A ideologia nacional-socialista: o revisionismo e o nazismo de esquerda / The national-socialist ideology: the revisionism and the left-wing nazism

Gabriel Saldanha Lula de Medeiros

Resumo


Em virtude da popularização de textos em diversos sites e em redes sociais colocando o nazismo como uma ideologia de esquerda, contrariando parte considerável da historiografia séria produzida desde o fim da Segunda Guerra Mundial, este artigo tem como objetivo elucidar a seguinte questão: “o nazismo era uma ideologia de direita ou de esquerda?”. Para isso, serão trazidos argumentos encontrados em sites que defendem o ponto de vista revisionista e, em seguida, serão discutidos vários aspectos da doutrina hitlerista com base em uma revisão bibliográfica de cunho qualitativo, desde a ideologia em si até as ações do Partido Nazista enquanto este esteve no poder, a fim de examinar a posição do nacional-socialismo no espectro político-ideológico. Por fim, conclui-se que as premissas revisionistas são rasas, na maioria das vezes infundadas, podendo servir como mero recurso retórico de conservadores e grupos direitistas.

 


Palavras-chave


Nazismo; Revisionismo; Ideologia; Esquerda

Texto completo:

PDF

Referências


BEL, Germà. Against the mainstream: nazi privatization in 1930s Germany. The Economic History Review, Volume 63, Issue 1, 2010.

BURRIN, Philippe. Hitler e os judeus: gênese de um genocídio. Editora L± tradução de Ana Maria Capovilla. Porto Alegre/RS, 1990.

CASAGRANDE, Diego. O nazismo era de esquerda. Opinião e Crítica: jornalismo independente, 22 de julho de 2017. Disponível em: https://opiniaoecritica.com.br/o-nazismo-era-de-esquerda-por-diego-casagrande/. Acesso em: 30/12/2019.

CROSBY, Debra. The rise of the nazi party as a rhetorical moviment: 1919-1933. Presented to the Graduate Council of the North Texas State University in Partial Fulfillment of the Requirements. For the degree of Master of Arts. Denton, Texas, december 1975.

EVANS, Richard J. A chegada do Terceiro Reich. Tradução de Lúcia Brito. São Paulo; Editora Planeta do Brasil, 2010.

FEIJÓ, Ricardo Luís Chaves. Uma interpretação do primeiro milagre econômico alemão (1933-1944). Revista de Economia Política, Vol. 29, n. 02 (114), pp. 246-266, abril-junho/2009.

FEST, Joachim. Hitler vol. 2: 1933 a 1945. Tradução de Analúcia Teixeira Ribeiro... [et al]. Tradução revista de Eliseu Visconti Neto. 2ª Ed, Rio de Janeiro; Nova Fronteira, 2006.

GHANI, Alan. O nazismo está muito mais à esquerda do que à direita. Entenda. InfoMoney, 19 de janeiro de 2017. Disponível em: https://www.infomoney.com.br/colunistas/economia-e-politica-direto-ao-ponto/o-nazismo-esta-muito-mais-a-esquerda-do-que-a-direita-entenda/. Acesso em: 28/12/2019.

GHIRELLI, Antonio. Tiranos: de Hitler a PolPot: os homens que ensanguentaram o século 20. Tradução de Giuseppe D’Angelo e Maria Helena Kühner. Editora Difel, Rio de Janeiro/RJ, 2003.

GRUNBERGER, Richard. A história SS. Distribuidora Record, Rio de Janeiro, 1970.

HITLER, Adolf. Mein Kampf. 1925.

KLEIN, Burton. Germany’s preparation for war: a re-examination. The American Economic Review, Vol. 38, No. 01, pp. 56-77, march 1948.

LARA, Eduardo Henrique. A economia alemã: 1933. Trabalho de Conclusão de Curso: Ciências Economicas, Universidade Estadual Paulista, Araraquara, 2012.

MACHADO, Marcos. Nazismo e comunismo, verso e reverso da mesma medalha. Agência Boa Imprensa, 2 de abril de 2019. Disponível em: http://www.abim.inf.br/nazismo-e-comunismo-verso-e-reverso-da-mesma-medalha/. Acesso em: 29/12/2019.

MARTINS, Lucas Campos. Economia de guerra da Alemanha nazista: como a economia comporta-se frente à ocorrência de uma guerra. Centro Universitário de Belo Horizonte – UNI-BH, Departamento de Ciências Jurídicas, Políticas e Gerenciais. Trabalho de Conclusão de Curso: Relações Internacionais, 2010.

MONTEIRO, Gustavo Feital. Juventude hitlerista: propaganda, ideologia e antissemitismo. Trabalho de conclusão de curso, Instituto de Ciências Humanas, Universidade de Brasília (UnB), 2013.

MORGENSTERN, Flávio. Carta aberta a Luciano Genro pt. 2: nazismo (nacional-socialismo) é socialismo. E ponto final. Instituto Liberal, 20 de outubro de 2014. Disponível em https://www.institutoliberal.org.br/blog/carta-aberta-luciana-genro-pt-2-nazismo-nacional-socialismo-e-socialismo-e-ponto-final/. Acesso em: 29/12/2019.

ON LINE EDITORA. Guia Conhecer Fantástico Especial: 2ª Guerra Mundial. 8ª edição, São Paulo/SP, 2016.

PRENTICE HALL. History: causes, practices and effects of wars. Pearson Internacional Baccalaureate Diploma: Internacional Editions, 2010.

RABINBACH, Anson. Staging antifacism: the brown book of the Reichstag and Hitler terror. New German Critique 103, Vol. 35, No. 1, Spring 2008.

SPOERER, Mark. STREB Jochen. Guns and butter – but no margarine: the impacto of nazi agricultural and consumption policies on german food production and consumption 1933-38. XIV International Economic History Congress, Helsinki, Finland, 21 to 26 August 2006.

WECKERT, Ingrid. Jewish emigration from the Third Reich. Holocaust Handbooks Series, Vol. 12. Theses & Dissertations Press, Chicago, 2004.

WEIKART, Richard. The role of Darwinism in nazi racial thought. German Studies Review 36.3; German Studies Association, 2013.

ZALOGA, Steve J. A invasão da Polónia: guerra-relâmpago. RBA Colecionables; Realização editorial: EDITEC; Osprey Publishing. Barcelona (Espanha), 2009.

ZIMMER, Ianker. Nazismo: o filho que a esquerda não assume. Instituto Liberal, 23 de novembro de 2019. Disponível em: https://www.institutoliberal.org.br/blog/nazismo-filho-que-esquerda-nao-assume/. Acesso em: 28/12/2019.




DOI: https://doi.org/10.14295/idonline.v14i49.2307

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A Id on Line (ISSN: 1981-1179) é indexada nas seguintes bases de dados: