Percepção do Núcleo de Apoio a Saúde da Família no Processo Interdisciplinar de Trabalho / Perception of the Family Health Support Center in the Interdisciplinary Work Process

Alexandra Rosendo de Oliveira Brito, Leice de Brito Pereira, Lorena de Souza Lobo, Ronaldo de Lima Nunes, Maria Aparecida de Barros Saraiva, Carmelita Maria Silva Sousa, Pedro Walisson Gomes Feitosa, Cicera Leice Silva Marque, Janaina Brito Alves, Wilma José de Santana, Dayse Christina Rodrigues Pereira Luz

Resumo


Resumo: O presente estudo teve como objetivo analisar o processo interdisciplinar dos profissionais do Núcleo de Apoio a Saúde da Família na cidade de Juazeiro do Norte – Ceará. A princípio traçou-se o perfil dos profissionais, identificou-se as ferramentas utilizadas no NASF em sua organização de trabalho e verificou-se quanto a organização do processo de trabalho do NASF com foco nos territórios de suas responsabilidades como forma de priorizar ás ações de suas competências, acontecem de forma interdisciplinar entre as equipes de Saúde da Família. A amostra para o estudo foi composta por 13 profissionais das referidas equipes cujos resultados estão organizados em 5 categoria: 1. Capacitação profissional. 2. Trabalho interdisciplinar. 3. Percepção dos profissionais das unidades sobre as responsabilidades do NASF. 4. Avaliação e metas para o desenvolvimento do processo de trabalho do NASF, sob a ótica dos profissionais .5. Realização Profissional. Por fim, constatou-se mediante análise dos resultados que os participantes da pesquisa avaliam de forma positiva o trabalho interdisciplinar nas unidades e vêm como mecanismo importante de ajuda no desenvolvimento das ações e estratégias, proporcionando um trabalho com qualidade para os usuários e consequentemente melhores resultados para a qualidade de vida.

Palavras-chave


Política de Saúde; Assistência; Interdisciplinaridade

Texto completo:

PDF

Referências


ABRANTES, Letícia. Como as mulheres tem ganhado espaço no mercado de trabalho. 8 de Março de 2017. Disponível em: HTTPS://saiadolugar.com.br. Acesso em 20/11/2017.

AGUIAR, Zenaide Neto (org.) SUS: Sistema Único de Saúde – antecedentes, percurso, perspectivas e desafios. São Paulo: Martinari, 2015.

ALVES, V.S. Um modelo de educação em saúde para o programa saúde da família: pela integralidade da atenção e reorientação do modelo assistencial. Interface: Comunicação, saúde e Educação, 19 (16), p. 39-52, 2005.

ANDRADE, L.O.M.; BARRETO, I.C.H.C.; BEZERRA, R. C.; SILVA, R. M. Atenção primária à saúde e estratégia de saúde da família. In: Campos GWS, Minayo MCS, Akerman M. Drumond Jr. M. Carvalho,YM, organizadores. Tratado de saúde coletiva . São Paulo: Editora Hucitec/ Rio de Janeiro: Editora Fiocruz; 2012, p. 845-901.

BARBOSA, Walter. Padre Cícero: pessoas, fotos e fatos. 2. Ed. Fortaleza: Editora IMEPH, 2011.

BARDIN, L. Análise de Conteúdo. Lisboa, Portugal; Edições 70, LDA, 2009.

BATISTA, Karina Barros Calife. GONÇALVES, Otília Simões Janeiro. Formação dos Profissionais de Saúde para o SUS: significado e cuidado. Saúde Sociedade. São Paulo, v. 20, n 4, p. 884-899, 2011.

BEHRING, Elaine Rossetti; BOSCHETTI, Ivanete. Política social: fundamentos e história. – 9. Ed. - São Paulo: Cortez, 2011. (Biblioteca básica de serviço social; V. 2).

BENITES, Afonso. PEC 241: projeto que limita gastos públicos será divisor de águas para Temer. Brasília 8 DEZ 2016–14:22 CET. Disponível em http://agenciabrasil.ebc.com.br Acesso em 08/08/2017.

BORGES, Adriano. Especialização profissional: entenda a importância para a sua carreira. IGC, publicado em 05 de Maio de 2017. Disponível em: http://igceducacao.com.br. Acesso em 21/11/2017.

BRASIL, Associação Paulista de Medicina. SUS: O que Você Precisa Saber Sobre o Sistema Único de Saúde, volume 1. São Paulo: Editora Atheneu, 2008.

BRASIL, Conselho Federal de Serviço Social - CFESS. Parâmetros Para a Atuação de Assistentes Sociais na Saúde. Brasília: 2009.

BRASIL. Conselho Nacional de Secretários de Saúde. Sistema Único de Saúde. Brasília: CONASS, 2011. 291 p. (Coleção Para Entender a Gestão do SUS 2011, 1).

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Senado Federal Subsecretaria de Edições Técnicas, 2006.

BRASIL, Lei Orgânica da Saúde Lei 8.080/90. Diário Oficial da União, Brasília DF. 20 set, 1990.

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria GM n. 154, de 24 de Janeiro, 2008. Cria os Núcleos de Apoio a Saúde da Família – NASF. Diário Oficial da União. Brasília, 2008.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Diretrizes do Núcleo de Apoio a Saúde da Família NASF – Brasília: 2009.160 p.: il. – (Série B. Textos Básicos de Saúde) (Cadernos de Atenção Básica; n. 27).

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Diretrizes do Núcleo de Apoio a Saúde da Família NASF – Brasília: 2010.152 p.: il. – (Série A. Textos Básicos de Saúde) (Cadernos de Atenção Básica; n. 27).

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Núcleo de Apoio à Saúde da Família / Ministério da Saúde– Brasília: Ministério da Saúde, 2014. 116 p.: il. – (Cadernos de Atenção Básica, n. 39).

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Política Nacional de Atenção Básica – Brasília: Ministério da Saúde 2012. (Série E. Legislação em Saúde).

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria nº 3124, de 28 de dezembro de 2012. Redefine os parâmetros de vinculação dos Núcleos de Apoio à Saúde da Família (NASF) Modalidades 1 e 2 às equipes de Saúde da Família e/ou Equipes de atenção Básica. Diário Oficial da União. Brasília, DF, Seção 1,3 jan. 2013. Disponível em http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2012/prt3124_28_12_2012. html. Acesso em 04/03/2018.

BRASIL. Ministério da Saúde. 2008. Disponível em www.portal.saude.gov.br/saude. Acesso em 08/04/2012.

BRASIL. Portaria nº 648 de 28 de Março de 2006. Aprova a Política Nacional de Atenção Básica, estabelecendo a revisão de diretrizes e normas para a organização da Atenção Básica para o Programa Saúde da Família (PSF) e o Programa Agentes Comunitários de Saúde (PACS). Diário Oficial da União 2006, 29 mar.

BRASIL. Portaria nº 2.488, de 21 de Outubro de 2011. Aprova a Política Nacional de Atenção Básica, estabelecendo a revisão de diretrizes e normas para a organização da Atenção Básica para a Estratégia de Saúde da Família (ESF) e o Programa Agentes Comunitários de Saúde (PACS). Diário Oficial da União. Brasília, n 204, p.55, 2011. Seção 1,ptl.

BRASIL, Secretaria de Saúde – SESAU. Disponível em www.sesau.juazeiro.ce.gov.br.

BRAVO, Maria I. S; PEREIRA, Potyara A. P. (orgs). Estado, Regulação Social e Controle Democrático. In: PEREIRA, Potyara A. P. (org.) Política Social e Democracia. 4. ed. São Paulo, Cortez; Rio de Janeiro: UERJ, 2009.

CAMPOS, G.W.S.; GUERRERO, A.V.P. (orgs.). Manual de práticas de atenção básica: saúde ampliada e compartilhada. São Paulo: Aderaldo e Rothschild, 2010.

CORTEZ, Ana Carolina. Entenda o que é a PEC 241 (ou 55) e como ela pode afetar sua vida.São Paulo 13 DEZ 2016 - 20:41 BRST. Disponível emhttps://brasil.elpais.com Acesso em 08/08/2017.

COSTA, E.M.A; CARBONE,M.H.Saúde da Família: uma abordagem multidisciplinar. 2 ed. Rio de Janeiro: Editora Rubio, 2009.

CRUZ, Carla; RIBEIRO, Uirá. Metodologia Científica: Teoria e Prática. 2. Edição; Axcel Books do Brasil Editora, Rio de Janeiro, 2004.

CUNHA, G.T.; CAMPOS, G.W. S. Apoio Matricial e Atenção Primária em Saúde. Saúde e Sociedade. São Paulo, v.20, n. 4, Dezembro 2011.

ELY, Fabiana Regina. Serviço Social e Interdisciplinaridade. In: Revista KATÁLYSIS v. 6 n. 1 Jan./jun. 2003 Florianópolis SC (págs. 113-117).

FERRO, L. F. SILVA, E. C. ZIMMERMANN, A. B. CASTANHARO, R. C. T. OLIVEIRA, F. R. L. Interdisciplinaridade e Intersetorialidade na Estratégia de Saúde da família e no Núcleo de apoio a saúde da Família: potencialidades e desafios. Interface: Artigo Original, O Mundo da Saúde. São Paulo.38 (2): 129 – 138, 2014.

FIGUEIREDO, E.N. Estratégia Saúde da Família e Núcleo de Apoio a Saúde da Família: diretrizes e fundamentos. 2012. (Especialização em Saúde da Família, p. 49 a 69).

FILHO, N. C. A. SOUZA, A. M. P. A Percepção sobre o trabalho em equipe multiprofissional dos trabalhadores de um centro de Atenção Piscossocial em salvador, Bahia, Brasil. Interface: Comunicação, saúde e Educação, 21 (60), p. 63-76, 2017.

FONTANELLA, B.J.B, M.G.B., RICAS E TURATO,J.Amostragem por saturação em pesquisas qualitativas em saúde: contribuições teóricas. Caderno de Saúde Pública, 24, 17-27 2008.

GIL, Antônio Carlos. Métodos e Técnicas de Pesquisa Social. 5ª Ed. São Paulo: Atlas, 2007.

JUAZEIRO DO NORTE (Ceará ). Secretaria de Saúde SESAU. Processo de Trabalho do NASF na cidade de Juazeiro do Norte. Juazeiro do Norte, 2017.

LAKATOS, Eva Maria; MARCONI, Maria de Andrade. Fundamentos de Metodologia Científica. 6ª Ed. São Paulo: Atlas, 2007.

LOPES, Sarita; CARVALHO, Glauce. Satisfação profissional do enfermeiro em uma unidade de emergência de hospital geral. Disponível em www.cienciasdasaude.famerp.br Acesso em 18/06/2012

LOREIRO, Sandra. Trabalho em equipe: competência fundamental para o profissional. Estadão. Redação 25 de Junho de 2014. Disponível em www.economia.estadao.com.br. Acesso em 10/10/2017.

MARCONDES, Nilsen Aparecida Vieira et al. Repensando a interdisciplinaridade: contributos à atuação do assistente social na área da saúde. In: Serv, Soc. & Saúde, Campinas, SP v.11, n.1 (13), p.67-98 jan/2012.

MENICUCCI, Telma Maria Gonçalves. A política de saúde no governo Lula.In: Revista Saúde soc. 2011, vol.20, n.2, pp. 522-532. ISSN 0104-1290.

Disponível em http://www.dx.doi.org. Acesso em 10/06/2017.

MINAYO, M.C.S. O desafio do Conhecimento: pesquisa qualitativa em Saúde.11 ed. - São Paulo: HUCITEC; 2008.

MOTA, Ana Elizabete... [et al.], (orgs). Serviço Social e Saúde: Formação e Trabalho Profissional. 4. Ed. São Paulo: Cortez; Brasília DF: OPAS, OMS, Ministério da Saúde, 2009.

NICOLAU, Maria Célia Correia. Formação e fazer profissional do assistente social: trabalho e representações sociais. Serviço Social e Sociedade: Formação e Projeto Político. N.79. São Paulo: Cortez, ano XXV, setembro de 2004.

PEREIRA, Potyara A. P. Política Social: Temas e Questões. São Paulo: Cortez, 2008.

POLIGNANO, Marcus Vinicius. História das Políticas de Saúde no Brasil: Uma pequena revisão. Disponível em www.soenfermagem.net Acesso em 25/10/2010.

RAICHELIS, Raquel. O trabalho do assistente social na esfera estatal. In: Serviço Social: Direitos Sociais e Competências Profissionais Brasília CFESS/ABEPSS, 2009. V.1.

RANÑA, W. A saúde mental da criança na atenção básica. Detecção e intervenção a partir do programa de saúde da família e do apoio matricial. In: LAURIDSEN – Ribeiro e Tanaka, O. Y. (orgs). Atenção em saúde Mental para crianças e adolescentes no SUS. Brasil: Hucitec, p. 170-185, 2010.

REIS, Vilma. FORMENTI, Ligia. Zika e Mais Médicos marcaram a saúde do governo Dilma. 12 de maio – 2016. Disponível em https://www.abrasco.org.br Acesso em 07/08/2017.

RIBEIRO, E.M.; PIRES, D.; BLANK, v. l. G. A teorização sobre o processo de trabalho em saúde como instrumental para a análise do Programa de Saúde da Família. Cad. Saúde Pública, 20 (2): pág. 438 – 446, 2004.

SANTOS, Elizângela. Hospital Santo Inácio fecha em Juazeiro do Norte. Outubro – 2011. Disponível em WWW.cratonoticias.wordpress.com Acesso em 06/08/ 2017.

SANTOS, Paula Fernanda Brandão Batista dos. Possibilidades de Promoção da Saúde Mental nos Núcleos de Apoio à Saúde da Família. Tese (doutorado) – Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes. Programa de Pós Graduação em Ciências Sociais, 2013.

SECRETARIA DA SAÚDE GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ. Hospital Regional do Cariri. Abril de 2011. Disponível em www.saude.ce.gov.br Acesso em 06/08/ 2017.

SESAU - Secretaria de Saúde de Juazeiro do Norte CE. A história da política da saúde na cidade de Juazeiro do Norte Disponível em www.juazeiro.ce.gov.br Acesso em 27/06/2011.

SIMÔES, Carlos. Curso de Direito do Serviço Social. 7. Ed. São Paulo: Cortez, 2014.

SOUSA, M. F.; HAMANN, E. M. Programa Saúde da Família no Brasil: uma agenda incompleta? Ciência & saúde coletiva, Rio de Janeiro, vol 14, supl 1, set./out. 2009.

STHEPHANOWITZ, Helena. Com cortes na saúde, governo Temer lança o programa "menos médicos". Beto Barata/PR - 19/01/2017. Disponível em http://www.redebrasilatual.com.br Acesso em 07/08/2017.

TEIXEIRA, C.F. A mudança do modelo de atenção à saúde no SUS: desatando nós, criando laços. Saúde em Debate 2003; 27 (65): 257-277.

VIEIRA, Sônia. O tamanho da amostra nas entrevistas qualitativas. 2014. Disponível em www.soniavieira.blogspot.com/2014. Acesso em 02/05/2017.

WALKER, Daniel. História da Independência de Juazeiro do Norte. Juazeiro do Norte, HB Editora, 2010.




DOI: https://doi.org/10.14295/idonline.v15i54.2968

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A Id on Line (ISSN: 1981-1179) é indexada nas seguintes bases de dados: