Percepção de mães de recém-nascidos prematuros sobre o cuidado intensivo neonatal

Mauro Palmarella Neto, Valéria Gomes da Silva, Laisla Pires Dutra

Resumo


O objetivo do estudo foi conhecer a percepção de mães de recém-nascidos prematuros sobre o cuidado intensivo neonatal. Trata-se de um estudo qualitativo, descritivo e exploratório, realizado com 9 mães de filhos internados em unidades de cuidado intensivo neonatal. As participantes responderam um questionário biosociodemográfico e posteriormente foi solicitado que realizassem um desenho representando seus sentimentos durante o período de internação. Para análise dos dados foi realizado a técnica de análise de conteúdo das histórias temáticas e análise do grafismo. Os resultados foram descritos através da caracterização das mães e a percepção das mesmas sobre o processo de internamento no cuidado intensivo neonatal apresentado em 2 categorias, a primeira:  os sentimentos maternos vivenciados durante a hospitalização do filho na unidade de terapia intensiva neonatal, e a segunda: espiritualidade e crenças religiosas. Conclui-se que essa fase do internamento submete as mães a vários sentimentos, seja eles bons e ruins.

Palavras-chave


Cuidados intensivos; Mães; Prematuros

Texto completo:

PDF

Referências


AFFONSO, R.M.L. Ludodiagnóstico: investigação clínica através do brinquedo. Artmed Editora, 2009.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70; 2011.

BETTIOL, H. et al. Epidemiologia do nascimento pré-termo: tendências atuais. Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia, v. 32, n. 2, p. 57-60, 2010.

BOTÊLHO, S. M. Representações sociais de mães sobre prematuros hospitalizados e o cuidar materno. 2011. Tese de Doutorado. Departamento de Saúde, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, Jequié, BA, 2011.

DA CRUZ, A.R.M et al. Sentimentos e expectativas da mãe com filho prematuro em ventilação mecânica. Revista Eletrônica de Enfermagem, v. 12, n. 1, 2010.

DA SILVA RABELO, M.Z. et al. Sentimentos e expectativas das mães na alta hospitalar do recém-nascido prematuro. Acta Paul Enferm, v. 20, n. 3, p. 333-7, 2007.

DE OLIVEIRA, K. et al. Vivências de familiares no processo de nascimento e internação de seus filhos em UTI neonatal. Escola Anna Nery Revista de Enfermagem, v. 17, n. 1, p. 46-53, 2013.

DOS ANJOS, L.S. et al. Percepções maternas sobre o nascimento de um filho prematuro e cuidados após a alta. Rev Bras Enferm, v. 65, n. 4, p. 571-577, 2012.

FRAGA, I.T.G; PEDRO, E.N.R. Sentimentos das mães de recém-nascidos prematuros: implicações para a enfermagem. Revista gaúcha de enfermagem. Porto Alegre, RS. Vol. 25, n. 1 (abr. 2004), p. 89-97, 2004.

LIMA DE SOUZA, N. et al. Representações de mães sobre hospitalização do filho prematuro. Revista Brasileira de Enfermagem, v. 62, n. 5, 2009.

OLIVEIRA, L.L. et al. Fatores maternos e neonatais relacionados à prematuridade. Revista da Escola de Enfermagem da USP. São Paulo. Vol. 50, n. 3 (maio/jun. 2016), p. 382-389, 2016.

SCHMIDT, K.T. et al. A primeira visita ao filho internado na unidade de terapia intensiva neonatal: percepção dos pais. Escola Anna Nery Revista de Enfermagem, v. 16, n. 1, p. 73-81, 2012

VÉRAS, R.M; VIEIRA, J.M.F; MORAIS, F.R.R. A maternidade prematura: o suporte emocional através da fé e religiosidade. Psicol Estud, v. 15, n. 2, p. 325-32, 2010.

XAVIER DA SILVA, M.F; DE VILLEMOR-AMARAL, A.E. A auto-estima no CAT-A e HTP: Estudo de evidência de validade. Avaliação Psicológica, v. 5, n. 2, 2006.




DOI: https://doi.org/10.14295/idonline.v11i38.928

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A Id on Line (ISSN: 1981-1179) é indexada nas seguintes bases de dados: