A Deficiência Auditiva e a possibilidade de Inclusão no Mercado de Trabalho

Geovane Rodrigues de Freitas, Thércia Lucena Grangeiro Maranhão, Waleska Maria Félix

Resumo


As pessoas com deficiência auditiva, por meio de conquistas legais, obtiveram a sua inserção no mercado de trabalho. No entanto, isso não garante de fato uma inclusão social, pois esta depende do emprego da língua de sinais e do reconhecimento dos reais desafios, necessidades e potencialidades dessas pessoas. Assim a presente pesquisa busca retratar a relação do deficiente auditivo com o mercado de trabalho, enfatizando a sua inclusão dentro da instituição contratadora bem como a sua interação com os funcionarios não deficientes aparti da utilização da LIBRAS. Foi utilizado o metodo qualitativo, fundamentado na aplicação de entrevistas, possibilitando uma melhor compreenção do tema proposto. Após a interpretação dos dados obtidos, foi possivel identificar que embora a pessoa com deficiencia já esteja inserida no mercado de trabalho da região do cariri, ainda há muito pra evoluir, principalmente no que tange a utilização da LIBRAS como ferramenta de inclusão.

 


Palavras-chave


Inclusão, Deficientes Auditivos, Mercado de Trabalho

Texto completo:

PDF

Referências


ASSIS, O. Q. et al. Os direitos da pessoa portadora de deficiência. São Paulo: Lúmen, 1994. p. 56-69.

BATISTA, C. A. M. et al. Inclusão dá trabalho. Belo Horizonte: Armazém de idéias, 2000.

BATISTA, C. A. M. Inclusão: construção na diversidade. Belo Horizonte: Armazém de Idéias, 2004.

BRASIL. Constituição; República Federativa do Brasil. Brasília: Senado Federal, Centro Gráfico,1988.

CAMPELLO, A. R. S. Origens da língua de sinais brasileira. Comunicação. Semana de Letras. Centro de Comunicação e Expressão. UFSC: Florianópolis. 2008.

CARREIRA, D. A integração da pessoa deficiente no mercado de trabalho. In M. T. E. Mantoan (Org.). Integração de pessoas com deficiência: contribuições para a reflexão sobre o tema. São Paulo: Memnon. (1997).

CORRÊA, M. E. V. Reflexões Sobre a Inclusão do Aluno com Deficiência Auditiva. 2009.

DA SILVA FÉLIX, A. E. A. et al. A Inclusão da Pessoa Surda da Comunidade Escolar: 2010.

DE QUADROS, R. M. & KARNOPP, L. B. Língua de sinais brasileira: estudos lingüísticos. Artmed, 2007.

DÍAZ, F. et al. Educação inclusiva, deficiência e contexto social: Questões contemporâneas. EDUFBA, 2009.

DINIZ, H. G. et al. A História da Língua de Sinais Brasileira (Libras): um estudo descritivo de mudanças fonológicas e lexicais. 2010b.

DINIZ, H. G. et al. A História da Língua de Sinais Brasileira (Libras). 2010a.

DOS SANTOS, L. A. R. O deficiente auditivo: dispositivos legais e a difícil trajetória no mundo do trabalho. Revista Jurídica On-line, v. 1, n. 2, 2014.

FENEIS, Federação Nacional de Educação e Integração dos Surdos. Disponível em: Acesso em 17/03/2015.

GIL, A. C. Métodos e Técnicas de Pesquisa Social. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2009.

GIL, M. O que as empresas podem fazer pela inclusão de pessoas com deficiência. São Paulo: Instituto Ethos, 2002.

GURGEL, M. A. Pessoas com deficiência e o direito ao trabalho. Florianópolis: Obra Jurídica, 2007.

IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo 2010.

INES, O Instituto Nacional de Educação de Surdos/INES e a Educação de Surdos no Brasil – Aspectos da trajetória do Instituto Nacional de Educação de Surdos em seu percurso de 150 anos. v.01, dez/07. Rio de Janeiro: INES. 2007.

IPECE, Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará. Panorama das Pessoas Portadoras de Alguma Deficiência no Ceará, Fortaleza, 2012. Disponível em < http://www.ipece.ce.gov.br/publicacoes/EnfoqueEconomicoN23_27_02_2012.pdf> . Acesso em 24 de Março de 2015.

KLEIN, M.. Os discursos sobre surdez, trabalho e educação e a formação do surdo trabalhador. A surdez: um olhar sobre as diferenças. Porto Alegre: Mediação, p. 75-93, 1998.

LEITE, T. A. A segmentação da Língua de Sinais Brasileira (Libras): Um estudo linguístico descritivo a partir da conversação espontânea entre surdos. Tese de doutorado. São Paulo: USP. 2007.

LURIA, A. R. Pensamento e linguagem: as últimas conferências de Luria. Artes Médicas, 1986.

MAZZOTTA, M. J. S. Educação especial no Brasil: história e políticas públicas. 4. ed. São Paulo: Cortez, 2003.

PAIVA, A. P. et al. A Inclusão do Surdo no Mercado de Trabalho. 2013.

PINTO, B. D. et al. Inclusão e Permanência da Pessoa Surda no Mercado Formal de Trabalho. 2009.

RAIS, Relação Anual de Informações Sociais. Características do Emprego Formal segundo a RAIS; 2010. Disponivel em Acesso em 20 de Março de 2015.

SALLES, H. M. M. L. et al. Ensino de Língua Portuguesa para Surdos, vol. 1 - caminhos para a pratica pedagógica, Programa Nacional de Apoio à Educação dos Surdos, 2004.

SASSAKI, R. K. Inclusão – Construindo uma sociedade para todos. 7. Ed. Rio de Janeiro: WVA, 2006.

SASSAKI, R. K. Inclusão: construindo uma sociedade para todos. 1. ed. Rio de Janeiro: WVA, 1997.

SILVA, O. M. da. A epopéia Ignorada: A pessoa deficiente na história do mundo de ontem de hoje. São Paulo: CEDAS, 1987.

SILVEIRA, F. F. R. As representações sociais dos surdos e a construção das suas identidades. 2009. Tese (Doutorado em Psicologia Social, do Trabalho e das Organizações) - Universidade de Brasília, Brasília, 2009.

SOUSA, W. P. de A. A Inclusão da Pessoa Surda: Especificidades no Âmbito Educacional. 2010.

TELES, H. F. R. A Aceitação do Deficiênte Auditivo no Mercado de Trabalho. 2011.

VIOTTI, E. Introdução aos Estudos Linguísticos. Curso de Letras/Libras – UFSC. 2006.

XAVIER, A. N. Descrição fonético-fonológica dos sinais da Língua de Sinais Brasileira (LSB/Libras). Dissertação de mestrado em Linguística. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH)- USP. 2006.




DOI: https://doi.org/10.14295/idonline.v11i34.685

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A Id on Line é indexada nas seguintes bases de dados: