Políticas Públicas e Organizações na Educação do Surdo

Edjonas Silvana Lopes, Francimária Sousa Santos Silvana, Anny Caroline Costa Vieira, Gislene Farias de Oliveira

Resumo


Este trabalho pretende refletir sobre as políticas públicas para a educação dos Surdos no Brasil, desde o século XIX quando um decreto imperial fez nascerem os primeiros institutos para o atendimento as pessoas cegas e surdas. Ressaltando ainda a fundação do INES, Instituto Nacional de Educação de Surdos, o qual oferece ensino formal e ensino profissionalizante para surdos. A Língua Brasileira de Sinais – Libras, é conhecida como a língua dos surdos, ela não é apenas gestos e mímicas, mas trata-se e uma combinação sistemática de gestos e mímicas acrescida da expressão facial e movimentos corporais, o que possibilita uma perfeita comunicação dos surdos com outros surdos e de surdos com os ouvintes que compreendem a língua. O bilinguismo é uma proposta educacional para o Surdo, onde possibilita o mesmo estudar e comunicar-se com duas línguas distintas, a Libras e a Língua Portuguesa. Diversas Leis, Decretos e Resoluções foram elaboradas e divulgadas pensando na inclusão de pessoas com deficiência no Brasil, cabe então aos estados e municípios executarem o que foi dito nos textos legais, visando dessa maneira proporcionar uma maior participação efetiva dessas pessoas na sociedade e preparação para o mercado de trabalho.

 


Palavras-chave


Surdos. Leis. Libras. Bilinguismo.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Ministério da Educação. Secretária de Educação Especial. Marcos Políticos-legais da Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva/ Secretaria de Educação Especial, -2010. 72p. Brasília.

BRASIL. LDB - Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. 11ª edição. Câmara dos Deputados. Brasília/2015.

DECHICHI, C. SILVA, L.C.da. FERREIRA, J. M.( Organizadoras) CURSO BÁSICO: educação especial educacional e atendimento educacional especializado. Série: Material Didáttico v.1. Uberlândia: EDUF, 2012.

DECLARAÇÃO DE SALAMANCA. Espanha, 1994.

FELIPE, T. Políticas para Inserção da Libras na Educação de Surdos. Em Contexto. Libras Artigo Publicado pela Revista Informativ – Científico Espaço, INES – Rio de Janeiro. N. 25/26, pp 33-47; janeiro-dezembro/2006.

GUIMARÃES, G. BORBA, R. Reflexões sobre o ensino de Matemática nos anos iniciais de escolarização. Recife: SBEM, 2009.

JANNUZZI, G. A luta pela educação da pessoa com deficiência mental no Brasil. Campinas/SP: Editores Associados, 1992.

QUADROS, R.M. de. Alfabetização e o ensino da língua de sinais. Textura, Canoas n3 p. 54, 2000.

MAZZOTA, M. J.S. Educação Especial no Brasil: História e Políticas. São Paulo: Cortez, 1996.

MATTOS, L.C. Educação e Surdez: Por uma Melhor Qualidade de Vida. (UERJ), 2002.

MOURA, C. P. R. de. Educação Inclusiva: Desafios e Perspectivas. Revista Educare/ ISEIB – Montes Claros –MG. V. 2/2006.

ROCHA, S. Histórico do INES. Espaço – Informativo Técnico – Científico [do] INES. Edição comemorativa, 140 anos. Belo Horizonte: Líttera, 1997.

SILVA, K.M.de S.C. SILVA, L. C. da Silva. REIS, F. CURSO BÁSICO: Educação especial educacional e atendimento educacional especializado. Série: Material Didáttico v.1. Uberlândia: EDUF, 2012.




DOI: https://doi.org/10.14295/idonline.v10i32.588

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A Id on Line (ISSN: 1981-1179) é indexada nas seguintes bases de dados: