Desafios na Execução de Projetos de Extensão Universitária e Responsabilidade Social em Contexto de Pandemia: Percepção de Gestores Docentes / Challenges in Executing University Extension and Social Responsibility Projects in a Pandemic Context: Perception of the Faculty Managers

Ingrid Soraya de Oliveira Sá, Léa Barbosa de Sousa, Regina Maria Aguiar Alves, Sílvia de Sousa Azevedo

Resumo


Resumo:  Percebe-se, através da história da legislação educacional brasileira, que a extensão acadêmica assume cada vez mais um papel de relevância na formação do estudante. A difusão e aplicação dos conhecimentos gerados pelas instituições de ensino superior através da extensão, enquanto instrumento de difusão e aplicação do ensino e da pesquisa numa perspectiva de benefício mútuo, evolui para uma conceção de extensão tornando a população envolvida em sujeitos da ação (Nogueira, 2005). A presente proposta de comunicação reflete sobre o contributo que as atividades realizadas no âmbito da extensão universitária, assente no compromisso de responsabilidade social, desenvolvidas no contexto de Pandemia, trouxe para a formação dos alunos em confinamento social. Este contributo aferido visa robustecer o projeto de doutoramento em fase inicial de construção sobre a temática, práticas pedagógicas inovadoras. Trata-se de um estudo exploratório de natureza quantitativa que procurou conhecer a percepção dos docentes gestores de extensão e responsabilidade social dos quinze cursos presenciais do Centro Universitário Inta-UNINTA, Brasil, fazendo uma abordagem das ações executadas no ano de 2020, ano em que a pandemia se intensificou impedindo a presencialidade de estudantes e professores na instituição. Utilizou-se como instrumento de recolha de dados, um breve questionário sobre a percepção docente de como as ações de extensão universitária foram afetadas no ano de 2020. O questionário foi aplicado em fevereiro de 2021, através do Google Forms®, com link enviado à Pró-reitoria de Extensão e Responsabilidade Social para encaminhamento aos professores gestores de todos os cursos de graduação presencial vinculados. Conclui-se que, apesar da ausência de presencialmente, houve envolvimento significativo nos projetos por parte dos professores e estudantes. As ações de extensão e responsabilidade social não foram interrompidas, tendo-se tornado mais necessárias, intensas e inovadoras. As ações de extensão envolvendo a responsabilidade social mais realizadas no referido período foram as lives beneficentes, a assistência psicológica utilizando ferramentas tecnológicas para atendimento não presencial a alunos e familiares e a oferta gratuita de telefonia móvel com internet para alunos carentes conseguirem acesso às aulas de forma não presencial.


 


Palavras-chave


Extensão Universitária; Responsabilidade social; Pandemia; Percepção docente

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Decreto nº 19.851, de 11 de abril de 1931. Estabelece o Estatuto das Universidades Brasileiras, 1931.

BRASIL. Lei nº 4.024, de 20 de dezembro de 1961. Fixa as Diretrizes e Bases da Educação Nacional, 1961.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988, 1988.

BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional, 1996.

BRASIL. Lei nº 13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação – PNE e dá outras providencias, 2014.

BRASIL. Resolução nº 7, de 18 de dezembro de 2018. Estabelece as Diretrizes para a Extensão na Educação Superior Brasileira e regimenta o disposto na Meta 12.7 da Lei nº 13.005/2014, que aprova o Plano Nacional de Educação – PNE 2014-2024 e dá outras providências, 2018.

BRASIL. PORTAL DO MEC. http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_ docman& view=download&alias=104251-rces007-18&category_slug=dezembro-2018 pdf&Itemid=30192. Acessado em 27 de maio de 2021.

CANO, Ignacio. Nas trincheiras do método: o ensino da metodologia das ciências sociais no Brasil. Sociologias, Ano 14, n. 31, p. 94-119, Porto Alegre, Set./Dez. 2012.

JEZINE, Edineide. As Práticas Curriculares e a Extensão Universitária. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA, 2. Anais do... Belo Horizonte. Disponível em: Acesso em: 27 mai. 2021.

MOTA, I. D., TENA, L. P. e SÉLLOS-KNOERR, V. C. O novo marco regulatório da extensão universitária no Brasil: uma contribuição para a política de promoção humana. Revista Brasileira de Direito, 2019, vol. 15, n. 3, pp, 79-110.

NOGUEIRA, M. D. P. Políticas de extensão universitária brasileira. Belo Horizonte: UFMG, 2005.

NOSELLA, P. Ética e pesquisa. Revista Educação e Sociedade. Campinas, vol. 29, n. 102, p. 255-273, jan./abr.2008. Disponível em: . Acesso em: 28 maio de 2021.

OLIVEIRA, Helena Wilhelm. Responsabilidade social: um novo olhar sobre o papel da universidade. In: ULLMANN, Reinholdo Aloysio. Sei em quem confiei: festschrift em homenagem a Norberto Francisco Rauch. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2004.

SANTOS, J. A. dos; DEUS, S. de. Um novo tempo da extensão universitária brasileira. Interfaces – Revista de Extensão da UFMG, Belo Horizonte, v. 2, n. 2, p. 6-16, jan./jun. 2014. Disponível em: .Acesso em: 28 maio 2021.

SESC - Métodos de pesquisa em Ciências Sociais: Bloco QuantitativoSão Paulo/CEBRAP São Paulo, 2016.

SOUZA, O. S. S. e FERREIRA, L. S. A regulamentação da extensão universitária no Brasil. Revista Mosaicum, 2008, 8, 57-64.




DOI: https://doi.org/10.14295/idonline.v15i55.3109

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Ingrid Soraya de Oliveira Sá, Léa Barbosa de Sousa, Regina Maria Aguiar Alves, Sílvia de Sousa Azevedo

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

A Id on Line (ISSN: 1981-1179) é indexada nas seguintes bases de dados: