A Eficácia da Análise do Comportamento no Tratamento a Pacientes com Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC) / The Effectiveness of Behavior Analysis in Treating Patients with Obsessive Compulsive Disorder (OCD)

Madson Márcio de Farias Leite

Resumo


Esta pesquisa surgiu da necessidade de investigar a contribuição da Análise do Comportamento no tratamento de pessoas portadoras do Transtorno Obsessivo-Compulsivo (TOC). O TOC é um transtorno caracterizado por obsessões (pensamentos, ideias ou imagens invasivas) e/ou compulsões (comportamentos repetitivos e voluntários executados pelo indivíduo com o propósito de eliminar ou neutralizar algum pensamento incomodo ou evento ameaçador). A Terapia Comportamental está sendo reconhecida pela sua efetividade no tratamento de problemas pertinentes ao TOC. Uma técnica que tem sido usada como forma de intervenção no tratamento, é a exposição com prevenção de respostas (EPR). Esta técnica vem mostrando resultados na habituação dos indivíduos às situações ansiogênicas e ao bloqueio da resposta de esquiva. O objetivo dessa pesquisa foi investigar se a Análise do Comportamento, por meio de suas técnicas, beneficiaria pacientes diagnosticados com TOC. Adotou-se aqui como metodologia a pesquisa bibliográfica, em que se realizou uma busca de artigos procedentes do banco de dados do Scielo e outros trabalhos publicados que tratassem do TOC e a Análise do Comportamento, como suas técnicas aplicadas ao tratamento desse tipo de transtorno. Os artigos encontrados mostraram que os resultados obtidos com a aplicação da técnica em pacientes com o transtorno trouxeram a eles uma melhora nas compulsões e nas ansiedades, fazendo assim com que estes pudessem ter novamente a qualidade de vida a qual tinham antes de serem acometidos pelo TOC.

 

Palavras- chave: transtorno obsessivo-compulsivo, família, tratamento, análise do comportamento

 


Texto completo:

PDF

Referências


REFERÊNCIAS

ABREU, Cristiano Nabuco, GUILHARDI, Hélio José. Terapia por Contingências de Reforçamento. (Orgs.). Instituto de Terapia por Contingências de Reforçamento Campinas – SP. São Paulo: Roca, 2004.

BANACO, R. A.. Auto-regras e patologia comportamental, in: Denis Roberto Zamignani (org.), Sobre Comportamento e Cognição - Vol. 3 (pp. 80-88). Santo André: Arbytes (1997).

CAMPOS, Maria Conceição Rosário, MERCADANTE, Marcos T. Transtorno obsessivo-compulsivo. Rev. Bras. Psiquiatr.[online]. 2000, vol.22, suppl.2, pp. 16-19. ISSN 1516-4446. http://dx.doi.org/10.1590/S1516-44462000000600005. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-44462000000600005.

CARVALHO NETO Marcus Bentes de. Análise do comportamento: behaviorismo radical, análise experimental do comportamento e análise aplicada do comportamento. Interação em Psicologia, 2002, 6(1), p. 13-18. Universidade Federal do Pará.

CORDIOLI, Aristides Volpato. A terapia de exposição e prevenção de resposta: histórico, Fundamentos e técnicas. Capítulo 2 do livro “TOC” 2a Edição: Artmed, 2014.

CORDIOLI, Aristides Volpato. Vencendo o transtorno Obsessivo-compulsivo.

Ed. Porto alegre: Artmed, 2008.

DSM-IV-TR. Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais. 4 ed.rev. Porto Alegre: Artemed, 2002.

GUEDES. Maria Luisa. Relação família-paciente no transtorno obsessivo-compulsivo. Rev Bras Psiquiatr 2001;23(Supl II):65-7. Departamento de Psiquiatria da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp/EPM) e Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. São Paulo, SP.

MEYER, S. B. (1966) apud CORDIOLI, Aristides Volpato (2014). A Terapia de Exposição e Prevenção de Resposta: histórico, fundamentos e técnicas (Capítulo 2 do livro “TOC” 2a Edição: Artmed, 2014).

MEYER, S. B. Regras e auto –regras no laboratório e na clínica. Em J. Abreu Rodrigues; M. R. Ribeiro (org). Análise do Comportamento: pesquisa, teoria e aplicação. Porto (2005).

MILLENSON, J. R. (1975). Princípios de Análise do Comportamento. Brasília:

Coordenada (trabalho original publicado em 1967).

MOREIRA, Márcio B; MEDEIROS, Carlos A. Princípios básicos de análise do comportamento. Porto Alegre: Artmed, 2007.

RANGÉ, B.; SILVARES, E. F. M. Avaliação e formulação de casos clínicos adultos e infantis. Em B. Rangé (Org.), Psicoterapias cognitivo-comportamentais: um diálogo com a psiquiatria (p. 79-100). Porto Alegre: Artmed(2001).

SKINNER, B. F. Ciência e Comportamento Humano. Brasília: Ed. UnB/ FUNBEC, (1953).

SKINNER, B. F. Sobre o behaviorismo. São Paulo: Cultrix (1974).

SKINNER, B.F. Contingências do reforço: uma análise teórica. São Paulo: Abril Cultural, 1980.

TODOROV, J. C. Behaviorismo e análise experimental do comportamento.

Cadernos de Análise do Comportamento, 3, 10-23 (1982).

VERMES E ZAMIGNANI, A perspectiva analítico-comportamental no manejo do comportamento obsessivo-compulsivo: estratégias em desenvolvimento. Revista de Terapia Comportamental e Cognitiva. Vol. IV. nº 2, 135-149, 2002.

WOLPE, J. (1981) apud CORDIOLI, Aristides Volpato (2014). A Terapia de Exposição e Prevenção de Resposta: histórico, fundamentos e técnicas (Capítulo 2 do livro “TOC” 2a Edição: Artmed, 2014).

ZAMIGNANI, Denis R.; VERMES, J. S. Apud SALDANHA, D. M e SANTOS. R. R. M. Transtorno obsessivo-compulsivo: uma visão analítico-comportamental. Revista de Psicologia, maio, 29, 2003.




DOI: https://doi.org/10.14295/idonline.v14i50.2452

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2021 Madson Márcio de Farias Leite

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

A ID on line. Revista de psicologia (ISSN: 1981-1179) é indexada nas seguintes bases de dados: