A Importância da Influência do Profissional de Saúde no Aleitamento Materno / The Importance of Health Professional Influence on Breastfeeding

Débora Aparecida Beneval Bento, Mardja Keyla Alencar de Oliveira, Maria Clara Torres e Souza, Renata Francy Lucena Senhor, Patricia Ferreira Alves, Maria do Socorro Vandelande de Araujo, Elizangela Beneval Bento

Resumo


O leite materno é o alimento básico para o recém-nascido. Ele oferece inúmeros benefícios fisiológicos, com adequadas quantidades de nutrientes, elementos imunogênicos que representam a primeira imunização passiva da criança. Contribui com benefícios a mãe, a criança, a família, e deve ser incentivado principalmente através de orientações e estratégias educativas durante os períodos pré e pós natais mediadas por equipe multidisciplinar de saúde. Uma combinação única de proteínas, lipídios, carboidratos, minerais, vitaminas, enzimas e células vivas, assim como benefícios nutricionais imunológicos, desenvolvimento, especialmente para o prematuro, devido a sua maior vulnerabilidade. Este trabalho teve como objetivo avaliar a prática de profissionais de saúde na promoção e no apoio à amamentação. O estudo trata-se de uma revisão integrativa da literatura, identificando as contribuições dos estudos referentes à aleitamento materno na literatura brasileira. A amamentação é influenciada pelo o ambiente, considera-se importante trabalhar nas instituições de saúde que atendem puérperas e RNs, nas unidades de alojamento conjunto e neonatal, e humanização em saúde. A pesquisa revelou que amamentação é um desafio para o profissional de saúde, e que estes precisam ser sempre capacitados para trabalhar a promoção do aleitamento materno.

 


Palavras-chave


Aleitamento Materno; Enfermeiro; Nutrição

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, J. M. de.; LUZ, S. A. B.; DA VEIGA U.E.D.F. Apoio ao aleitamento materno pelos profissionais de saúde: revisão integrativa da literatura. Revista Paulista de Pediatria, v. 33, n. 3, p. 355-362, 2015.

BATISTA, K.R.A.; FARIAS, M.C.; MELO, W.S.N. Influência da assistência de enfermagem na prática da amamentação no puerpério imediato. Saúde em debate. 2013.

BARBOSA, N. B.; SILVEIRA, M. M. M. Aleitamento Materno no Município de Anapólis: Saberes e práticas na estratégia saúde da família. Revista APS. 2010.

BARCLAY, L. et al. The professionalising of breast feeding–where are we a decade on. Midwifery. 2012.

BOCCOLINI, C.; BOCCOLINI, P. Relação entre aleitamento materno e internações por doenças diarreicas nas crianças com menos de um ano de vida nas capitais brasileiras e Distrito Federal 2008. Epidemiol Serv Saude. 2011.

BRASIL. Ministério da Saúde. Atenção humanizada ao recém-nascido de baixo peso: Método Canguru. 2. ed. Brasília, DF; 2011.

______. Ministério da Saúde. Todos os direitos reservados. 2013 / 2019.

BRAGHETO, A. C. M.; JACOB, A. V. Suporte psicológico às mães de prematuros em uma UTI neonatal: relato de experiência. Saúde e transformação soc. 2011.

BROW, A.; RAYNOR, P.; LEE, M. Healthcare professionals’ and mothers’ perceptions of factors that influence decisions to breastfeed or formula feed infants: a comparative study. Journal of Adv Nursing. 2011.

BUENO, L. G. S.; TERUYA, K. M. Aconselhamento em Amamentação e sua Prática. Jornal de Pediatria, 2004.

CASTRO, L. M. C. P.; ARAÚJO, L. D. S. Aspectos socioculturais da amamentação. In: Aleitamento materno: manual prático. 2. ed. Londrina: PML, 2006.

FONSECA, M. M. O. et al. Aleitamento materno: conhecimento e prática. Rev. Esc. Enferm. 2012.

GRAÇA, L. C. C.; FIQUEIREDO, M. C. B.; CONCEIÇÃO, M. T. C. C. Contributos da intervenção de enfermagem de cuidados de saúde primários para a promoção do aleitamento materno. Rev. Latino am. enferm. 2011.

GALVÃO, D. G. Formação em aleitamento materno e suas repercussões na prática clínica. Rev. bras. enferm. 2011.

GIL. A. C. Metodologia científica. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

HECKERT, A. L. C.; PASSOS, Eduardo; BARROS, M. E. Barros de. Um seminário dispositivo: a humanização do Sistema Único de Saúde (SUS) em debate. Interface-Comunicação, Saúde, Educação, v. 13, p. 493-502, 2009.

HODDINOTT, P.; PILL, R. Chalmers M. Health professionals, implementation and outcomes: reflections on a complex intervention to improve breastfeeding rates in primary care. Fam Pract. 2007.

MANZINI, F. C.; PARADA, C.M.; JULIANI, C. M. Aleitamento materno na sala de parto: a visão dos profissionais de saúde. 2002, São Paulo, Brasil.

MARINHO, C.; LEAL, I. P. Health professionals and breast-feending exploratory study of nurses and physicians attitudes. Psicologia: Saude & Doenças; 2004.

MARQUES, E. S.; COTTA, R. M. M.; PRIORE, S. E. Mitos e crenças sobre o aleitamento materno. Revista Ciência & Saúde Coletiva, 2011.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE. [homepage na internet]. Breastfeeding [acesso em 04 maio 2016]. Disponível em: http://www.who.int/topics/breastfeeding/en/.

PRATES, L. A.; SCHMALFUSS, J. M.; LIPINSKI, J. M. Amamentação: a influência familiar e o papel dos profissionais de saúde. Revista de Enfermagem da UFSM, v. 4, n. 2, p. 359-367, 2014.

SILVA, E. L. da; PRESSER, N. H. Revisão da norma de referências NBR 6023 e implicações para artigos científicos. Navus-Revista de Gestão e Tecnologia, v. 9, n. 1, p. 05-06, 2019.




DOI: https://doi.org/10.14295/idonline.v14i49.2390

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A Id on Line (ISSN: 1981-1179) é indexada nas seguintes bases de dados: