A Desinstitucionalização do Parto: Uma Revisão Integrativa da Literatura

Rozane Pereira de Sousa, Anna Mikaelly de Sousa Tavares Assis, Yuri Charllub Pereira Bezerra, Fernanda Pereira de Brito Neves, Gislene Farias de Oliveira

Resumo


analisar a produção científica publicada sobre a desinstitucionalização do parto. Metodo: foi realizada uma Revisão Integrativa da Literatura. Para efetivá-la, foi feito levantamento bibliográfico a partir de pesquisas indexadas na base de dados da Biblioteca Virtual em Saúde (BVS), sendo o Descritor Controlado (DeCS) em Ciências da Saúde utilizado “Parto domiciliar”, identificando-se fontes de informação de inúmeras bases de literaturas científicas e técnicas. Também, foi feito agrupamento dos DeSC: Enfermagem obstétrica, parto domiciliar e tocologia. Foram identificados 116 artigos, contudo, apenas 15 deles contemplaram aos critérios de inclusão delineados. Resultados: 100% da amostra foi publicada em periódicos nacionais, sendo na sua totalidade na área da saúde. Quanto ao período de publicação evidencia-se que a maioria concentrou-se no ano de 2013 correspondendo a 40% da amostra, seguidos por aqueles publicados em 2016 com 27%. Os publicados nos anos de 2014 e 2015 obtiveram 20% e 13%, respectivamente cada. Referindo-se ao tipo de delineamento metodológico, evidenciou-se na amostra: nove estudos qualitativos (60%); uma pesquisa bibliográfica (6,6%); um relato de experiência (6,6%); um estudo teórico-reflexivo (6,6%); um estudo quantiqualitativo (6,6%); um estudo etnográfico (6,6%) e um estudo quantitativo (6,6%). Em sequência, quatro artigos representando 27% da amostra, seguiram enfocando os profissionais, identificando o conhecimento e práticas do parto domiciliar; as estratégias e planejamentos utilizados para implementação e promoção do método. No mais, pela literatura apresentada, é verídico afirmar que a desinstitucionalização do parto não deve ser tratada como prática secundária, mas como um direito e uma real possibilidade de escolha da mulher e sua família por uma experiência segura e singular. Conclusão: alerta-se para a urgente necessidade da disseminação de informações acerca do parto domiciliar planejado, pois este constitui além de uma prática baseada em evidências científicas, uma possibilidade de fortalecimento da autonomia feminina e de seu protagonismo no processo de parir, baseado no direito do usuário.

 

 


Palavras-chave


enfermagem obstétrica; parto domiciliar; tocologia

Texto completo:

PDF

Referências


BARBOSA, C.M. et al . Mulheres e parteiras tradicionais: práticas de cuidado durante o processo de parto e nascimento em domicílio. R. pesq.: cuid. fundam. Online; v.5, n.1, p.3206-3220. 2013.

BEZERRA, Y.C.P. et al. Método mãe canguru: uma revisão integrativa da literatura. Fiep bulletin, V. 84, Special Edition, Article II. 2014.

BRASIL. Rede Interagencial de Informações para a Saúde (2009) - Indicadores e dados básicos (IDB-2008). Disponível em: http://www2.datasus.gov.br/DATASUS /index.php?area=02 Acesso em 10/10/2017.

CASTRO, de C.M. Os sentidos do parto domiciliar planejado para mulheres do município de São Paulo, São Paulo. Cad. Saúde Colet.Rio de Janeiro, v. 23 n.1 p.69-75. 2015.

COMITÊ ESTADUAL DE ESTUDOS DE MORTALIDADE MATERNA DE PERNAMBUCO Humanização do parto. Nasce o respeito : informações práticas sobres seus direitos.Recife : 2015.

CONITEC. Ministério da Saúde. Diretriz Nacional de Assistência ao Parto Normal. 2016. Disponível em: < http://conitec.gov.br/images/Consultas/2016/Relatorio_Diretriz-PartoNormal_CP.pdf> Acesso em 10/10/2017.

CUNHA, K. J. B.; GOMES, L. S. V. O vivido de mulheres no parto humanizado Revista Interdisciplinar NOVAFAPI, Teresina. v.5, n.2, p.32-38, Abr-Mai-Jun. 2012.

FEYER, I.S.S. et al. Publicações científicas brasileiras de enfermeiras obstétricas sobre parto domiciliar: revisão sistemática de literatura. Texto contexto - enferm.v.22.n 1. Florianópolis.Jan./Mar.2013

FEYER, I.S.S et al. Perfil de casais que optam pelo parto domiciliar assistido por enfermeiras obstétricas. Esc. Anna Nery .vol.17.n.2. Rio de Janeiro.Apr./June 2013

FEYER, I.S.S. et al. Rituais de cuidado realizados pelas famílias na preparação para a vivência do parto domiciliar planejado. Rev Bras Enferm. 2013

FRANK, T.C.; PELLOSO S.M. A percepção dos profissionais sobre a assistência ao parto domiciliar planejado. Rev Gaúcha Enferm. 2013

GALVÃO, M. L. S.; MENEZES, P. F. A. Parto domiciliar: uma alternativa ao modelo institucional nos centros urbanos. In: Congresso brasileiro de Enfermagem Obstétrica e neonatal, 7 e Congresso Internacional de Enfermagem Obstétrica e Neonatal, 1. 2011, Belo Horizonte. Anais.Belo Horizonte: ABENFO-MG, 2011.

KOETTKER, J.G; BRÜGGEMANN, O.M; DUFLOTH, R.M. Partos domiciliares planejados assistidos por enfermeiras obstétricas: transferências maternas e neonatais Rev. esc. enferm. USP.v.47.n1.São Paulo.Feb.2013

LEAO, M.R.C et al. Reflexões sobre o excesso de cesarianas no Brasil e a autonomia das mulheres. Ciênc. saúde coletiva v.18 n.8 Rio de Janeiro Aug. 2013

LESSA, H.F et al. Informação para a opção pelo parto domiciliar planejado: um direito de escolha das mulheres Texto contexto - enferm. V. 23 n.3 Florianópolis July/Sept. 2014

MAIA, M.B. Humanização do parto: política pública, comportamento organizacional e ethos profissional. Rio de Janeiro: Fiocruz; 2010.

MALHEIROS, P.A et al. Parto e nascimento: saberes e práticas humanizadas. Texto contexto - enferm.v.21 n.2.Florianópolis. Apr./June.2012

MATÃO, M.; MIRANDA, D.B.; COSTA, B.P. et al. A visão médica do parto domiciliar: factível ou utópico? R. Enferm. Cent. O. Min. 2016.

MATTOS, D.V.; VANDENBERGHE, L.; MARTINS, C.A. O enfermeiro obstetra no parto domiciliar planejado Rev enferm UFPE on line., Recife. 2016

MENDES, K.D.S.; SILVEIRA, R.C.C.P.; GALVÃO, C.M. Revisão integrativa: método de pesquisa para a incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Texto Contexto Enferm. v.17 n.4 p.758-64. 2008

MORAES, P. Á. et al. A dor do parto: percepção de mulheres que pariram no domicílio. Rev. enferm. UFPE on line. 2016.

MULLER, E. et al. O relato de mulheres sobre partos e intervenções: Reflexões sobre saúde, direitos humanos e cidadania. João Pessoa, 2017. Disponível em: http://www.ufpb.br/evento/lti/ocs/index.php/17redor/17redor/paper/view/322. Acesso em 10/10/2017

NASCIMENTO, J. de P. et al. O empoderamento da mulher no parto domiciliar planejado. Rev. enferm. UFPE on line; 2016.

PORTO, A.M.F.; AMORIM, M.M.R.; SOUZA, A.S.R. Assistência ao primeiro período do trabalho de parto baseada em evidências FEMINA. V. 38 n.10 .2010 .

REIS et al. Autonomia feminina no processo de parto e nascimento: revisão integrativa da literatura. Rev Gaúcha Enferm. mar; v.38 n.1 p.64677. 2017

SANFELICE, C.F.O.; SHIMO, A.K.K. Parto domiciliar: avanço ou retrocesso? Rev. Gaúcha Enferm.v.35 n.1.Porto Alegre. 2014.

________________. Representações sociais sobre o parto domiciliar. Esc Anna Nery; v.19 n.4 p.606-613, 2015.

SANFELICE, C.F.O et al .Do parto institucionalizado ao parto domiciliar. Rev Rene. 2014 Disponível em: http://www.revistarene.ufc.br/revista/index.php/revista/article/viewFile/1561 /pdf . Acesso em 10/10/2017.

SOUZA, R.M.; SOARES, L.S.; QUITETE, J.B. Parto natural domiciliar: um poder da natureza feminina e um desafio para a enfermagem obstétrica. J. res.: fundam. care. online. jan./mar. V.6 n.1 p.118-131, 2014.

SUÁREZ-CORTÉS, M. et al. Uso e influência dos Planos de Parto e Nascimento no processo de parto humanizado. Rev. Latino-Am. Enfermagem, v.23 n.3 p.520-6. 2015.




DOI: https://doi.org/10.14295/idonline.v12i39.1039

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A Id on Line é indexada nas seguintes bases de dados: