A Comunicação entre a farmácia e a enfermagem na Administração segura de Medicamentos

Paula Rocha Oliveira, Alcileide Maria Oliveira, Fernanda Santos Portela, Fernanda de Jesus Soares

Resumo


Nos últimos anos, grandes discussões acerca da necessidade de otimizar a qualidade e segurança dos paciente hospitalizados, vem se formando no cenário hospitalar. Muitos prejuízos na segurança e saúde do paciente são evidenciados,  principalmente por conta da negligência dos profissionais de saúde. Contudo, a fim de evitar erros de medicamentos, é necessário que haja uma maior comunicação entre os setores da organização hospitalar, principalmente entre a farmácia e a equipe de enfermagem, a fim de, minimizar e até evitar erros. Assim, este trabalho faz referência à comunicação entre a farmácia e a enfermagem na administração segura de medicamentos. Metodologia: O presente estudo se embasa em uma temática de cunho exploratório com abordagem qualitativa e quantitativa, realizada em um hospital, no interior da Bahia. O estudo abrangeu os profissionais de saúde do hospital privado, que participaram do estudo, de forma aleatória. Estes profissionais foram os enfermeiros, técnicos de enfermagem, farmacêuticos e auxiliares de farmácia, nos setores da enfermaria e farmácia. O instrumento para coleta foi um questionário aplicado pela autora que continham perguntas pertinentes ao projeto, para os profissionais citados, a fim de entender o fluxo interno do hospital desde o momento do lançamento da prescrição médica até a administração do medicamento no paciente. Resultados: A prevalência em relação ao gênero dos profissionais estudados é o sexo feminino com (64%) e os funcionários de maior destaque foram os técnicos de enfermagem (45%). Em relação ao papel do farmacêutico, ele não possui contato com o paciente (64%) e que muitas vezes, este profissional não faz a dispensação do medicamento na farmácia do hospital, (77%). Pode-se observar, também, que sucessivas vezes o farmacêutico não analisa a prescrição a ser dispensada (64%), mas, existe uma dupla conferência do medicamento dispensado, (100%). Em conformidade com as prescrições, este documento é acessível a todos os profissionais de saúde do hospital (95%), mas que não é legível (59%). Quando alguma duvida surge sobre o esquema terapêutico, (50%) dos funcionários recorrem ao farmacêutico e, quando vão administrar o medicamento no paciente, (86%) revelam que informam ao paciente sobre o mesmo. Por fim, em relação à administração dos medicamentos potencialmente perigosos, (50%) dos entrevistados responderam que não há treinamento específico para esta capacitação. Conclusão: Os resultados obtidos foram satisfatórios, porém para atingir o sucesso organizacional e profissional, é necessário que algumas medidas sejam adotas na unidade médica. A capacitação e treinamento para medicamentos potencialmente perigosos em pronto socorro foi uma queixa observada durante a coleta de dados e se faz extremamente necessária aos profissionais da equipe de enfermagem.

 

 


Palavras-chave


Administração dos Cuidados ao Paciente. Preparações Farmacêuticas. Serviço de farmácia hospitalar.

Texto completo:

PDF

Referências


ABREU, C., DA C., F., DE; RODRIGUES, M., A.; PAIXÃO, M., P., B., A. Erros de medicação reportados pelos enfermeiros da prática clínica. Revista de Enfermagem Referência, v. 1, n. 10, 2013.

ANDREOLI, G., L., M.; DIAS, C., N. Planejamento e gestão logística de medicamentos em uma central de abastecimento farmacêutico hospitalar. RAHIS, v. 12, n. 4, 2015.

ARAÚJO, P., T., DE B.; UCHÔA, S., A., C. Avaliação da qualidade da prescrição de medicamentos de um hospital de ensino. Ciência & Saúde Coletiva, v. 16, s. 1, p. 1107-1114, 2011.

ARUTO, G., C.; LANZONI, G., M., DE M.; MEIRELLES, B., H., S. Melhores práticas no cuidado à pessoa com doença cardiovascular: interface entre liderança e segurança do paciente. Cogitare Enfermagem, v. 21 n. esp: 01-09, 2016.

BRASIL. Resolução RDC nº 07 de 24 de fevereiro de 2010. Diário oficial: Nº37 – DOU de 25/02/2010 – secção 1 – p.48. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. República Federativa do Brasil. Brasília – DF. Acesso em 14 de maio de 2017. Disponível em: .

COELHO, I., I., DE A.; SACRAMENTO. J., C., DO; SANTOS, T., A., DOS; SILVA, C., R., L., DA. Assistência de enfermagem ao cliente com hidrocefalia: um estudo de caso. REMAS-Revista Educação, Meio Ambiente e Saúde, v. 6, n. 1, p. 61-82, 2016.

CORADI, A., E., P. A importância do farmacêutico no ciclo da Assistência Farmacêutica. Arquivos Brasileiros de Ciências da Saúde, v. 37, n. 2, p. 62-64, 2012.

COSTA, J., M., DA; MARTINS, J., M.; PEDROSO, L., A.; BRAZ, C., DE L.; REIS, A., M., M. Otimização dos cuidados farmacêuticos na alta hospitalar: implantação de um serviço de orientação e referenciamento farmacoterapêutico. Revista Brasileira de Farmácia Hospitalar e Serviços de Saúde, v. 5, n. 1, p. 38-41, 2014.

CRUCIOL-SOUZA, J., M.; THOMSON, J., C.; CATISTI, D., G. Avaliação de prescrições medicamentosas de um hospital universitário brasileiro. Revista Brasileira de Educação Médica, v. 32, n. 2, p. 188-196, 2008.

ERDMANN, T., R.; GARCIA, J., H., S.; LOUREIRO, M., L.; MONTEIRO, M., P.; BRUNHARO, G., M. Perfil de erros de administração de medicamentos em anestesia entre anestesiologistas catarinenses. Revista Brasileira de Anestesiologia, v. 66, n. 1, p. 105-110, 2014.

FASSARELLA, C., S.; BUENO, A., A., B.; SOUZA, E., C., C., DE. Segurança do paciente no ambiente hospitalar: os avanços na prevenção de eventos adversos no sistema de medicação. Revista Rede de Cuidados em Saúde, v. 7, n. 1, 2013.

FLORES, P., V., P.; AMORIM, F., D., DE B.; PAES, G., O.; MESQUITA, M., G., DA R.; BOSCO, P., S.; FIGUEIREDO, L., DA S. O manejo da prescrição medicamentosa pautado na segurança do paciente: alerta para prática de enfermagem. Resvista de Enfermagem da UFPE on line, v. 9, n. 5, p. 7843-53, 2015.

HOLSBACH, L., R.; KLIEMANN NETO, F., J.; HOLSBACH, N. Utilização do instrumento de identificação de conhecimentos para administração segura de medicamentos com o uso de infusão automática. Revista Brasileira de Engenharia Biomédica, v. 29, n. 4, p. 353-362, 2013.

JACOBSEN, T., F.; MUSSI, M., M.; SILVEIRA, M., P., T. Análise de erros de prescrição em um hospital da região sul do Brasil. Revista Brasileira de Farmácia Hospitalar e Serviços de Saúde, v. 6, n. 3, p. 23-26, 2015.

LELIS, C., T.; TEIXEIRA, K., M., D.; SILVA, N., M., DA A inserção feminina no mercado de trabalho e suas implicações para os hábitos alimentares da mulher e de sua família. Saúde em Debate, v. 36, n. 95, 2012.

LUPATINI, E., DE O.; MUNCK, A., K., R.; VIEIRA, R., DE C., P., A. Percepções dos pacientes de um hospital de ensino quanto à farmacoterapia e à orientação farmacêutica na alta. Revista Brasileira de Farmácia Hospitalar e Serviços de Saúde, v. 5, n. 3, p. 28-33, 2014.

MACHADO, M., H. A participação da mulher no setor saúde no Brasil — 1970/80. Cadernos de Saúde Pública, v. 2, n. 4, 1986.

MARQUES, L., DE F., G.; ROMANO-LIEBER, N., S. Segurança do paciente no uso de medicamentos após a alta hospitalar: estudo exploratório. Saúde e Sociedade, v. 23, n. 4, p.1431-1444, 2014.

OLIVEIRA, E., R., A., DE; GARCIA, A., L.; GOMES, M., J.; BITTAR, T., O.; PEREIRA, A., C. Gênero e qualidade de vida percebida – estudo com professores da área de saúde. Ciência & Saúde Coletiva, v. 17, n. 3, p. 741-747, 2012.

PAULO, C., H., O., DE Dispensação e distribuição de medicamentos do Serviço Farmacêutico em um hospital universitário. RAS, v. 16, n. 62, 2014.

PAZIN-FILHO, A.; FREZZA, G.; MATSUNO, A., K.; ALCÂNTARA, S., T., DE; CASSIOLATO, S.; BITAR, J., P., S.; PEREIRA, M., M.; FÁVERO, F. Princípios de prescrição médica hos-pitalar para estudantes de medicina. Medicina (Ribeirão Preto), v. 46, n. 2, p. 183-194, 2013.

PEREIRA, C., C.; GOMES, F., V.; CORNÉLIO, R., C., A., C.; SOUSA, O., V.; ALVES, M., S.; ARAÚJO, A., L., A. Descrição e Avaliação do Sistema de Medicação do Serviço de Farmácia em um Hospital Universitário. Latin American Journal of Pharmacy, v. 28, n. 1, p. 91-96, 2009.

QUES, A., A., M.; MONTORO, C., H.; GONZÁLEZ, M., G. Fortalezas e ameaças em torno da segurança do paciente segundo a opinião dos profissionais de enfermagem. Revista Latino-Americana de Enfermagem, v. 18, n. 3, 2010.

REEDER, T., A.; MUTNICK, A. Pharmacist-versus physician-obtained medication histories. Am J Health-Syst Pharm. v. 65, p. 857-860, 2008.

REIS, W., C., T.; SCOPEL, C., T.; CORRER, C., J.; ANDRZEJEVSKI, V., M., S. Análise das intervenções de farmacêuticos clínicos em um hospital de ensino terciário do Brasil. Einstein (São Paulo), v. 11, n. 2, 2013.

RENOVATO, R., D.; CARVALHO, P., D., DE; ROCHA, R., DOS S., A. Investigação da técnica de administração de medicamentos por sondas enterais em Hospital Geral. Revista de Enfermagem, v. 18, n. 2, p. 173-178, 2010.

ROSA, M., B.; PERINI, E.; ANACLETO, T., A.; NEIVA, H., M.; BOGUTVHI, T. Erros na prescrição hospitalar de medicamentos potencialmente perigosos. Revista de Saúde Pública, v. 43, n. 3, 2009.

SANTOS, D., S., DOS; SOUZA, O., DAS V.; NASCIMENTO, A., L., S.; PEREIRA, J., DOS S.; SANTOS, M., J., C.; ALVES, M., C.; OLIVEIRA, T., S., DE; SOARES, F., G., DE M. Segurança do paciente: fatores causais de eventos adversos a medicamentos pela equipe de enfermagem.

SANTOS, J., O.; SILVA, A., E., B., DE C.; MUNARI, D., B.; MIASSO, A., I. Condutas adotadas por técnicos de enfermagem após ocorrência de erros de medicação*. Acta Paulista de Enfermagem, v. 23, n. 3, p. 328-33, 2010.

SENTONE, A., D., D.; ÉVORA, Y., D., M.; HADDAD, M., C., F., L.; BORSATO, G., F. Avaliação da qualidade das prescrições de enfermagem em um hospital universitário. Ciências e Cuidado em Saúde, v. 10, n. 3, p. 467-473, 2011.

SILVA, A., E., B., DE C.; CASSIANI, S., H., DE B.; MIASSO, A., I.; OPITZ, S., P. Problemas na comunicação: uma possível causa de erros de medicação. Acta Paulista de Enfermagem, v. 20, n. 3, 2007.

SILVA, J., Q.; OLIVEIRA, V., B. Medicamentos de alta vigilância em meio hospitalar: uma revisão. Revista Saúde e Desenvolvimento, v. 7, n. 4, 2015.

SILVA, L., D., DA; CARMERINI, F., G. análise da administração de medicamentos intravenosos em hospital da rede Sentinela. Texto & Contexto – Enfermagem, v. 21, n. 3, p. 633-641, 2012.

SOARES, A., Q.; MARTINS, M., R.; CARVALHO, R., F.; CIRILO, H., N., C.; MODESTO, A., C., F.; DUARTE, I., DE P.; MELO, V., V., DE. Avaliação das prescrições medicamentosas pediátricas de um hospital de ensino. Revista Brasileira de Farmácia Hospitalar e Serviços de Saúde, v. 3, n. 1, p. 27-31, 2012.

TELLES FILHO, P., C., P.; PRAXEDES, M., F. DA S.; PINHEIRO, M., L., P. Erros de medicação: análise do conhecimento da equipe de enfermagem de uma instituição hospitalar. Revista Gaúcha de Enfermagem, v. 32, n. 3, p. 539-45, 2011.

TEIXEIRA, T., C., A.; CASSIANI, S., H., DE B. Análise de causa raiz de acidentes por quedas e erros de medicação em hospital. Acta Paulista de Enfermagem, v. 27, n. 2, 2014.

WERMELINGER, M.; MACHADO, M., H.; TAVARES, M., DE F., L.; OLIVEIRA, E., DOS S., DE; MOYSÉS, N., M., N. A Força de Trabalho do Setor de Saúde no Brasil: Focalizando a Feminização. Divulgação em Saúde para Debate, p. 54-70, 2010.

ZANETTI, A., C., B. Segurança do paciente: fatores causais de eventos adversos a medicamentos pela equipe de enfermagem. Mestrado em Ciências, Programa de Pós-Graduação Enfermagem Fundamental, Ribeirão Preto, 2014.




DOI: https://doi.org/10.14295/idonline.v11i35.731

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Paula Rocha Oliveira, Alcileide Maria Oliveira, Fernanda Santos Portela, Fernanda de Jesus Soares

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

A Id on Line (ISSN: 1981-1179) é indexada nas seguintes bases de dados: