Estudo de Congruências com Discentes Cegos: Uma Abordagem envolvendo a Sequência FEDATHI e o Método Van Hiele

Elizângela bezerra Magalhães, Cícero Magérbio Gomes Torres, Jorge Carvalho Brandão

Resumo


De que maneira podemos ensinar construções geométricas para discentes cegos incluídos em salas de aula regular? Com o objetivo de responder o questionamento, este artigo apresenta a vivência com 54 sujeitos que participaram de oficinas de matemática adaptada. Num total de 24 graduandos em pedagogia, 22 eram mulheres (20 cursando/concludentes) e 02 eram homens (graduados). Dos 30 matemáticos: 18 eram homens (08 cursando/concludentes) e 12 eram mulheres (4cursando/concludentes). No âmbito deste universo, 02 participantes apresentam baixa visão, sendo 01 da matemática e 01 da pedagogia. A justificativa para o termo vivência apresenta-se em função dos participantes terem sido, inicialmente, apresentados aos métodos e as técnicas (como Sequência Fedathi e Van Hiele) e logo em seguida, os participantes puderam colocar em prática, testando-as em salas de aula. Ao longo de todo esse processo, os participantes foram continuamente avaliados. Nesse contexto, e face às vivências que foram realizadas, pode-se perceber que por meio da utilização da Sequência Fedathi e Van Hiele, foi possível ensinar construções geométricas, bem como os conteúdos matemáticos (inclusive os atrelados a aspectos visuais) seja para sujeitos com cegueira quanto sem deficiência visual.


Palavras-chave


Geometria; Cegos; Métodos de Ensino.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.14295/idonline.v8i23.279

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A Id on Line (ISSN: 1981-1179) é indexada nas seguintes bases de dados: