REFLEXÕES SOBRE A TECNOLOGIA E ADOLESCENTES: MITOS E VERDADES

Daniela Krone Dominski, Débora Emerim Nunes Brito, Idegar Nunes dos Santos, Juliana Alves Rodrigues, Eliane Moura, Cristiane Silva Esteves, Regina Maria Fernandes Lopes

Resumo


O avanço tecnológico na área da informação e comunicação vem interferindo diretamente nas atividades comunicativas humanas. Este artigo aborda os mitos e verdades da relação entre a tecnologia e os adolescentes estudantes e objetiva analisar o uso excessivo da Internet por adolescentes. O método utilizado para este estudo foi indutivo e as características apresentadas apontam que o tipo de pesquisa utilizada de revisão de literatura, referente à relação do hábito de leitura e a internet, o uso adequado para acessá-la, influencia no comportamento dos adolescentes, as vantagens e desvantagens da utilização da tecnologia na educação dos estudantes adolescentes. Após a análise dos dados, buscou-se levantar os determinantes da ocorrência desse comportamento, verificar os sites mais utilizados, constatar o tempo de uso e levantar os possíveis riscos desse uso abusivo, bem como dar subsídio a novas pesquisas para se construir uma melhor forma de abordar o problema. Os resultados mostraram, qualitativamente a relevância positiva que a internet, dentre outras tecnologias, tem apresentado, abrindo um mundo de possibilidades aos estudantes da era digital.  Pesquisas recentes mostraram que o cyberbullying, tem sido denominada na literatura científica, esta nova forma de assédio realizada através da tecnologia, vem trazendo prejuízos para a população, principalmente para os pares de adolescentes


Palavras-chave


Adolescência; Estudantes; Internet; dependência internet; cyberbullying.

Texto completo:

PDF

Referências


ABERASTURY, A.; KNOBEL, M. (1981). Adolescência normal: um enfoque psicanalítico. Tradução de Suzana Maria Garagoray Ballve. Porto Alegre: Artmed.

ALMEIDA, M. E. (2012). Tecnologia na Sala de aula. Revista Escola. [s.d]. Disponível em: (http://revistaescola.abril.com.br/). Acesso em 15 jan.

BAROSSI, O.; MEIRA, S. V. E.; GÓES, D. S.; ABREU, C. N. (2010). Carta aos editores Programa de Orientação a Pais de Adolescentes Dependentes de Internet (PROPADI). Revista Brasileira de Psiquiatria. São Paulo – SP. Carta_689_V01.indd 1 31.08.09 10:48:30. 2009. Disponível em: http://submission.scielo.br/index.php/rbp/article/view/13161/1559. Acesso em: 17 nov. de 2010.

BUELGA, S. & PONS, j. (2012). Agresiones entre Adolescentes a través del Teléfono Móvily de Internet. Psychosocial Intervention. Vol. 21, No. 1, pp. 91-101.

CAMPBELL, M. A. (2005). Cyberbullying: An old problem in a new guise? Australian Journal of Guidance and Counselling, 15, 68-76.

CASSELL, J., HUFFAKER, D., TVERSKY, D., & FERRIMAN, K. (2006). The language of online leadership: Gender and youth engagement on the Internet. Applied Developmental Psychology, 42, 436-449

COSTA, 2005; MARCUSCHI, Apud GOMES, Ana Lúcia Et Al 2005 Escrita teclada x escrita padrão na produção textual: a experiência de adolescentes brasileiros. Disponível http://www.scielo.oces.mctes.pt/pdf/rpe/v22n1/v22n1a04.pdf

Escrita teclada x escrita padrão na produção textual: a experiência de adolescentes brasileiros Revista Portuguesa de Educação, 2009, 22(1), pp. 71-88.

FRANK, Scott, diretor da universidade Case Western Reserve. Adolescente que abusa da tecnologia prejudica saúde. Nov.2011. [s.l.] Disponível em: http://www.cabecadecuia.com/noticias/84365/adolescente-que-abusa-da-tecnologia-prejudica-saude-diz-estudo.html

GENTA, M. L., Brighi, A. & Guarini, A. (2009). European project on bullying and cyberbullying granted by Daphne II Programme. Journal of Psychology, 217, 233-234.

GIL, A.C.. (2007) Métodos e Técnicas de Pesquisa Social. São Paulo. 5ª edição. Ed. Altas S.A.

KATZER, C., FETCHENHAUER, D. & BELSCHAK, F. (2009). Cyberbullying: Who are the victims? A comparison of victimization in internet chatrooms and victimization in school. Journal of Media Psychology, 21, 25-36.

KENSKI, V. M. (2003). Educação e Tecnologias - O Novo Ritmo Da Informação. São Paulo: Papirus.

KENSKI, V. M. (2008). Tecnologias E Ensino Presencial E A Distância. Campinas, SP: Papirus.

PATCHIN, J. & HINDUJA, S. (2006). Bullies move beyond the schoolyard: A preliminary look at cyberbullying. Youth Violence and Juvenile Justice, 4, 148-169.

PHILLIPS, M. (2007). Internet Dependency (Addiction) – Some Initial Research. Ann Arbor Publishers. Disponível no endereço eletrônico; http://www.annarbor.co.uk/images/PDF/InternetAddiction.pdf. Acesso em 06-02-2012.

PHILLIPS, M. (2007). Internet dependency (addiction) – some initial research. Ann Arbor Publishers.

ROSINI, A. M. O uso da tecnologia da informática na educação, Uma reflexão no ensino com crianças[s.d].Mestre em Administração de Empresas e Doutorando em Comunicação e Semiótica pela PUCSP. Consultor em Tecnologia e Sistemas de Informação

SMITH, P. K, MAHDAVI, J., CARVALHO, C., FISHER, S., RUSSELL, S. & TIPPETT, N. (2008). Cyberbullying: Its Nature And Impactin Secondary School Pupils. Journal Of Child Psychology And Psychiatry, 49, 376-385.

SMITH, P. K, MAHDAVI, J., CARVALHO, C., FISHER, S., RUSSELL, S. Y TIPPETT, N. (2008). Cyberbullying: Its nature and impact in secondary school pupils. Journal of Child Psychology and Psychiatry, 49, 376-385.




DOI: https://doi.org/10.14295/idonline.v7i20.230

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A Id on Line (ISSN: 1981-1179) é indexada nas seguintes bases de dados: