Surdez e Escolarização: Língua, Subjetividade e Alfabetização

Lauro Araújo Mota

Resumo


O presente trabalho é resultado de um conjunto de discussões e reflexões que vêm sendo realizadas pelo autor sobre questões relacionadas aos processos de produção da surdez,envolvendo aspectos como a constituição da subjetividade, o uso da língua de sinais e as possibilidades de letramentos e alfabetização, bem como as várias semioses que podem ser utilizadas pelos/com os surdos na escola. O objetivo do trabalho foi refletir sobre a condição de surdez e problematizar como ela implica e mobiliza o campo escolar. A pesquisa bibliográfica foi embasada nos trabalhos de Souza (2006), Martins (2006), Nascimento e Lima (2015), Solé (2005), Luz (2013). As discussões centram-se, num primeiro momento no papel da linguagem (falar e ouvir mais especificamente) na constituição da subjetividade das crianças surdas, e posteriormente abordamos aspectos relacionados à escolarização dos surdos sob o viés da leitura e da escrita e a necessidade de utilização de outras semioses para assegurar a aprendizagem dos alunos surdos.

Palavras-chave


Surdez. Escolarização. Leitura e escrita

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, C. B; FERREIRA, J. de P.; DAMÁZIO, M. F. A educação escolar na perspectiva da Inclusão escolar: abordagem bilíngüe na escolarização das pessoas com surdez. Brasília/MEC/SEESP. Fortaleza: Universidade Federal do Ceará, 2010. Vol.4 (Coleção A Educação Especial na perspectiva da Inclusão Escolar)

LINS, H. A. de M. Leitores surdos: reflexões a partir de algumas histórias de apropriação. In: LINS, H. A. de M (Org.) Leitores na contramão. Campinas:SP: Edições Leituras crítica, 2012.

LINS, H. A. de M. Cultura visual e pedagogia da imagem: recuos e avanços nas práticas escolares. Educação em Revista. Belo Horizonte. V. 30, n.1,p. 245-260, mar.2014

LINS, H. A. de M.; CABELLHO, j. O ensino de língua de sinais e sua escrita também em questão: tecnologias, temporalidades e valoração numa perspectiva bakthiniana. 2016 (no prelo)

LUZ, R. D. Cenas surdas: os surdos terão lugar no mundo ¿São Paulo: Parábola, 2013.

MARTINS, V. R. de O. O que me torna invisível ¿ A psicanálise como ferramenta para entender o “apagamento” das diferenças na inclusão escolar de surdos. ETD- Educação Temática Digital, Campinas, v. 8, n. especial. p. 135-152, dez. 2006.

SKLIAR, C. Uma perspectiva sócio-histórica sobre a psicologia e a educação dos surdos. In: SKLIAR, C (Org.). Educação e exclusão: abordagens sócio-antropológicas em Educação Especial. 4ª Ed. Porto Alegre: Mediação, 2004.

SKLIAR, C. Um olhar sobre o nosso olhar a cerca da surdez e das diferenças. In: SKLIAR, C. (Org.) A surdez. 4ª Ed. Porto Alegre: Mediação, 2010.

SOLÉ, M. C. P. O sujeito surdo e a psicanálise: uma outra via de escuta. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2005.

SOUZA, R. M. de. Língua de Sinais e Escola: considerações a partir do texto de regulamentação do Língua Brasileira de Sinais. ETD- Educação Temática Digital. Campinas, v. 7, n. 2, p. 266-281, jun. 2006.

VYGOTSKY, L. S. Pensamento e Linguagem. 2ª ed. São Paulo: Martins Fontes, 2001

VYGOTSKY, L. S. A formação social da mente. São Paulo: Martins Fontes, 2004.




DOI: https://doi.org/10.14295/idonline.v10i31.491

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A Id on Line (ISSN: 1981-1179) é indexada nas seguintes bases de dados: