O Uso de Substâncias Psicoativas em Idosos

Ana Nery de Castro Feitosa, Leandro de Andrade Ferreira, Adriano Monteiro de Oliveira, José Kleidir de Castro Feitosa

Resumo


O envelhecimento humano é um processo gradual que envolve vários fatores e acarreta mudanças físicas, psicológicas e sociais, percebidas de acordo com a vivência individual. A aposentadoria configura-se como uma das mais importantes mudanças, resultando em alterações significativas em todas as esferas da vida. Neste contexto, este artigo tem como objetivo apresentar os resultados de um estudo realizado para investigar o uso de substâncias psicoativas por idosos em tratamento em um Centro de Atenção Psicossocial Álcool e outras Drogas, CAPS, localizado no município de Fortaleza, Ceará, Brasil. Como resultados, tem-se que: a maioria dos idosos em tratamento na instituição é do sexo feminino (53%) e possui entre 66 e 70 anos (41,8%); a substância psicoativa de maior incidência é o tabaco (39%), atingindo principalmente as mulheres (76,19%); o álcool, por sua vez, atinge principalmente o sexo masculino (83,3%), também reflexo de um padrão social em que bebida alcoólica era “coisa de homem”, contudo, atualmente, a sociedade assiste a um número crescente do alcoolismo feminino.

 

 


Palavras-chave


Substâncias psicoativas; Idoso; CAPS

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Saúde mental no SUS: os Centros de Atenção Psicossocial. Brasília: Ministério da Saúde, 2004.

BRASIL. Lei n.º 10.741, de 1 de outubro de 2003. Dispõe sobre o Estatuto do Idoso. Disponível em: Acesso em: 20 Out. 2015.

BRASIL. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo Demográfico Brasileiro 2010. Disponível em: Acesso em: 07 abr. 2011.

DEBERT, G. G.; SIMÕES, J. A. Envelhecimento e Velhice na Família Contemporânea. In: FREITAS, E. V. et al. Tratado de Geriatria e Gerontologia. 2 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2006.

HIRATA, E. S. Tratamento do Alcoolismo no Idoso. In: BRASIL. Secretaria Nacional sobre Drogas. Tratamento das Dependências Químicas – Aspectos Básicos. Brasília: SENAD, 2002.

LOUREIRO, C.; VIANNA, F. C. Sobre a Experiência de Morte no Fenômeno das Dependências. In:

SILVEIRA, D. X. e MOREIRA, F. G. Panorama Atual de Drogas e Dependências. São Paulo: Atheneu, 2006.

SILVEIRA, D. X.; MOREIRA, F. G. Reflexões Preliminares sobre a Questão das Substâncias Psicoativas. In: SILVEIRA, D. X. e MOREIRA, F. G. (org.) Panorama Atual de Drogas e Dependências. São Paulo: Atheneu, 2006.




DOI: https://doi.org/10.14295/idonline.v10i30.473

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2021 Ana Nery de Castro Feitosa, Leandro de Andrade Ferreira, Adriano Monteiro de Oliveira, José Kleidir de Castro Feitosa

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

A ID on line. Revista de psicologia (ISSN: 1981-1179) é indexada nas seguintes bases de dados: