A Inserção do Psicólogo na Atenção Básica: A Visão dos Profissionais de Saúde / The Psychologist's Insertion in Primary Care: The Health Professionals' View

Paula Frassinetti Oliveira Cezário, Pietra de Oliveira Cezário, Renata Lívia Fonseca Moreira de Medeiros, Symara Abrantes Albuquerque de Oliveira Cabral, Lívia Viviane Lins Pereira Pinheiro, Juliana Pereira Batista

Resumo


A contextualização da saúde pública do Brasil perpassa por uma longa trajetória desde a sua criação, podendo ser evidenciado inúmeros fatos negativos, passando por uma medicina curativa, de modo que só tinha direito à saúde aquele que contribuísse. Até chegar nos dias atuais, em que todo e qualquer cidadão brasileiro tem direito a uma saúde de qualidade. O início do exercício da psicologia nos serviços brasileiros de Atenção Básica (AB) data da década de 80 com inúmeras críticas a uma prática individual; sendo excluído da equipe um pouco mais na frente, o que não impediu sua atuação nesse sistema. A pesquisa foi realizada nas UBS da zona urbana na cidade de Cajazeiras-PB, com o objetivo de identificar a importância do Psicólogo nesse espaço através de uma entrevista semiestruturada com um questionário sociodemográfico, aplicada junto à equipe de nível superior como Médicos, Enfermeiros e Odontólogos, numa população com vinte e dois profissionais. Para a análise dos dados foi utilizada a técnica de análise de conteúdo de Minayo. Os resultados mostraram que nesse espaço em específico, os profissionais não se sentem preparados para atender a população assistida que em muitos casos demandam por questões psicossomáticas, e desmistificando a saúde mental, evidenciando a grande importância de o Psicólogo ser parte integrante da equipe de profissionais de nível superior da UBS e não somente no NASF como ainda acontece.

 

 


 


Palavras-chave


Atenção Básica, Psicólogo, Unidade Básica de Saúde

Texto completo:

PDF

Referências


Souza LGS, Menandro MCS, Couto LLM, Schimith PB, Lima RP. Saúde mental na estratégia saúde da família: revisão da literatura brasileira. Saúde e Sociedade. 2012; 21(4), 1022-1034.

Tomasi E, Facchini LA, Thumé E, Piccini RX, Osorio A, Silveira DS, et al. Characteristics of primary healthcare service use in the southern and northeastern regions of Brazil: differences by care model. Ciênc Saúde Coletiva 2011; 16:4395-404.

Gomes AMT, Oliveira DC, Sá CP. O Sistema Único de Saúde na representação social de usuários: uma análise de sua estrutura. Rev. bras. enferm. [Internet]. 2011; 64( 4 ): 631-638.

Fermino JM; Patrício, Zuleica M; Krawulski E; Sisson MC. Atuação de Psicólogos no Programa de Saúde da Família: O Cotidiano de Trabalho Oportunizando Repensar a Formação e as Práticas Profissionais. Aletheia 30, p. 113-128, jul./dez. 2009.

Marin MJS; Marchioli M.; Moracvick MYAD. Fortalezas e Fragilidades do Atendimento nas Unidades Básicas de Saúde Tradicionais e da Estratégia de Saúde da Família pela ótica dos Usuários. Texto Contexto Enferm, Florianópolis, 2013 Jul-Set; 22(3): 780-8

Boing E; Crepaldi M. A. O Psicólogo na Atenção Básica: Uma Incursão Pelas Políticas Públicas de Saúde Brasileiras. Psicologia Ciência e profissão, 2010, 30 (3), 634-649.

Gorayeb R; Borges CD; Oliveira CM. Psicologia na Atenção Primária: Ações e Reflexões em Programa de Aprimoramento Profissional. Psicologia: Ciência e Profissão, 2012, 32 (3), 674-685.

Minayo MCC. Desafio do Conhecimento: Pesquisa Qualitativa em Saúde. 11. ed. São Paulo: Hucitec, 2008.

Santos KL; Quintanilha BC; Dalbello-Araujo M. A Atuação do Psicólogo na Promoção da Saúde. Psicologia: Teoria e Prática – 2010, 12(1): 181-196.

Sousa V; Cury VE. Psicologia e Atenção Básica: Vivências de Estagiários na Estratégia de saúde da Família. Ciência & Saúde Coletiva, 14 (Supl. 1): 1429-1438, 2009.

Backes DS, Backes MS, Erdmann AL, Büscher A. O papel profissional do enfermeiro no Sistema Único de Saúde: da saúde comunitária à estratégia de saúde da família. Ciência & Saúde Coletiva, 17(1): 223-230, 2012.

Silva, NR. Fatores determinantes da carga de trabalho em uma unidade básica de saúde. Ciência & Saúde Coletiva, 16(8): 3393-3402, 2011.

Zurba MC. Contribuições da psicologia social para o psicólogo na saúde coletiva. Psicologia & Sociedade; 23(spe), 5-11, 2011. doi: 10.1590/ S0102-71822011000400002

Carvalho LB; Bosi MLM; Freire JC. A Prática do Psicólogo em Saúde Coletiva: Um Estudo no Município de Fortaleza (CE), Brasil. Psicologia Ciência e Profissão, 2009, 29 (1), 60-73).

Vasconcellos VC. Trabalho em equipe na saúde mental: o desafio interdisciplinar em um CAPS. SMAD, Rev. Eletrônica Saúde Mental Álcool Drog. (Ed. port.), Ribeirão Preto , v. 6, n. 1, p. 1-16, 2010. Disponível em . acessos em 29 set. 2017.

Costa FC; Olivo VF. Novos sentidos para a atuação do psicólogo no Programa Saúde da Família. Ciência & Saúde Coletiva, 14(supl. 1): 1385-1394, 2009.

Oliveira IF, Silva FL, Yamamoto OH. A Psicologia no Programa de Saúde da Família (PSF) em Natal: espaço a ser conquistado ou um limite da prática psicológica? Aletheia n. 25, p. 5-19, jan/jun 2007.

Archanjo AM; Schraiber LB. A Atuação dos Psicólogos em Unidades Básicas de Saúde na Cidade de São Paulo. Saúde Soc. São Paulo, v. 21, n2, p. 351-363, 2012.

Brandão, IR; Nepomuceno LB. Psicólogos na Estratégia Saúde da Família: Caminhos Percorridos e Desafios a Superar. Psicologia: Ciência e Profissão, 2011, 31 (4), 762-777.

Cervo AL; Bervian PA. Metodologia Científica. 3 ed. São Paulo: McGraw-Hill, 2004.




DOI: https://doi.org/10.14295/idonline.v13i47.2057

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A Id on Line (ISSN: 1981-1179) é indexada nas seguintes bases de dados: