Assistência de enfermagem a criança e ao adolescente em situação de violência doméstica

Rosana Alves de Melo, Sinara de Lima Souza, Cristiane Souza Bezerra, Flávia Emília Cavalcante Valença Fernandes

Resumo


Objetivo: Analisar a produção científica nacional e internacional, acerca dos aspectos que envolvem a assistência de enfermagem a crianças e adolescentes em situação de violência doméstica. Métodos: Artigos indexados nas bases de dados: Literatura Latino-Americana em Ciências da Saúde, Medical Literature and Retrieval System Online e Base de Dados em Enfermagem, publicados no período de 2008 a 2014. Resultados: Os enfermeiros não compreendem a violência doméstica em todos os seus aspectos. A falta de conhecimento científico sobre o assunto, a inexistência de protocolos nos serviços que direcionem as condutas profissionais, a desarticulação da equipe multiprofissional e o descrédito na rede de proteção são os principais limites e desafios na prestação da assistência de enfermagem a crianças e adolescentes em situação de violência doméstica. Conclusão: Há necessidade de investir no ensino dentro das instituições formadoras e assistenciais, para favorecer a reflexão dos enfermeiros no desenvolvimento de práticas assistencialistas humanizadas e efetivas no combate à violência doméstica.


Palavras-chave


Violência doméstica; Criança; Adolescente; Enfermagem.

Texto completo:

PDF

Referências


ARAGÃO, A.S., ET AL. Abordagem dos casos de violência à criança pela enfermagem na atenção básica. Rev. Latino-Am. Enferm. Jan.-fev. 2013.

ABRANCHES C.D., ASSIS S.G. A (in)visibilidade da violência psicológica na infância e adolescência no contexto familiar. Caderno de Saúde Pública, Rio de Janeiro, p. 843-854, mai. 2011.

AZEVEDO, M.A.; GUERRA, V.N.A. (orgs.) (1993). Infância e violência doméstica: fronteiras do conhecimento. São Paulo: Cortez. 6ª ed., 2011.

APOSTÓLICO, M.A.; HINO, P.; EGRY, E.Y. Possibilities for addressing child abuse in systematized nursing consultations. Rev. Esc. Enferm. USP. Vol. 47, n.2, São Paulo, abr. 2013.

BARBOSA, P.Z.; PEGORARO, R.F. Violência doméstica e psicologia hospitalar: possibilidades de atuação diante da mãe que agride. Rev. Saúde Soc. 2008;17(3):77-89.

BRASIL. Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). Lei 8.069 de 13 de julho de 1990. Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente e dá outras providências. 1990.

BRASIL. Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal. Manual para Atendimento às Vítimas de Violência na Rede de Saúde Pública do Distrito Federal. In.: Vilela, LF (coord.) – Brasília: Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal, 2008.

CARVALHO, S.D. O enfermeiro e o cuidar multidisciplinar na saúde da criança e do adolescente. São Paulo: Editora Atheneu, 2012.

COSTA, M.C.O.; ET AL. Violência e vitimização na infância e adolescência: a inclusão da escola na reconhecimento e prevenção. Feira de Santana: UEFS Editora, 2013. 80 p.:il.

CHUNG, E.K.; ET AL. Parenting attitudes and infant spanking: the influence of childhood experiences. Pediatrics. 2009; 124(2):278-86.

DIAS, E.P.; ET AL. Enfermeiros no Atendimento de Casos de Violência Doméstica Infantil em Unidades Básicas de Saúde. Rev. Levs/Unesp-Marília, 12 ed., 2013.

FALEIROS, V.P.; FALEIROS, E.S. Ministério da Educação. Escola Que Protege: Enfrentando a violência contra crianças e adolescentes. Brasília: Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade, 2 ed., 2008.

FERRARI, D.C.A., ET AL. Reconstrução de vidas: como prevenir e enfrentar a violência doméstica, o abuso e a exploração sexual de crianças e adolescentes. São Paulo: SMADS. SEDES Sapientae, 2008. 96 p.

GOMES, A.V.O., ET AL. A criança vítima de violência doméstica: limites e desafios para a prática de enfermagem. Rev. de Pesq.: cuidado é fundamental [online] 2010. abr/jun. 2(2):902-912.

JUCÁ, M. Palmada pedagógica. Rev. Psiq Cienc & Saúde, ano V, edição 57, set., 2010, p. 39-43.

LIMA, M.C.C.S. ET AL. Atenção profissional na atenção básica de saúde face à identificação e a notificação da violência infanto-juvenil. Revista Baiana de Saúde Pública. Salvador, p. 118-137, jan-jun. 2011.

MARCHEZAN, S.; ET AL. A enfermagem e a criança vítima de violência sob o olhar de Paterson &Zderad. CogitareEnferm, 2009, jan/mar; 14(1):44-51.

MOREIRA, T.N.F., ET AL. A construção do cuidado: o atendimento às situações de violência doméstica por equipes de saúde da família. Rev. Saúde & Soc. Vol. 23, n. 3, São Paulo Jul/Sep. 2014.

MONTEIRO, E.M.L.M.; ET AL. Violência contra crianças e adolescentes: rompendo o silêncio. Rev. Rene. Fortaleza, v. 10, nº 3, p. 107-116. Jul/set 2009

NIJAINE, K.; ASSIS, S.G.; CONSTANTINO, P. Curso Impactos da violência na saúde. In: Cavalcanti, FG; Schenker M. Violência, família e sociedade. Rio de Janeiro: Fundação Oswaldo Cruz – Fiocruz/EAD; 2009. p. 58-72.

PAIXÃO, G.P.N., ET AL. Violência intrafamiliar contra criança: atribuições do profissional de enfermagem. Rev. Eletr. Fainor, Vitória da Conquista, v.6, n.2, jul./dez. 2013. p.22-39.

PIERANTONI, L.M.M.; CABRAL, I.E. Crianças em situação de violência de um ambulatório do Rio de Janeiro: conhecendo seu perfil. Esc. Anna Nery. Rev. Enferm. 2009; 13(4):699-707.

PESCE, R. Violência familiar e comportamento agressivo e transgressor na infância: uma revisão da literatura. Rev. Cienc. Saúde Colet. 2009;14(2):507-18.

SALCEDO, B.D.M., ET AL. Violência doméstica e enfermagem: da percepção do fenômeno à realidade cotidiana. Avances en Enfermería. Vol. 29, n. 2. Jul-dez, 2011

SILVA, P.A.; ET AL. Notificação da violência intrafamiliar contra crianças e adolescentes na percepção dos profissionais de saúde. Rev. Ciências Cuidado e Saúde. v. 8, n. 1, jan.-mar., 2009. p. 56-62.

SILVA, L.M.P.; FERRIANI, M.G.C.; IOSSI, M.A. Atuação da enfermagem frente à violência sexual contra crianças e adolescentes. Rev. Bras. Enferm. V. 64, n. 5, Brasília, set/oct, 2011.

SOUZA, M.T.; SILVA, M.D.; CARVALHO, R. Revisão integrativa: o que é e como fazer. Rev. Einstein. 2010; 8(1):102-6.

THOMAZINE, A.M.; OLIVEIRA, B.R.G.; VIEIRA, C.S. Atenção a crianças e adolescentes vítimas de violência intrafamiliar por enfermeiros em serviços de pronto-atendimento. Rev. Eletr. Enf. [online]. 2009;11(4):830-40.

WOISKI, R.O.S.; ROCHA, D.L.B. Cuidado de enfermagem à criança vítima de violência sexual atendida em unidade de emergência hospitalar. Esc Anna Nery. Rev Enferm. Jan-mar, 2010; 14 (1): 143-50.

ZANELATTO, P.F. ET AL. Violência contra crianças e adolescentes: significados e atitudes por equipes da estratégia saúde da família. Rev. Ciencia y Enfermería XVIII, 2012. (2): 41-49.




DOI: https://doi.org/10.14295/idonline.v10i32.577

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A Id on Line (ISSN: 1981-1179) é indexada nas seguintes bases de dados: