A mentalidade hitlerista: como se formou o ideário político nazista / The hitlerist mentality: how the nazi ideology was formed

Gabriel Saldanha Lula de Medeiros

Resumo


A ideologia nazista surgiu após a Primeira Guerra Mundial a partir de características políticas, econômicas, sociais e até mesmo científicas singulares da Alemanha naquele período. Por isso, o presente artigo tem como objetivo responder a seguinte questão-problema: “como se formou o ideário político nazista?”. Para tanto, foi realizada uma pesquisa em livros e artigos científicos avaliados por pares e indexados, constituindo um trabalho de revisão bibliográfica de cunho qualitativo, que levará em conta também experiências vividas por Hitler antes deste se tornar político. Conclui-se, ao fim, que o ideário nazista foi construído a partir de alguns fatos como a humilhação alemã pós-guerra, a rejeição ao comunismo, a popularização de teorias pseudocientíficas pautadas no darwinismo social e a crença na superioridade da raça ariana.

 



Palavras-chave


Ideologia nazista; Doutrina nazista; Origem do nazismo

Texto completo:

PDF

Referências


ALBUQUERQUE, Roberto Chacon de. A lei de prevenção de doenças hereditárias e o programa de eutanásia durante a segunda Guerra mundial. Revista CEJ, Brasília, Ano XII, n. 40, p. 43-51, jan./mar., 2008.

BRASIL, Paula. O bibliocausto nazista: a destruição de livros judaicos durante o Terceiro Reich. Trabalho de conclusão de curso, Faculdade de Biblioteconomia e Comunicação, Departamento de Ciências da Informação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2016.

BURRIN, Philippe. Hitler e os judeus: gênese de um genocídio. Editora L± tradução de Ana Maria Capovilla. Porto Alegre/RS, 1990.

COMAS, Juan. The racial question in modern science: racial myths. Unesco Paris, United Nations. Educational, Scientific and Cultural Organization. 1951.

DOBKOWSKI, Michael; WORTMAN, Morris. A history of Kristallnacht; Historic overview of the november pogrom. The Two-Thousand Year Road to the Holocaust. Session 8: Kristallnacht. 2009.

EVANS, Richard. A chegada do Terceiro Reich. Tradução de Lúcia Brito. São Paulo; Editora Planeta do Brasil, 2010.

FEST, Joachim. Hitler vol. 2: 1933 a 1945. Tradução de Analúcia Teixeira Ribeiro... [et al]. Tradução revista de Eliseu Visconti Neto. 2ª ed, Rio de Janeiro; Nova Fronteira, 2006.

GEARY, Dick. Hitler e o Nazismo. Editora Paz e Terra; tradução de Alexandre Kappaun. São Paulo/SP, 2010.

GHIRELLI, Antonio. Tiranos: de Hitler a PolPot: os homens que ensanguentaram o século 20. Tradução de Giuseppe D’Angelo e Maria Helena Kühner. Editora Difel, Rio de Janeiro/RJ, 2003.

GRUNBERGER, Richard. A história da SS. Distribuidora Record, Rio de Janeiro, 1970.

HEILBRONNER, Oded. German or nazi antisemitism? In: STONE, Dan. The historiography of the holocaust. Palgrave Macmillan UK, p. 9-23, 2004.

HITLER, Adolf. Mein Kampf. 1925.

OELHAFEN, Ingrid von; TATE, Tim. As crianças esquecidas de Hitler: a verdadeira história do programa Lebensborn. Tradução de Rogério Bettoni. São Paulo, Editora Contexto, 2017.

RICHARDS, Robert J. Ernst Haeckel’s alleged anti-semitism and contributions to nazi biology. The University of Chicago, 2007.

ROLAND, Paul. A vida no Reich: entre o entusiasmo e o medo, o dia a dia das famílias alemãs sob o domínio nazista. Editora Ediouro, Rio de Janeiro/RJ, 2015.

SZKLARZ, Eduardo. Nazismo: como ele pôde acontecer. Editora Abril, São Paulo/SP, 2014.

STAHNISCH, Frank W. The early eugenics movement and emerging professional psychiatry: conceptual transfers and personal relationship between Germany and North America. CBMH/BCHM, Volume 31:1, p. 17-40, 2014.

TEN HAVE, Wichert; VAN HAPEREN, Maria. The holocaust: 1933-1941-1945. In: The holocaust and other genocides – an introduction. Amsterdam University Press, 2012.

WEIKART, Richard. The role of Darwinism in nazi racial thought. German Studies Review 36.3; German Studies Association, 2013.

WEISS, Yf’aat. The transfer agreement and the boycott movement: a jewish dilemma on the eve of the holocaust. Shoah Resource Center, The Internacional School for Holocaust Studies. Yad Vashem Studies, Vol. XXVI, Jerusalem, pp. 129-172. 1998.

WILDT, M. Volksgemeinschaft: a modern perspective on national socialist society. In: STEBER, Martina. Visions of community in Nazi Germany social engineering and private lives. Oxford University Press, 2014.




DOI: https://doi.org/10.14295/idonline.v14i49.2355

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A Id on Line (ISSN: 1981-1179) é indexada nas seguintes bases de dados: