Sinal, classificador e ação construída em Libras: Um estudo sobre consciência linguística /Sign, Classifier and Constructed Action: A Study about Libras's Linguistic Awareness

Adriana Stella Cardoso LESSA-DE-OLIVEIRA, Carine Matos GURUNGA, Thamires OLIVEIRA-SAMPAIO

Resumo


Resumo: A partir de resultados de dois trabalhos de pesquisas, que investigaram objetos inter-relacionados sobre a Libras, acerca da natureza gramatical dos elementos linguísticos: sinal, classificador e ações construídas (OLIVEIRA-SAMPAIO, 2020) e sobre consciência sintática em Libras (GURUNGA, 2020), discutimos sobre consciência linguística em falantes dessa língua, surdos e ouvintes, quanto à percepção de sinais em frases nas quais podem haver também classificadores e ações construídas. Tanto essas pesquisas quanto a discussão aqui realizada baseiam-se na Teoria Gerativa (CHOMSKY; 1995), no que diz respeito à verificação de aspectos sintáticos, e no modelo fonológico de línguas de sinais proposto por Lessa-de-Oliveira (2012; 2019), na verificação de aspectos relativos à estrutura fonológica da Libras. Como conclusão, verificamos que classificadores e ações construídas podem ser confundidos com sinais, devido a certas características articulatórias e semânticas, o que é indicativo de um grau de consciência linguística médio ou baixo.


Palavras-chave


Libras. Classificador. Ação Construída. Consciência sintática.

Texto completo:

PDF

Referências


Referências

BERNARDINO, E.; BASTOS, S.; MARTINS, D.; MOURA, J. A ação construída na libras conforme a linguística cognitiva. (No plero). Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), 2020.

BOLGUERONI, T.; VIOTTI, E. Referência Nominal em Língua Brasileira de Sinais (Libras). Todas as Letras, São Paulo, v. 15, n. 1, p. 15-50, 2013.

CHOMSKY, N. The Minimalist Program. MIT Press, 1995.

CIELO, C. A. Habilidades em consciência fonológica em crianças de 4 a 8 anos. 2000. Tese (Doutorado em Linguística Aplicada) – Faculdade de Letras, PUCRS, Porto Alegre, 2001.

DUARTE, I. O conhecimento da Língua: Desenvolver a Consciência Linguística. Ministério da Educação. Direcção-Geral de Inovação e de Desenvolvimento Curricular. Lisboa. 2008.

FELIPE, T. Sistema de flexão verbal na libras: os classificadores enquanto marcadores de flexão de gênero. Anais do Congresso Nacional do INES, 2002.

GESUELI, Z. A. Narrativa em língua de sinais: um olhar sobre os classificadores. In: Estudos Surdos IV. Ronice Müller de Quadros e Marianne Rossi Stumpf (organizadoras). – Petrópolis, RJ : Arara Azul, 2009.

GURUNGA, C, M. Consciência Sintática da Libras em Falantes Surdos e Ouvintes. 2020. 190 f. Dissertação (Mestrado em Linguística). Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia- UESB. Vitória da Conquista. 2020.

KATO, M; MOREIRA, N. TARALLO, F. Estudos em alfabetização: retrospectivas nas áreas da Psico e da Sociolinguística. Campinas: Pontes, 1997.

LESSA-DE-OLIVEIRA, Adriana Stella Cardoso. Libras escrita: o desafio de representar uma língua tridimensional por um sistema de escrita linear. ReVEL, v. 10, n. 19, 2012. [www.revel.inf.br].

LESSA-DE-OLIVEIRA, A. S. C. Componentes articulatórios da Libras e a escrita SEL (Libras articulatory components and SEL writing). Estudos da Língua(gem), v. 17, n. 2, p. 103-122, jun. 2019. ISSN: 1982-0534. doi: doi.org/10.22481/el.v17i2.5338. Disponível em: http://periodicos2.uesb.br/index.php/estudosdalinguagem/article/view/5338. Acesso em: 1 set. 2020.

LIDDELL, S, K.; JOHNSON, R, E. “American Sign Language: The Phonological Base” Sign Language Studies 64, pp. 197–277, 1989.

OLIVEIRA-SAMPAIO, T, S. A natureza gramatical da Libras adquirida por surdos e ouvintes: sinal, classificadores, ações construídas e gestos. 2020. 174 f. Dissertação (Mestrado em Linguística). Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia- UESB. Vitória da Conquista. 2020.

QUADROS, R; CRUZ, C. Língua de sinais - instrumentos de avaliação. Porto Alegre: ARTMED, 2011. 159 p.

QUADROS, R; KARNOPP, L. Língua de sinais brasileira: estudos linguísticos. Porto Alegre: Artmed, 2004.

RODERO-TAKAHIRA, A. Compostos na língua de sinais brasileira. 2015. 161 f. Tese (Doutorado) – Curso de Linguística, Universidade de São Paulo, 2015.

STOKOE, W. C. Sign Language Structure: An Outline of the Visual Comunnication System of the American Deaf. New York: Buffalo University, 1960.




DOI: https://doi.org/10.14295/idonline.v15i54.2937

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A Id on Line (ISSN: 1981-1179) é indexada nas seguintes bases de dados: