Visita Domiciliar do Enfermeiro na Estratégia Saúde da Família: Sob o Olhar do Idoso / Nurses' Home Visit in the Family Health Strategy: From the Perspective of the Elderly

Gismária Bezerra Batista, Lucas Araújo Almeida, Clélia Patrícia da Silva Limeira

Resumo


Resumo: O envelhecimento da sociedade brasileira vem acontecendo de forma bem acelerada nos últimos tempos. As transformações na estrutura etária no Brasil incidiram dentre os anos 1940 e 1960, no qual a nação presenciou uma redução expressiva da mortalidade, conservando a fecundidade em níveis elevados. O aumento da expectativa de vida, na realidade, é uma conquista de qualquer nação. O estudo tem por objetivo principal identificar as percepções dos idosos em relação à visita domiciliar realizada pelo enfermeiro da atenção básica de saúde. O estudo foi desenvolvido através de uma pesquisa de campo, com recursos e procedimentos metodológicos qualitativos, por meio do uso dos instrumentos e técnicas: questionário e observação, no qual entrevistamos 10 idosos, durante o período de novembro de 2020 a dezembro de 2020. Como resultado o estudo, foi possível mostrar a importância da oferta do enfermeiro no cuidar em saúde ao idoso no âmbito familiar de forma a garantir ao usuário uma atenção qualificada. Como desafios foi possível identificar as dificuldades frente às ações desenvolvidas na Visita Domiciliar que precisam ser realizadas em caráter continuado de forma a garantir a melhoria da qualidade de vida da pessoa idosa e acompanhar suas demandas em família. Pode-se concluir que é necessário repensar as práticas das equipes de Atenção Básica para que a visita domiciliar seja vista como possibilidade para que ações de promoção da saúde sejam implementadas. E que apesar dos avanços ainda existe amplos desafios a serem superados para a oferta de uma assistência humanizada fundada no acolhimento domiciliar.

 


Palavras-chave


Visita domiciliar; Enfermeiro; Percepção do idoso

Texto completo:

PDF

Referências


ARAÚJO, M. F. M. et. Al. Experiência de prática sistematizada em visita domiciliária no contexto da saúde da família. Revista RENE, v. 9, n. 1, p. 137-145, 2008.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.

BERZIZNS, M. A. V. S. Cuidar Melhor e Evitar a Violência, Manual do Cuidador da Pessoa Idosa, p. 31, Brasília, 2008.

BRASIL. Constituição de 1988. Constituição da República Federativa do Brasil.

BRASIL. Ministério da Saúde. Conselho Nacional de Saúde. Resolução n. 466 de 12 de dezembro de 2013.

BRASIL. Portaria n° 1.395, de 10 de dezembro de 1999. Política de Saúde do Idoso.

BRASIL. Lei n.º 8.842, de 04 de janeiro de 1994: Dispõe sobre a política nacional do idoso, cria o Conselho Nacional do Idoso e dá outras providências.

BRASIL. Portaria nº 2.488, de 21 de outubro de 2011. Politica Nacional de Atenção Básica.

BRASIL. Política Nacional de Promoção da Saúde. 3ª ed. Brasília; Ministério da Saúde, 2010. 60 p. – (Série B. Textos Básicos de Saúde) (Série Pactos pela Saúde 2006; v. 7).

BRASIL. Lei nº 10.741, de 1º de outubro de 2003. Estatuto do Idoso.

BRASIL. Portaria nº 2.528 de 19 de outubro de 2006. Política Nacional de Saúde da Pessoa Idosa.

CARTAXO, H. G. O. et al. Percepção de idosas sobre o envelhecimento com qualidade de vida: subsídio para intervenções públicas. Rev. da Rede de Enfermagem do Nordeste, v. 13, n. 1, p.158-168, 2012.

CARVALHO, J. A. M.; WONG, L. R. A transição da estrutura etária da população brasileira na primeira metade do século XXI. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 24, n. 3, p. 597-605, mar. 2008.

DEBERT, G. G. A reinvenção da velhice: socialização e processos de reprivatização do envelhecimento. São Paulo: Universidade de São Paulo/Fapesp, 1999.

GAÍVA, M.A.M, SIQUEIRA, V.C.A. A prática da visita domiciliária pelos profissionais da estratégia saúde da família. Rev. Cuid. Saúde, v.10, n.4, p.674-704, 2011.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4 ed. São Paulo: Atlas, 2011

GOMES, M.F.; FRACOLLI, L.A.; MACHADO, B.C. Atenção domiciliar do enfermeiro na estratégia saúde da família. O Mundo Da Saúde, v. 39, n. 4, p. 470-475, 2015.

IBGE. Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo demográfico 2010.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍTICA. População brasileira envelhece em ritmo acelerado. Rio de Janeiro: IBGE, 2010.

KAWATA L.S., MISHIMA S.M., CHIRELLI M.Q. et al. Os desempenhos da enfermeira na saúde da família- Construindo competência para o cuidado. Texto Contexto Enf, Florianópolis, v.22, n.4, p.961-70, 2013.

LACERDA, M. R., OLINISKI, S. R. Familiares interagindo com a enfermeira no contexto domiciliar. Revista Gaúcha Enferm, v. 26, n. 1, p. 76-87, 2005.

LIONELLO, C.D.L. et al. O Fazer das Enfermeiras da Estratégia De Saúde Da Família Na Atenção Domiciliária. Rev. Gaúcha Enf, v. 33, n. 4, p. 103-110, 2012.

MASCARO, S. A. O que é velhice. In: Coleção Primeiros Passos (310). São Paulo: Brasiliense, 2004.

MANDÚ E.N.T., GAIVA M.A.M., SILVA M.A., SILVA A.M.N. Visita domiciliária sob o olhar do usuário do Programa de Saúde da Família. Texto & Contexto Enferm, v.17, n.1, p.131-140, 2008.

MIOTO, R. C. Família, trabalho com família e Serviço Social. Serviço Social em Revista,

Londrina, v. 12, n. 2, jan./jun. 2010.

MINAYO, Maria Cecília de Souza. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 14 ed. São Paulo: Hucitec, 2014. 407p.

Moreira, R.M., Santos, C.E.S., Couto, E.S., Teixeira, J.R.B., & Souza, R.M.M.M. Qualidade de vida, Saúde e Política Pública de Idosos no Brasil: uma reflexão teórica. São Paulo (SP): Revista Kairós Gerontologia, v.16, n.1, p.27-38, 2013.

NASCIMENTO, J.S., COSTA, L.M.C., SANTOS, R.M. et al. Visitas Domiciliares Como Estratégias de Promoção da Saúde pela Enfermagem. Rev. Bras. Promoc. Saúde, v.26, n.4, p.513-522, 2013.

NAVARRO, L. M; PENA, R.S. Política nacional de humanização como estratégia de produção coletiva das práticas em saúde. Escola Anna Nery, v. 14, n. 4, p. 848-855, 2013.

NERI, A. L.; Freire, S. A. (Orgs.). E por falar em boa velhice. Campinas: Papirus, 2000.

SANTOS, M. R. Atribuições Legais do Enfermeiro no Programa de Saúde da Família: Dificuldade e Facilidades. Boletim da Saúde, Porto Alegre, v. 17, n. 2, p. 37-40, 2013.

NORO, L.R.A; TORQUATO, S.M.T. Visita Domiciliar: Estratégia de aproximação a realidade social. Trab. educ. saúde, v. 13, n. 1, p. 145-157, 2014.

Organização Mundial da Saúde. Relatório mundial de envelhecimento e saúde, 2015.

PIRES, D. E. P. et al. Cargas de trabalho da enfermagem na saúde da família: implicações no acesso universal. Rev. Latino-Am. Enferm., v. 24, e2677, p. 1-9, 2016.

POLARO, S.H.I., GONÇALVES, L.H.T., ALVAREZ, A.M., Construindo o fazer gerontológico pelas enfermeiras das Unidades de Estratégia Saúde da Família. Rev.Esc. Enferm. USP, v.47, n.1, p.160-167, 2013.

SARTI, T. D.; MACIEL, E. L. N. Avaliação das ações de planejamento em saúde empreendidas por equipes de saúde da família. Cad. Saúde Pública, v. 28, n. 3, p. 537-548, 2012.

SILVA, A. A; BORGES, M.M.M.C. Humanização da Assistência de Enfermagem ao idoso em uma Unidade de Saúde da Família. Revista Enfermagem Integrada, v.1, n.1, p.11-24,2014.

SOUSA, M. F. A enfermagem reconstruindo sua prática: mais que uma conquista no PSF. Rev. Bras. Enferm, v. 53, n. 2, p. 25-30. 2012.

TEIXEIRA, S. M. Envelhecimento do trabalhador como expressão da questão social e as históricas formas de respostas da sociedade e do Estado. Editora Cortez. São Paulo. 2008.

VERRI, B.H.M.A. A Visita Domiciliar no Programa da Saúde da Família: Entre a Norma e o Cuidado. Campinas; 2006. Tese de Doutorado. Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Estadual de Campinas.

ZIMERMAN, G. I. Aspectos físicos, psicológicos e sociais do envelhecimento. Porto Alegre: Artmed, 2000.




DOI: https://doi.org/10.14295/idonline.v15i56.3138

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2021 Gismária Bezerra Batista, Lucas Araújo Almeida, Clélia Patrícia da Silva Limeira

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

A ID on line. Revista de psicologia (ISSN: 1981-1179) é indexada nas seguintes bases de dados: