM. Resolução nº 0527, de 03 de novembro de 2016. Resolução Cofen 0527/2016. Disponível em: . Acesso em: 28 abr. 2017.

MINAYO, M. C. S. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. São Paulo/Rio de Janeiro: Hucitec/Abrasco, 2009.

MOLINA, et al. A percepção da família sobre sua presença em Unidade de Terapia Intensiva Neonatal e Pediátrica. Rev Esc Enferm USP, vol. 43, n. 43 pp. 630-638, 2013.

MURAKAMI, B. M; SANTOS, E. R. dos. Enfermagem em terapia intensiva. Barueri, São Paulo: Manole, 2015. Disponível em < http://unisul.bv3.digitalpages. com.br/users/publications/9788520441541/pages/-24> Acesso em 20 abr. 2017.

PEROVANO, D.G. Manual de metodologia da pesquisa científica. Curitiba: Intersaberes, 2016. Disponível em:. Acesso em 03 mai. 2017.

SILVA, S. C. da; PADILHA, K. G. Parada Cardiorrespiratória na unidade de terapia intensiva: considerações teóricas sobre os fatores relacionados às ocorrências iatrogênicas. 2012. Disponível em: . Acesso em: 20 abr. 2017.




DOI: https://doi.org/10.14295/idonline.v13i43.1524

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A Id on Line (ISSN: 1981-1179) é indexada nas seguintes bases de dados: