Repercussões Psicossomáticas na Epiderme Humana

Marianna Leite Barroso, Maria Ayrlles Macêdo

Resumo


Na atualidade, parece haver um incremento quanto aos estudos que envolvem uma integração entre  aspectos biológicos e psicológicos, mais especificamente entre corpo e estado psíquico. O presente estudo pretende analisar, através de revisão teórica, achados teóricos da Psicologia associados a dermatologia, de maneira a permitir reflexão crítica a respeito do tema e, vislumbrar seus novos rumos. A  Psicologia quando associada a dermatologia, compõe um ramo das ciências  que estuda problemas dermatológicos, que são causados e/ou influenciados por fatores psicológicos. Sabe-se que há uma comunicação entre o sistema nervoso, que  torna  a pele altamente sensível às emoções, independente da nossa consciência. Dessa forma, a  pele é muitas vezes uma expressão dos nossos sentimentos, mesmo quando não estamos cientes de tal fato. Conclui-se que ao tratarmos sobre as doenças de pele, é preciso considerar também o ser humano como um ser integral, onde aspectos sociais, psicológicos e biológicos estão em constante interação.


Palavras-chave


Pele, Psicossomática, Dermatologia

Texto completo:

PDF

Referências


AZAMBUJA, R. D. Dermatologia Integrativa: a pele em novo contexto. Anais brasileiro de Dermatologia, v. 75, n. 4, p. 393-420, 2000.

AZULAY, R; AZULAY, D. Dermatologia. Guanabara: Koogan, 1997.

BECHELLI, L. M.; CURBAN, G. V. Compêndio de dermatologia. São Paulo: Atheneu, 1988.

CARDOSO, F. A. A fala incontida no corpo. Revista da Associação Brasileira de Medicina Psicossomática, v. 4, p. 51-52, 2000.

DETHLEFSEN, T.; DAHLKE, R. A doença como caminho. São Paulo: Cultrix, 1997.

FITZPATRICK, T e Col. Dermatology. 3. ed. Nova York: International Edition, 1997.

FOLKS, D.; KINNEY, C. The role of psychological factors in dermatologic conditions. Psychosomatic, V. 33, n. 1, p. 42-54, 1992.

GINSBURG, I. The psychosocial impact of skin disease: an overview. Dermatologic clinics, v. 14, n. 3, p. 473 - 484, 1996.

GOLEMAN, D.; GURIN, J. Equilíbrio mente-corpo: como usar sua mente para uma saúde melhor. 3. ed. Rio de Janeiro: Campus, 1997.

GRODDECK, G. O homem e seu isso. São Paulo: Nova Fronteira, 1989.

JUNG, C. G. Fundamentos de Psicologia Analítica. 2. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 1985.

KOBLENZER, C. Psychosomatic concepts in dermatology. Archives of dermatology, v. 119, p. 501-512, 1983.

KOO, J; LEBWOHL, A. Psychodermatology: The mind and skin connection. American Academy of Fammily Physician, v. 11, n. 64, 2001.

MEDANSKY, R.; HANDLER, R.; RIEDGE, P. Dermatopsychosomatics: classification, physiology and therapeutic approaches. Journal of the American Academy of Dermatology, v. 5, n. 2, p. 125-136, 1981.

MOFFAERT, M. Psychodermatology: an overviem. Psychoterapy Psychosomatic, v. 58, p. 125- 136, 1992.

MONTAGU, A. Tocar o significado humano da pele. São Paulo: Summus, 1988.

MÜLLER, M. C. Um estudo psicossomático de pacientes com vitiligo numa abordagem analítica. 2001. 246 f. Tese (Doutorado em Psicologia) -- Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo.

SILVA, M. A D. Quem ama não adoece. São Paulo: Best Seller, 2002.

SPITZ, R. El primer año de vida del niño. Madrid: Aguilar, 1977.

STRAUSS, G. Skin disorders. Baltimore: Williams Wilkins, 1989.

WEINMAN, J.; PETRIE, K.; MORRIS, R. The illness perception questionaire: a new method for assessing the cognitive representation of illness. Psychology and health, v. 11, p. 431- 465, 1996.




DOI: https://doi.org/10.14295/idonline.v10i30.432

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A Id on Line (ISSN: 1981-1179) é indexada nas seguintes bases de dados: