Polimedicação em Pacientes Idosos: Práticas para Minimizar os Malefícios na População Idosa / Polymedication in Elderly Patients: Practices to Minimize Maleficients in the Elderly Population

Amanda Medeiros Freitas, Aline Medeiros Freitas, Miguel Aguila Toledo, Verônica Gomes Anacleto, Milena Nunes Alves de Sousa

Resumo


Resumo: Indivíduos idosos se encontram mais propensos a serem polimedicados, fazendo-se necessária precaução quanto à prescrição sem indicação benéfica definida diante da interação que os fármacos realizam no organismo, o que pode ocasionar em prejuízos ao sujeito. Além da interação medicamentosa, alguns fármacos ainda podem gerar efeitos maléficos superiores aos benéficos, especialmente entre aqueles com maior fragilidade orgânica e com maior necessidade de atenção na prática médica. Com isso, esse trabalho objetiva avaliar a polimedicação em pacientes idosos e expor práticas para minimizar seus malefícios ao grupo. Para tanto, foi realizada uma revisão integrativa da literatura, realizada a partir de dez artigos selecionados em plataforma online nacionais e internacionais. Observou-se que, na biblioteca e bases de dados utilizadas, há poucos estudos realizados abordando o tema na última década. A maioria das publicações foi redigida na língua inglesa, com metodologia de revisão sistemática. Na tentativa de diminuir os efeitos danosos da polifarmácia em pacientes idosos, estudos têm sido propostos a fim de fornecer evidências científicas capazes de validar a prática clínica geriátrica. Todavia, muitas das intervenções/estratégias desenvolvidas se mostraram incertas e pouco confiáveis. Ao tratar a terceira idade, no entanto, o profissional da medicina deve lembrar-se de suas peculiaridades e avaliar a importância real daquela prescrição, seu risco e benefício, interação medicamentosa e possíveis complicações no idoso frágil. Após esta avaliação completa e complexa, é que a prescrição deverá ser realizada, de modo realmente necessário evitando, assim, a polimedicação do idoso.


Palavras-chave


Polimedicação; Idoso; Geriatria.

Texto completo:

PDF

Referências


ARRUDA, G. O.; LIMA, S. C. S.; RENOVATO, R. D. The use of medications by elderly men with polypharmacy: representations and practices. Revista Latino-Americana de Enfermagem, v. 21, n. 6, p. 1337-1344, 2013.

BOTELHO, L. L. R.; CUNHA, C. C. A.; MACEDO, M. O método da revisão integrativa nos estudos organizacionais. Gestão e sociedade, v. 5, n. 11, p. 121-136, 2011. Disponível em: https://www.gestaoesociedade.org/gestaoesociedade/ar ticle/view/1220. Acesso em: 20 mar. 2020.

COOPER, J. A. et al. Interventions to improve the appropriate use of polypharmacy in older people: a cochrane systematic review. Bmj Open, v. 5, n. 12, dez. 2015.

CASTRO-RODRÍGUEZ, J. A.; OROZCO-HERNÁNDEZ, J. P.; MARÍN-MEDINA, D.S. Polifarmacia y prescripción de medicamentos potencialmente no apropiados en ancianos. Revista Médica Risaralda, Colombia, v. 21, n. 2, p. 52-57, 2015.

ĆURKOVIĆ, M. et al. Psychotropic medications in older adults: a review. Psychiatria Danubina, Croácia, v. 28, n. 1, p. 13-24, 2016.

DOMINGUES, M. R. C. Objetivos terapêuticos na dislipidemia no idoso polimedicado. 2017. 37 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Medicina, Universidade do Porto, Porto, 2017.

LUCAS, C.; BYLES, J.; MARTIN, J. H. Medicines optimisation in older people: taking age and sex into account. Maturitas, v. 93, p. 114-120, 2016.

MANGIN, D. et al. International Group for Reducing Inappropriate Medication Use & Polypharmacy (IGRIMUP): position statement and 10 recommendations for action. Drugs & Aging, v. 35, n. 7, p. 575-587, 2018.

MÁRTIRES, M. A. R.; COSTA, M. A. M.; SANTOS, C. S. V. Obesidade em idosos com hipertensão arterial sistémica. Texto & Contexto - Enfermagem, v. 22, n. 3, p. 797-803, 2013.

MUTH, C. et al. Effectiveness of a complex intervention on Prioritising Multimedication in Multimorbidity (PRIMUM) in primary care: results of a pragmatic cluster randomised controlled trial. BMJ Open, v. 8, n. 2, 2018.

OLSSON, I. N.; RUNNAMO, R.; ENGFELDT, P. Drug treatment in the elderly: an intervention in primary care to enhance prescription quality and quality of life. Scandinavian Journal Of Primary Health Care, v. 30, n. 1, p. 3-9, 2011.

PEREIRA, K. G. et al. Polifarmácia em idosos: um estudo de base populacional. Revista Brasileira de Epidemiologia, v. 20, n. 2, p. 335-344, 2017.

PRADOS-TORRES, A. et al. Esperanza. Effectiveness of an intervention for improving drug prescription in primary care patients with multimorbidity and polypharmacy: study protocol of a cluster randomized clinical trial (multi-pap project). Implementation Science, v. 12, n. 1, 2017.

RANKIN, A. et al. Interventions to improve the appropriate use of polypharmacy for older people. Cochrane Database Of Systematic Reviews, 2018.

PRETORIUS, R. W. et al. Reducing the Risk of Adverse Drug Events in Older Adults. American Family Physician, v. 87, n. 5, p. 331-336, 2013.

SHOSHIMA, A. Y. Revisão sistemática da eficácia das estatinas na prevenção secundária em idosos. 2017. 51 f. Monografia (Especialização) - Curso de Medicina, Instituto Nacional de Cardiologia, Rio de Janeiro, 2017.

SOUZA, M. T.; SILVA, M. D.; CARVALHO, R. Revisão integrativa: o que é e como fazer. Einstein (São Paulo), v. 8, n. 1, p. 102-106, 2010. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/eins/v8n1/pt_1679-4508- eins-8-1-0102.pdf. Acesso em: 20 mar. 2020.




DOI: https://doi.org/10.14295/idonline.v15i54.2943

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A Id on Line (ISSN: 1981-1179) é indexada nas seguintes bases de dados: