Sífilis Gestacional: Uma Revisão Integrativa / Gestational Syphilis: An Integrative Review

Fabiana Carvalho Bessa, Mara Kilvya Nunes da Silva, Vera Lúcia Lucena Lima, Maria Clara Torres Souza, Andreza Aparecida de Almeida Melo

Resumo


A sífilis congênita é uma das doenças evitáveis causadas pelas bactérias gram-negativas Treponema pallidum; ainda assim, impõe um sério ônus econômico e de saúde global, com mais da metade dos casos resultando em resultados adversos sérios, incluindo a mortalidade infantil. A transmissão de mãe para filho (MTCT) da sífilis é estimada em 3,6 milhões de crianças ano e esses dados são ajustados anualmente (DALYs) e cerca de US $ 309 milhões em custos médicos. Em 2018, estima-se que 9,7 milhões de crianças menores de cinco anos morreram em países em desenvolvimento; quase quatro milhões foram mortes neonatais. Havia 3,2 milhões de natimortos no mundo, entre os quais 95% estavam nos países em desenvolvimento. Na África Subsaariana, estima-se que haja 2,7% (0,1% -10,3%) de mulheres grávidas infectadas com sífilis, representando mais de 900.000 gravidezes em risco a cada ano. Havia muitos testes diagnósticos específicos e inespecíficos usados no passado, que exigiam equipamento de laboratório e eletricidade, mas há muitos testes mais recentes disponíveis que fornecem resultados rápidos com alta sensibilidade e especificidade, por exemplo, a tira imunocromatográfica (ICS) e rápido testes de sífilis (RST). A sífilis precoce pode ser completamente eliminada com uma única injeção de penicilina, que é prontamente disponível, barata e altamente eficaz, e o tratamento de mulheres grávidas com penicilina é 98% eficaz na prevenção da sífilis congênita. A segmentação de mulheres com alto risco de ter sífilis torna a triagem universal em programas pré-natais a maneira mais eficaz de prevenir a morbidade e a mortalidade associadas à sífilis. O potencial para um programa para prevenir a sífilis congênita nos períodos perinatal, neonatal e pós-natal é evidente. Ao considerar a alocação de recursos para programas de sobrevivência infantil em áreas onde a prevalência de sífilis é alta, as autoridades precisam incluir a triagem de sífilis pré-natal, usando testes rápidos e tratamento no primeiro contato da mãe com o sistema de saúde. Em países como a Zâmbia e outros locais com recursos limitados, um teste no mesmo dia e tratamento com penicilina deve ser priorizado para atingir o objetivo de eliminar a sífilis congênita. A eliminação da TMPF da sífilis por meio de triagem e tratamento na atenção pré-natal (CPN) é altamente custo-efetiva em uma ampla gama de contextos, especialmente em países com alta prevalência.


 



Palavras-chave


Sífilis congênita; Precaução; Estatísticas

Texto completo:

PDF

Referências


BONAWITZ RE, Duncan J, Hammond E, et al.: Assessment of the impact of rapid syphilis tests on syphilis screening and treatment of pregnant women in Zambia. Int J Gynaecol Obstet. 2015, 130:58–62. 10.1016/j.ijgo.2015.04.015

BOWEN V, Su J, Torrone E, Kidd S, Weinstock H: Increase in incidence of congenital syphilis - United States, 2012-2014. MMWR Morb Mortal Wkly Rep. 2015, 64:1241–1245.

DAMASCENO, Alessandra BA et al. Sífilis na gravidez. Revista Hospital Universitário Pedro Ernesto, v. 13, n. 3, 2014. T. 2018.Disponível em:< https://scholar.google.com.br>. Acesso em 29 SET. 2018.

DE FRANÇA, Inacia Sátiro Xavier et al. Fatores associados à notificação da sífilis congênita: um indicador de qualidade da assistência pré-natal. Revista da Rede de Enfermagem do Nordeste, v. 16, n. 3, 2015.Disponivel em

FIGUEIRÓ-FILHO, Ernesto Antonio et al. Sífilis e gestação: estudo comparativo de dois períodos (2006 e 2011) em população de puérperas. DST j bras doenças sex transm, v. 24, n. 1, p. 32-7, 2012.Disponível em:< https://scholar.google.com.br> .acesso em 29 SET.2018.

HAWKES S, Matin N, Broutet N, Low N: Effectiveness of interventions to improve screening for syphilis in pregnancy: a systematic review and meta-analysis. Lancet Infect Dis. 2011, 11:684–691. 10.1016/S1473-3099(11)70104-9

HIRA SK, Bhat GJ, Chikamata DM: Syphilis intervention in pregnancy: Zambian demonstration project. Genitourin Med. 1990, 6:159–164. 10.1136/sti.66.3.159

JENNISKENS F, Obwaka E, Kirisuah S, et al.: Syphilis control in pregnancy: decentralization of screening facilities to primary care level, a demonstration project. Int J Gynaecol Obstet. 1995, 48:121–128. 10.1016/0020-7292(95)02326-8

KAHN JG, Jiwani A, Gomez GB, et al.: The cost and cost-effectiveness of scaling up screening and treatment of syphilis in pregnancy: a model. PLoS One. 2014, 9:87510. 10.1371/journal.pone.0087510

KRUGER C, Malleyeck I: Congenital syphilis: still a serious, under-diagnosed threat for children in resource-poor countries. World J Pediatr. 2010, 6:125–131. 10.1007/s12519-010-0028-z

KUZNIK A, Habib AG, Manabe YC, Lamorde M: Estimating the public health burden associated with adverse pregnancy outcomes resulting from syphilis infection across 43 countries in sub-Saharan Africa. Sex Transm Dis. 2015, 42:369–375. 10.1097/OLQ.0000000000000291

KUZNIK A, Lamorde M, Nyabigambo A, Manabe YC: Antenatal syphilis screening using point-of-care testing in sub-Saharan African countries: a cost-effectiveness analysis. PLoS Med. 2013, 10:1001545. 10.1371/journal.pmed.1001545

MAGALHÃES, Daniela Mendes dos Santos et al. Sífilis materna e congênita: ainda um desafio. Cadernos de Saúde Pública, v. 29, p. 1109-1120, 013.hhttps://scholar.com.br. acesso em 15DEZ.2018.

MCDERMOTT J, Steketee R, Larsen S, Wirima J: Syphilis-associated perinatal and infant mortality in rural Malawi. Bull World Health Organ. 1993, 71:773–780.

MENDES, K. D. S.; SILVEIRA, R. C. C. P.; GALVAO, C. M. Revisão integrativa: método de pesquisa para a incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Texto contexto - enferm. [online]. Vol.17, n.4, p.758-764, 2008.

MESQUITA, K. O., Lima, G. K., Filgueira, A. A., Flôr, S. M. C., Freitas, C. A. S. L., Linhares, M. S. C., & Gubert, F. A. (2012). Análise dos casos de sífilis congênita em Sobral, Ceará: contribuições para assistência pré-natal. DST-J Bras Doenças Sex Transm, 24(1), 20-7. Disponível em:< https://scholar.google.com.br>. Acesso em 29 SET. 2018.

MOREIRA, Kátia Fernanda Alves et al. Perfil dos casos notificados de sífilis congênita. Cogitare enferm, v. 22, n. 2, p. e48949, 2017. Disponível em:< https://scholar.google.com.br>. Acesso em 29 SET. 2018.

OWUSU-Edusei KJ, Gift TL, Ballard RC: Cost-effectiveness of a dual non-treponemal/treponemal syphilis point-of-care test to prevent adverse pregnancy. Sex Transm Dis. 2011, 38:997–1003. 10.1097/OLQ.0b013e3182260987

PEELING RW, Ye H: Diagnostic tools for preventing and managing maternal and congenital syphilis: an overview. Bull World Health Organ. 2004, 82:439–446.

SALOOJEE H, Velaphi S, Goga Y, Afadapa N, Steen R, Lincetto O: The prevention and management of congenital syphilis: an overview and recommendations. Bull World Health Organ. 2004, 82:424–430.

SARACENI, Valeria et al. Epidemiological surveillance of vertical transmission of syphilis: data from six federal units in Brasil/Vigilância epidemiologica da transmissao vertical da sífilis: dados de seis unidades federativas no Brasil/Vigilância epidemiologica de la transmision vertical de la sífilis: datos de seis unidades federativas de Brasil. Revista Panamericana de Salud Publica, v. 41, n. 3, 2017. Disponível em:< https://go.galegroup.com.br> acesso em 29 NOV. 2018.

SCHULZ KF, Cates W,Jr, O'Mara PR: Pregnancy loss, infant death, and suffering: legacy of syphilis and gonorrhoea in Africa. Genitourin Med. 1987, 63:320–325. 10.1136/sti.63.5.320

TERRIS-PRESTHOLT F, Vickerman P, Torres-Rueda S: The cost-effectiveness of 10 antenatal syphilis screening and treatment approaches in Peru, Tanzania, and Zambia. Int J Gynaecol Obstet. 2015, 130:73–80. 10.1016/j.ijgo.2015.04.007

TUCKER JD, Bu J, Brown LB, Yin YP, Chen XS, Cohen MS: Accelerating worldwide syphilis screening through rapid testing: a systematic review. Lancet Infect Dis. 2010, 10:381–386. 10.1016/S1473-3099(10)70092-X.




DOI: https://doi.org/10.14295/idonline.v13i47.1986

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A Id on Line (ISSN: 1981-1179) é indexada nas seguintes bases de dados: