Análise da Mortalidade Materna em uma Região do Interior do Ceará / Analysis of Maternal Mortality in an Interior Region of Ceará

Patrícia Ferreira Alves, Maira Pereira Sampaio Macêdo, David de Sousa Gregório, Samuel de Sousa Gregório, Martha Maria Macedo Bezerra

Resumo


Resumo: A mortalidade materna é um fator de relevância mundial, definido pela CID 10 como todo óbito que ocorreu no período gestacional ou até 42 dias após o término da mesma, independente da duração ou localização da gravidez. A presente pesquisa tem como objetivo identificar o número de casos de morte materna na 21ª CRES. Trata-se de um estudo epidemiológico descritivo, com abordagem quantitativa, com dados obtidos das bases do SIM, SINASC E DATASUS. A coleta de dados ocorreu no mês de janeiro de 2018 e foi realizada na 21ª CRES. A população estudada foi mulheres de 10 a 49 anos que vieram a óbito por causas obstétricas no período de 2007 a 2016. Foram notificados 34 casos de morte materna e a maior Razão de Mortalidade Materna (RMM) foi registrada no ano de 2016 (133,43) e a menor em 2008 (1,48) por 100.000 nascidos vivos. A morte materna obstétrica direta representou 56% dos casos e as indiretas 44% dos óbitos. Nota-se que duas faixas etárias representam a maior incidência do número de óbitos, sendo elas de 20 a 29 anos com 41% dos casos e de 30 a 39 anos representa 32%. Os óbitos investigados com informação de ficha síntese equivalem a 62%, os sem ficha síntese correspondem a 26% e os óbitos maternos não investigados correspondem a 11%. O enfrentamento da problemática da morte materna implica no envolvimento de diferentes atores sociais, de forma a garantir que as políticas públicas sejam, de fato, executadas e respondam às reais necessidades locais da população.

 

 


Palavras-chave


Morte materna; óbitos; período gestacional

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. PORTARIA Nº 1.119 DE 5 DE JUNHO DE 2008. Disponível em: http://www.hugv.ufam.edu.br/noticias/Portaria%20site.pdf. Acesso em 08/02/ 2018.

BRASIL. Guia de Vigilância Epidemiológica do Óbito Materno. Série A. Normas e Manuais Técnicos. 1.ª edição – 2009. Disponível em http://bvsms.saude.gov.br.

Acesso em 18/04/ 2018.

COSTA, A. A.R. Mortalidade Materna na Cidade do Recife. Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia - v. 24, nº 7. 2002. Disponível em:www.scielo.br. Acesso em 18/04/ 2018.

FERRAZ, L.; BORDIGNON, M. MORTALIDADE MATERNA NO BRASIL: UMA REALIDADE QUE PRECISA MELHORAR. Revista Baiana de Saúde Pública., 2012. v.36, n.2, p.527-538. 2015. Disponível em:www.scielo.br. Acesso em 18/04/ 2018.

LIMA, M. R. G. de. et al. Alterações maternas e desfecho gravídico-puerperal na ocorrência de óbito materno. CAD. SAÚDE COLET., 2017, Rio de Janeiro, 25 (3): 324-331. Disponível em:www.scielo.br. Acesso em 18/04/ 2018.

Martins A.C.S, Silva L.S. Epidemiological profile of maternal mortality. Rev Bras Enferm [Internet]. 2018;71(Suppl 1):677-83. [Thematic Issue: Contributions and challenges of nursing practices in collective health] DOI: http://dx.doi.org/10.1590/0034-7167-2017-0624

Organização Mundial de Saúde. Classificação Internacional de Doenças: décima revisão (CID-10). 4ª ed. v.2. São Paulo: Edusp, 1998. p. 143. Disponível em:www.scielo.br. Acesso em 18/04/ 2018.

PERAÇOLI, J.C; PARPINELLI, M.A. Síndromes hipertensivas da gestação: identificação de casos graves. Rev Bras Ginecol Obstet. 2005; 27(10): 627-34.

Portela, N. L. C., et al. Mortalidade materna no estado do Maranhão no período de 2006 a 2010. Revista Interdiciplinar v. 8, n. 3, p. 75-82, jul. ago. set. 2015. Disponível em:www.scielo.br. Acesso em 18/04/ 2018

VEGA, C.E.P. et al. Mortalidade materna tardia: comparação de dois comitês de mortalidade materna no Brasil. Cad. Saúde Pública., 2017; 33(3): e00197315. Disponível em:www.scielo.br. Acesso em 18/04/ 2018.

WADERLEY, R. M. M. et al. PERFIL DA MORTALIDADE MATERNA. Rev enferm

UFPE on line., Recife, 11(Supl. 4):1616-24, abr., 2017. Disponível em:www.scielo.br. Acesso em 18/04/ 2018.

.IBGE. Censo Demográfico. 2013. Disponível em www.ibge.gov.br. Acesso em 18/05/2018.

.SESA-CE. Informe Epidemiológico Mortalidade Materna. 2015. Disponível em www.saude.ce.gov.br. Acesso em 18/04/ 2018.

.SESA-CE. Secretária de Saúde do Estado do Ceará. 2018. Disponível em www.saude.ce.gov.br. Acesso em 18/05/ 2018.




DOI: https://doi.org/10.14295/idonline.v15i55.3081

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Patrícia Ferreira Alves, Maira Pereira Sampaio Macêdo, David de Sousa Gregório, Samuel de Sousa Gregório, Martha Maria Macedo Bezerra

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

A Id on Line (ISSN: 1981-1179) é indexada nas seguintes bases de dados: