A Comunicação entre a farmácia e a enfermagem na Administração segura de Medicamentos

Paula Rocha Oliveira, Alcileide Maria Oliveira, Fernanda Santos Portela, Fernanda de Jesus Soares

Resumo


Nos últimos anos, grandes discussões acerca da necessidade de otimizar a qualidade e segurança dos paciente hospitalizados, vem se formando no cenário hospitalar. Muitos prejuízos na segurança e saúde do paciente são evidenciados,  principalmente por conta da negligência dos profissionais de saúde. Contudo, a fim de evitar erros de medicamentos, é necessário que haja uma maior comunicação entre os setores da organização hospitalar, principalmente entre a farmácia e a equipe de enfermagem, a fim de, minimizar e até evitar erros. Assim, este trabalho faz referência à comunicação entre a farmácia e a enfermagem na administração segura de medicamentos. Metodologia: O presente estudo se embasa em uma temática de cunho exploratório com abordagem qualitativa e quantitativa, realizada em um hospital, no interior da Bahia. O estudo abrangeu os profissionais de saúde do hospital privado, que participaram do estudo, de forma aleatória. Estes profissionais foram os enfermeiros, técnicos de enfermagem, farmacêuticos e auxiliares de farmácia, nos setores da enfermaria e farmácia. O instrumento para coleta foi um questionário aplicado pela autora que continham perguntas pertinentes ao projeto, para os profissionais citados, a fim de entender o fluxo interno do hospital desde o momento do lançamento da prescrição médica até a administração do medicamento no paciente. Resultados: A prevalência em relação ao gênero dos profissionais estudados é o sexo feminino com (64%) e os funcionários de maior destaque foram os técnicos de enfermagem (45%). Em relação ao papel do farmacêutico, ele não possui contato com o paciente (64%) e que muitas vezes, este profissional não faz a dispensação do medicamento na farmácia do hospital, (77%). Pode-se observar, também, que sucessivas vezes o farmacêutico não analisa a prescrição a ser dispensada (64%), mas, existe uma dupla conferência do medicamento dispensado, (100%). Em conformidade com as prescrições, este documento é acessível a todos os profissionais de saúde do hospital (95%), mas que não é legível (59%). Quando alguma duvida surge sobre o esquema terapêutico, (50%) dos funcionários recorrem ao farmacêutico e, quando vão administrar o medicamento no paciente, (86%) revelam que informam ao paciente sobre o mesmo. Por fim, em relação à administração dos medicamentos potencialmente perigosos, (50%) dos entrevistados responderam que não há treinamento específico para esta capacitação. Conclusão: Os resultados obtidos foram satisfatórios, porém para atingir o sucesso organizacional e profissional, é necessário que algumas medidas sejam adotas na unidade médica. A capacitação e treinamento para medicamentos potencialmente perigosos em pronto socorro foi uma queixa observada durante a coleta de dados e se faz extremamente necessária aos profissionais da equipe de enfermagem.

 

 


Palavras-chave


Administração dos Cuidados ao Paciente. Preparações Farmacêuticas. Serviço de farmácia hospitalar.

Texto completo:

PDF

Referências


ABREU, C., DA C., F., DE; RODRIGUES, M., A.; PAIXÃO, M., P., B., A. Erros de medicação reportados pelos enfermeiros da prática clínica. Revista de Enfermagem Referência, v. 1, n. 10, 2013.

ANDREOLI, G., L., M.; DIAS, C., N. Planejamento e gestão logística de medicamentos em uma central de abastecimento farmacêutico hospitalar. RAHIS, v. 12, n. 4, 2015.

ARAÚJO, P., T., DE B.; UCHÔA, S., A., C. Avaliação da qualidade da prescrição de medicamentos de um hospital de ensino. Ciência & Saúde Coletiva, v. 16, s. 1, p. 1107-1114, 2011.

ARUTO, G., C.; LANZONI, G., M., DE M.; MEIRELLES, B., H., S. Melhores práticas no cuidado à pessoa com doença cardiovascular: interface entre liderança e segurança do paciente. Cogitare Enfermagem, v. 21 n. esp: 01-09, 2016.

BRASIL. Resolução RDC nº 07 de 24 de fevereiro de 2010. Diário oficial: Nº37 – DOU de 25/02/2010 – secção 1 – p.48. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. República Federativa do Brasil. Brasília – DF. Acesso em 14 de maio de 2017. Disponível em: .

COELHO, I., I., DE A.; SACRAMENTO. J., C., DO; SANTOS, T., A., DOS; SILVA, C., R., L., DA. Assistência de enfermagem ao cliente com hidrocefalia: um estudo de caso. REMAS-Revista Educação, Meio Ambiente e Saúde, v. 6, n. 1, p. 61-82, 2016.

CORADI, A., E., P. A importância do farmacêutico no ciclo da Assistência Farmacêutica. Arquivos Brasileiros de Ciências da Saúde, v. 37, n. 2, p. 62-64, 2012.

COSTA, J., M., DA; MARTINS, J., M.; PEDROSO, L., A.; BRAZ, C., DE L.; REIS, A., M., M. Otimização dos cuidados farmacêuticos na alta hospitalar: implantação de um serviço de orientação e referenciamento farmacoterapêutico. Revista Brasileira de Farmácia Hospitalar e Serviços de Saúde, v. 5, n. 1, p. 38-41, 2014.

CRUCIOL-SOUZA, J., M.; THOMSON, J., C.; CATISTI, D., G. Avaliação de prescrições medicamentosas de um hospital universitário brasileiro. Revista Brasileira de Educação Médica, v. 32, n. 2, p. 188-196, 2008.

ERDMANN, T., R.; GARCIA, J., H., S.; LOUREIRO, M., L.; MONTEIRO, M., P.; BRUNHARO, G., M. Perfil de erros de administração de medicamentos em anestesia entre anestesiologistas catarinenses. Revista Brasileira de Anestesiologia, v. 66, n. 1, p. 105-110, 2014.

FASSARELLA, C., S.; BUENO, A., A., B.; SOUZA, E., C., C., DE. Segurança do paciente no ambiente hospitalar: os avanços na prevenção de eventos adversos no sistema de medicação. Revista Rede de Cuidados em Saúde, v. 7, n. 1, 2013.

FLORES, P., V., P.; AMORIM, F., D., DE B.; PAES, G., O.; MESQUITA, M., G., DA R.; BOSCO, P., S.; FIGUEIREDO, L., DA S. O manejo da prescrição medicamentosa pautado na segurança do paciente: alerta para prática de enfermagem. Resvista de Enfermagem da UFPE on line, v. 9, n. 5, p. 7843-53, 2015.

HOLSBACH, L., R.; KLIEMANN NETO, F., J.; HOLSBACH, N. Utilização do instrumento de identificação de conhecimentos para administração segura de medicamentos com o uso de infusão automática. Revista Brasileira de Engenharia Biomédica, v. 29, n. 4, p. 353-362, 2013.

JACOBSEN, T., F.; MUSSI, M., M.; SILVEIRA, M., P., T. Análise de erros de prescrição em um hospital da região sul do Brasil. Revista Brasileira de Farmácia Hospitalar e Serviços de Saúde, v. 6, n. 3, p. 23-26, 2015.

LELIS, C., T.; TEIXEIRA, K., M., D.; SILVA, N., M., DA A inserção feminina no mercado de trabalho e suas implicações para os hábitos alimentares da mulher e de sua família. Saúde em Debate, v. 36, n. 95, 2012.

LUPATINI, E., DE O.; MUNCK, A., K., R.; VIEIRA, R., DE C., P., A. Percepções dos pacientes de um hospital de ensino quanto à farmacoterapia e à orientação farmacêutica na alta. Revista Brasileira de Farmácia Hospitalar e Serviços de Saúde, v. 5, n. 3, p. 28-33, 2014.

MACHADO, M., H. A participação da mulher no setor saúde no Brasil — 1970/80. Cadernos de Saúde Pública, v. 2, n. 4, 1986.

MARQUES, L., DE F., G.; ROMANO-LIEBER, N., S. Segurança do paciente no uso de medicamentos após a alta hospitalar: estudo exploratório. Saúde e Sociedade, v. 23, n. 4, p.1431-1444, 2014.

OLIVEIRA, E., R., A., DE; GARCIA, A., L.; GOMES, M., J.; BITTAR, T., O.; PEREIRA, A., C. Gênero e qualidade de vida percebida – estudo com professores da área de saúde. Ciência & Saúde Coletiva, v. 17, n. 3, p. 741-747, 2012.

PAULO, C., H., O., DE Dispensação e distribuição de medicamentos do Serviço Farmacêutico em um hospital universitário. RAS, v. 16, n. 62, 2014.

PAZIN-FILHO, A.; FREZZA, G.; MATSUNO, A., K.; ALCÂNTARA, S., T., DE; CASSIOLATO, S.; BITAR, J., P., S.; PEREIRA, M., M.; FÁVERO, F. Princípios de prescrição médica hos-pitalar para estudantes de medicina. Medicina (Ribeirão Preto), v. 46, n. 2, p. 183-194, 2013.

PEREIRA, C., C.; GOMES, F., V.; CORNÉLIO, R., C., A., C.; SOUSA, O., V.; ALVES, M., S.; ARAÚJO, A., L., A. Descrição e Avaliação do Sistema de Medicação do Serviço de Farmácia em um Hospital Universitário. Latin American Journal of Pharmacy, v. 28, n. 1, p. 91-96, 2009.

QUES, A., A., M.; MONTORO, C., H.; GONZÁLEZ, M., G. Fortalezas e ameaças em torno da segurança do paciente segundo a opinião dos profissionais de enfermagem. Revista Latino-Americana de Enfermagem, v. 18, n. 3, 2010.

REEDER, T., A.; MUTNICK, A. Pharmacist-versus physician-obtained medication histories. Am J Health-Syst Pharm. v. 65, p. 857-860, 2008.

REIS, W., C., T.; SCOPEL, C., T.; CORRER, C., J.; ANDRZEJEVSKI, V., M., S. Análise das intervenções de farmacêuticos clínicos em um hospital de ensino terciário do Brasil. Einstein (São Paulo), v. 11, n. 2, 2013.

RENOVATO, R., D.; CARVALHO, P., D., DE; ROCHA, R., DOS S., A. Investigação da técnica de administração de medicamentos por sondas enterais em Hospital Geral. Revista de Enfermagem, v. 18, n. 2, p. 173-178, 2010.

ROSA, M., B.; PERINI, E.; ANACLETO, T., A.; NEIVA, H., M.; BOGUTVHI, T. Erros na prescrição hospitalar de medicamentos potencialmente perigosos. Revista de Saúde Pública, v. 43, n. 3, 2009.

SANTOS, D., S., DOS; SOUZA, O., DAS V.; NASCIMENTO, A., L., S.; PEREIRA, J., DOS S.; SANTOS, M., J., C.; ALVES, M., C.; OLIVEIRA, T., S., DE; SOARES, F., G., DE M. Segurança do paciente: fatores causais de eventos adversos a medicamentos pela equipe de enfermagem.

SANTOS, J., O.; SILVA, A., E., B., DE C.; MUNARI, D., B.; MIASSO, A., I. Condutas adotadas por técnicos de enfermagem após ocorrência de erros de medicação*. Acta Paulista de Enfermagem, v. 23, n. 3, p. 328-33, 2010.

SENTONE, A., D., D.; ÉVORA, Y., D., M.; HADDAD, M., C., F., L.; BORSATO, G., F. Avaliação da qualidade das prescrições de enfermagem em um hospital universitário. Ciências e Cuidado em Saúde, v. 10, n. 3, p. 467-473, 2011.

SILVA, A., E., B., DE C.; CASSIANI, S., H., DE B.; MIASSO, A., I.; OPITZ, S., P. Problemas na comunicação: uma possível causa de erros de medicação. Acta Paulista de Enfermagem, v. 20, n. 3, 2007.

SILVA, J., Q.; OLIVEIRA, V., B. Medicamentos de alta vigilância em meio hospitalar: uma revisão. Revista Saúde e Desenvolvimento, v. 7, n. 4, 2015.

SILVA, L., D., DA; CARMERINI, F., G. análise da administração de medicamentos intravenosos em hospital da rede Sentinela. Texto & Contexto – Enfermagem, v. 21, n. 3, p. 633-641, 2012.

SOARES, A., Q.; MARTINS, M., R.; CARVALHO, R., F.; CIRILO, H., N., C.; MODESTO, A., C., F.; DUARTE, I., DE P.; MELO, V., V., DE. Avaliação das prescrições medicamentosas pediátricas de um hospital de ensino. Revista Brasileira de Farmácia Hospitalar e Serviços de Saúde, v. 3, n. 1, p. 27-31, 2012.

TELLES FILHO, P., C., P.; PRAXEDES, M., F. DA S.; PINHEIRO, M., L., P. Erros de medicação: análise do conhecimento da equipe de enfermagem de uma instituição hospitalar. Revista Gaúcha de Enfermagem, v. 32, n. 3, p. 539-45, 2011.

TEIXEIRA, T., C., A.; CASSIANI, S., H., DE B. Análise de causa raiz de acidentes por quedas e erros de medicação em hospital. Acta Paulista de Enfermagem, v. 27, n. 2, 2014.

WERMELINGER, M.; MACHADO, M., H.; TAVARES, M., DE F., L.; OLIVEIRA, E., DOS S., DE; MOYSÉS, N., M., N. A Força de Trabalho do Setor de Saúde no Brasil: Focalizando a Feminização. Divulgação em Saúde para Debate, p. 54-70, 2010.

ZANETTI, A., C., B. Segurança do paciente: fatores causais de eventos adversos a medicamentos pela equipe de enfermagem. Mestrado em Ciências, Programa de Pós-Graduação Enfermagem Fundamental, Ribeirão Preto, 2014.




DOI: https://doi.org/10.14295/idonline.v11i35.731

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A Id on Line é indexada nas seguintes bases de dados: