A IMPORTÂNCIA DO DIAGNÓSTICO PRECOCE NO CANCÊR INFANTO-JUVENIL

Mariana Nogueira Duarte Freire, Ana Vitória Gonçalves Ribeiro, Louise Alves Torres, Anne Israeliny Nunes Pinheiro, Ana Flávia Barroso de Moraes Bacalhau

Resumo


 

Introdução: O câncer é uma multiplicação desordenada das células, capaz permanecer no seu próprio sítio ou atingir outros órgãos. Manifesta-se em qualquer faixa etária, sendo o câncer infanto-juvenil de 0 a 19 anos. Considerado um tipo raro, o Instituto Nacional do Câncer (INCA) estima que quando comparado ao adulto, corresponde entre 2% e 3% dos tumores malignos registrados no Brasil. A capacitação dos profissionais da saúde para o diagnóstico precoce é importante para diminuir o tempo dos sintomas até o diagnóstico definitivo. Esse tipo de câncer é agressivo, com rapidez no seu desenvolvimento. Entretanto, torna-se mais responsivo ao tratamento. Objetivo: A finalidade desse trabalho é demonstrar a importância do diagnóstico precoce do câncer infanto-juvenil, relatar a epidemiologia e exaltar capacitação dos profissionais da atenção primária para esse diagnóstico, já que essa atenção é a porta de entrada para futuros tratamentos. Metodologia: A metodologia do trabalho foi uma revisão de literatura realizada de artigos da SCIELO, Revista Brasileira de Cancerologia e Revista Saúde, selecionando artigos entre o ano de publicação de 2010 a 2018.A partir da leitura de 18 artigos para avaliar os dados, foram selecionados 10, que demonstram a relevância deste diagnóstico precoce. Resultados: Segundo o INCA, a maior incidência ocorre em crianças até 5 anos de idade (36,97%), com predominância no sexo masculino (64%). Certificou-se que essa neoplasia possui sinais de alerta de difícil observação, confundindo-se com outros diagnósticos e sendo encaminhados para os centros especializados na fase avançada da doença. Assim, as equipes da atenção primária devem ser treinadas para reconhecer os sintomas precocemente, pois cerca de 70% das crianças acometidas são curadas a partir do diagnóstico e tratamento precoces. Conclusão: Portanto, é inquestionável que o diagnóstico precoce possibilita uma maior chance de cura. Os cuidados da atenção primária são imprescindíveis, devendo também incorporar políticas de rastreamento que minimizem o impacto desse câncer no cenário brasileiro.

 

Palavras chave: câncer infantil, tratamento, atenção primária.


Palavras-chave


câncer infantil, tratamento, atenção primária.

Texto completo:

PDF

Referências


Referências

ANTONELI, C. B. G. Sinais de alerta – Pode ser câncer.

In: CONGRESSO BAIANO DE ONCOLOGIA INFANTO-JUVENIL, 1., 2004, Ilhéus. Palestra... Ilhéus: [s.n.], 2004.

ALENCAR, D. M. Sinais e sintomas do câncer infantil. In: CONGRESSO BAIANO DE ONCOLOGIA INFANTO-JUVENIL, 1., 2004, Ilhéus. Palestra... Ilhéus: [s.n.], 2004.

LOGGETTO, S. Quais são as crianças que têm maior predisposição em ter câncer? In: CONGRESSO BAIANO DE ONCOLOGIA INFANTO-JUVENIL, 1., 2004, Ilhéus. Palestra... Ilhéus: [s.n.], 2004.

BELTRÃO MRLR, VASCONCELOS MGL, PONTES CM, ALBUQUERQUE MC. Câncer infantil: percepções maternas e estratégias de enfrentamento frente ao diagnóstico. Jorn. Ped. 2007;83(6):562-6.

AZEVEDO MCCV, LIMA KYN, SANTOS ADB, MONTEIRO AI. Atuação primária na identificação precoce do câncer infanto-juvenil. Rev. Pesq. Cuid. Fundam. 2012;4(3):2692-701.

SILVIA JKO, FILHO DCM, MAHAYRI N, FERRAZ RO, FRIESTINO FS. Câncer infantil: monitoramento da informação através dos registros de câncer de base populacional. Rev. Bras. Cancerol. 2012;58(4):681-6.

Malta JDS, Schall VT, Modena CM. O momento do diagnóstico e as dificuldades encontradas pelos médicos pediátricos no tratamento do câncer em Belo Horizonte. Rev. bras. cancerol. 2009;55(1):33-9.

JUNIOR PTM. Diagnóstico das leucemias agudas na infância: "Sempre alerta!" [editorial]. Pediatria (São Paulo). 2008;30(2):86-7.




DOI: https://doi.org/10.14295/idonline.v13i46.2009

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A Id on Line (ISSN: 1981-1179) é indexada nas seguintes bases de dados: