Tópicos de Linguística e Literatura no Letramento e na Formação de Alfabetizadores

Eliabe Bezerra de Oliveira Silva

Resumo


O presente artigo tem como título “Tópicos de Linguística e Literatura no letramento e na formação de alfabetizadores” e trata de conhecimentos da Linguística e da Literatura que precisam de ressignificação na formação acadêmica inicial e contínua de professores alfabetizadores. O intuito deste trabalho não é dissertar a respeito de teorias e correntes da Linguística acerca do letramento inicial ou discorrer sobre fonologia da língua portuguesa, nem argumentar sobre Teoria, Crítica ou História da Literatura, mas é provocar reflexão e discussão a respeito de tópicos do arcabouço teórico da Linguística e da Literatura ausentes ou mal compreendidos na formação de pedagogos alfabetizadores e professores de Língua Portuguesa. Dentro dessa proposta, é imperativo fazer considerações breves também sobre mudanças paradigmáticas na formação de professores e sobre a implicação dos problemas analisados no percurso escolar dos estudantes. Sob o método da pesquisa bibliográfica, com cruzamento de fontes dos últimos dez anos e outras mais antigas, e interpretação de conteúdo, os argumentos foram construídos no sentido de retomar a importância do tema paralelamente a outros predominantes nos discursos acadêmicos. Araújo e Oliveira (2008) e Pimenta (1996), dentre outros, formam as referências de embasamento teórico e contribuem para o resultado da pesquisa: as fontes que tratam de letramento dão importância aos gêneros literários e conhecimentos linguísticos, em destaque a base fonêmica da língua portuguesa, mas as fontes que tratam de formação de professores permanecem com ênfase em outros temas. Logo, são necessárias pesquisas de campo na realidade escolar, da prática à teoria e da teoria à prática, que promovam novas aproximações e reflexões a respeito dos conhecimentos elencados no trabalho, a fim de mitigar problemas estruturais na alfabetização.

 


Palavras-chave


Linguística. Literatura. Letramento. Alfabetização. Formação de professores.

Texto completo:

PDF

Referências


ARAÚJO E OLIVEIRA, João Batista. ABC do Alfabetizador. Instituto Alfa e Beto: Brasília, 2008.

DEMO, Pedro. Pesquisa: princípio científico e educativo. São Paulo: Cortez, 1990.

FUSARI, José C. A educação do educador em serviço: treinamento de professores em questão. São Paulo, 1988. 250p. Dissertação (mestrado) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.

LÉVY, Pierre. Cibercultura. São Paulo: Editora 34, 1999.

MARCUSCHI, Luiz Antônio. Exercícios de compreensão ou copiação, nos manuais de ensino de línguas? [s.l.], [s.ed.], 1996. (Mimeogr.).

MORIN, Edgar. A cabeça bem feita: repensar a reforma, reformar o pensamento. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2003.

PIMENTA, Selma Garrido. Formação de professores – saberes da docência e identidade do professor. Revista da Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, v.22, n.2, p. 72-89, jul. / dez. 1996.

RANGEL, Egon de Oliveira. Letramento literário e livro didático de Língua Portuguesa: “os amores difíceis”. In Literatura e letramento: espaços, suportes e interfaces – o jogo do livro. Belo Horizonte: Autêntica/CEALE/FaE/UFMG, 2005.

SAVIANI, Dermeval. História das ideias pedagógicas no Brasil. Campinas: Autores Associados, 2007. 473p.

SHÖN, Donald. Educating the reflective practitioner. San Francisco: Jossey-Bass, 1990.

ZILBERMAN, Regina. Letramento literário: não ao texto, sim ao livro. In Literatura e letramento: espaços, suportes e interfaces – o jogo do livro. Belo Horizonte: Autêntica/CEALE/FaE/UFMG, 2005.




DOI: https://doi.org/10.14295/idonline.v10i32.558

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A Id on Line (ISSN: 1981-1179) é indexada nas seguintes bases de dados: