Sexo, Gênero, Sexualidade: Via(da)gens em Conceitos

Antoniel dos Santos Gomes Filho, Cicero Edinaldo dos Santos, Lielton Maia Silva

Resumo


O objetivo desse texto é realizar uma via(da)gem (sem ponto de chegada) dialógica nos conceitos de sexo, gênero e sexualidade, a partir de alguns textos oriundos das teorias feministas, sociais e queer/transviadas, advindos tanto do eixo euro-americano como das produções nacionais, promovendo assim um diálogo entre esses saberes e dizeres com os processos educacionais no âmbito escolar. Utilizando-se da abordagem qualitativa com base numa revisão bibliográfica, produzimos uma discussão que tenta responder as seguintes questões, a saber: Quais são as ideias e ideais de sexo, gênero e sexualidade embasados nas hetero-normas? Sócio-historicamente de onde surgem ou se organizam essas ideias e ideais?


Palavras-chave


Sexo, Gênero, Sexualidade; Educação; Estudos Transviados.

Texto completo:

PDF

Referências


ABRAMOVAY, M. et al. Juventude e sexualidade. Brasília: UNESCO Brasil, 2004.

BENTO, B. Na escola se aprende que a diferença faz a diferença. In: Revista Estudos Feministas, v. 19, n. 2, Florianópolis, 2011.

______. O que pode uma teoria? Estudos transviados e a despatologização das identidades trans. In: Florestan, n. 2, p. 46, 2014.

BORRILLO, D. Homofobia: história e crítica de um preconceito. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2010.

BOURDIEU, P.; PASSERON, J-C. A reprodução: elementos para uma teoria do sistema de ensino. Rio de Janeiro: Livraria Francisco Alves Editora S.A., 1975.

BUTLER, J. Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade. 2. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2008.

DIAS, M. O. L. S. NOVAS SUBJETIVIDADES NA PESQUISA HISTÓRICA FEMINISTA: UMA HERMENÊUTICA DAS DIFERENÇAS. In: Revista Estudos Feministas, v. 2. n. 2, 1994.

FACCHINI, R. “Sopa de letrinhas”? – movimento homossexual e produção de identidades coletivas nos anos 90: um estudo a partir da cidade de São Paulo. (Dissertação de Mestrado) – Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP: 2002.

FAUSTO-STERLING, A. Dualismos em Duelo. In: Cadernos Pagu, v. 17-18, p. 9-79, 2002.

______. Los cinco sexos. 1993. Disponível em: < http://www.sigla.org.ar/index.php?option=com_content&view=article&id=94%3Alos-cinco-sexos1&Itemid=104 > | < https://www.google.com.br/?gws_rd=ssl# >. Acesso em: 20 Out. 2016.

FRY, P.; MACRAE, E. O que é homossexualidade. São Paulo: Brasiliense, 1985.

GAMSON, J. As sexualidades, a teoria queer e a pesquisa qualitativa. In: DENZIN, N. K.; LINCOLN, Y. S. O planejamento da pesquisa qualitativa: teorias e abordagens. Porto Alegre: Artmed, 2006.

GOMES FILHO, A. S. Estudos Transviados: algumas reflexões. In: Revista Interfaces: saúde, humanas e tecnologia, n. 11, v. 3, 2016.

GOMES FILHO, A. S. et al. “MENINAS PARA UM LADO, MENINOS PARA O OUTRO”: QUESTÕES DE GÊNERO E SEXUALIDADE NA ESCOLA. In: Anais do XV Encontro de Pós-graduação e Pesquisa da Universidade de Fortaleza-UNIFOR. Fortaleza-CE: UNIFOR, 2015.

GOMES FILHO, A. S.; SANTOS, C. E. HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO E TEORIA QUEER: diálogos possíveis no processo de ensino-aprendizagem. In: Revista do Lhiste, n.3, v.2, jul/dez, 2015.

HOHENDORFF, J. V. Como escrever um artigo de revisão sistemática. In: KOLLER, S. H.; COUTO, M. C. P. P.; HOHENDORFF, J. V. (Orgs.). Manual de produção científica. Porto Alegre: Penso, 2014.

JUNQUEIRA, R. D. Introdução: Homofobia nas Escolas: um problema de todos. In: JUNQUEIRA, R. D. (Org.). Diversidade Sexual na Educação: problematizações sobre a homofobia nas escolas. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade, UNESCO, 2009.

LAQUEUR, T. La construción del sexo: cuerpo y género desde los griegos hasta Freud. Madrid: Ediciones Cátedra, 1994.

LE BRETON, D. Antropologia del cuerpo y modernidade. Buenos Aires: Nueva Visión, 2002.

LOURO, G. L. (Org.). O corpo educado: pedagogias da sexualidade. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2000.

______. Um corpo estranho – ensaio sobre sexualidades e teoria queer. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2015.

MISKOLCI, R. Teoria Queer: um aprendizado pelas diferenças. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica Editora: UFOP – Universidade Federal de Ouro Preto, 2013.

MOTT, L. AINDA A BARBÁRIE. In: Revista de História da Biblioteca Nacional, 2015.

PADILHA, F.; FACIOLI, L. É O QUEER TEM PRA HOJE? CONVERSANDO SOBRE AS POTENCIALIDADES E APROXIMAÇÕES DA TEORIA QUEER AO SUL DO EQUADOR – ENTREVISTA COM BERENICE BENTO. In: Áskesis, v. 2, n. 1, p. 143-155, Porto Alegre, 2015.

RUBIN, G. Tráfico sexual – entrevista. Gayle Rubin com Judith Butler. In: Cadernos pagu, n. 21. p. 157-209.

SANTOS, B. S.; MENESES, M. P. (Orgs.). Epistemologias do Sul. São Paulo: Editora Cortez, 2010.

SCOTT, J. GÊNERO: UMA CATEGORIA ÚTIL PARA ANÁLISE HISTÓRICA. Tradução: Dabat, C. R.; Ávila, M. B. 1990.

VALE, A. F. C. O riso da paródia: transgressão, feminismo e subjetividade. In: VALE, A. F. C.; PAIVA, A. C. S. (Orgs.). Estilísticas da sexualidade. Fortaleza: Programa de Pós-graduação em Sociologia da Universidade Federal do Ceará; Campinas: Pontes Editores, 2006.

WEEKS, J. O corpo e a sexualidade. In: LOURO, G. L. (Org.). O corpo educado: pedagogias da sexualidade. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2000.




DOI: https://doi.org/10.14295/idonline.v10i33.629

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A Id on Line (ISSN: 1981-1179) é indexada nas seguintes bases de dados: