Depressão no Idoso

Irineide Beserra Braga, Renata Cosme Santana, Débora Maria Gonçalves Ferreira

Resumo


O aumento da população de pessoas idosas é um fenômeno mundial. Apesar de sua relevância, a depressão é uma morbidade de difícil mensuração, isso se deve ao fato de que o quadro depressivo é composto de sintomas que traduzem estados de sentimentos que diferem acentuadamente em grau e, algumas vezes, em espécie. O objetivo desse trabalho foi realizar uma revisão da literatura sobre a depressão no idoso. Foram consultadas as bases de dados Scielo, Medline e Bireme, utilizando-se depressão, depressão no idoso, e doenças do envelhecimento como palavras-chave nos idiomas inglês e português, bem como livros clássicos pertinentes à temática,  como forma de delimitar a busca. As desordens do humor podem ser causadas ou exacerbadas pela presença de transtorno cerebral ou físico e pelo uso de substancias químicas. A depressão de inicio tardio está fortemente associada com desordens demenciais, podendo ser um preditor ou fator causal para demência subseqüente. Sabe-se, entretanto, que as síndromes depressivas do idoso são heterogeneas.


Palavras-chave


Depressão, Idoso, Envelhecimento

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.14295/idonline.v9i26.332

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A Id on Line (ISSN: 1981-1179) é indexada nas seguintes bases de dados: