Perfil das Instituições de Nível Superior de Enfermagem quanto a formação sobre Doação de Órgãos / Profile of the Institutions of Higher Education in Nursing Course as Regards the Training on Organ Donation

Amana da Silva Figueiredo, Antonia Thamara Ferreira dos Santos, Nadilânia Oliveira da Silva, Naidhia Alves Soares Ferreira, Bruna Bandeira Oliveira Marinho, Isabelita de Luna Batista Rulim, Maria Corina Amaral Viana

Resumo


Objetivo: traçar o perfil das instituições de nível superior de enfermagem quanto a formação sobre doação, captação e transplante de órgãos e tecidos. Método: Trata-se de um estudo exploratório e descritivo. A coleta de dados ocorreu em instituições de ensino superior nas cidades de Crato e Juazeiro do Norte. O período do estudo se deu de agosto de 2017 a maio de 2018. A coleta foi realizada com quatro coordenadores dos cursos de enfermagem. Enviado ao Comitê de Ética e Pesquisa e aprovado com número de parecer 2.546.584. Resultados: Os coordenadores acreditam que os alunos têm recebido suporte necessário para saírem da graduação com um conhecimento mínimo sobre doação e transplante de órgãos. Conclusão: Percebe-se que as instituições do estudo em questão estão dando o suporte, em sua maioria, para que os alunos saiam da universidade conhecendo o básico acerca da doação e transplante de órgãos e tecidos.


Palavras-chave


Instituições de ensino; doação de órgãos; transplante

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, E. C; BUENO, S. M. V; BALDISSERA, V. D. A. A abordagem dialógica para a formação ética do enfermeiro no processo de doação de órgãos. Umarama. PR. Arquivos de Ciências da Saúde da UNIPAR. V. 18, n. 1. Jan./abr. 2014.

AMESTOY, S.C et al. Processo de formação de enfermeiros líderes. Brasília. Rev. Brasileira de Enfermagem, nov./dez. 2010.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE TRANSPLANTE DE ÓRGÃO-ABTO. Dimensionamento dos Transplantes no Brasil e em cada estado (2009-2016). São Paulo. Rev. Brasileira de Transplante-RBT.2016.

______-ABTO. Diretrizes Básicas Para Captação e Retirada de Múltiplos Órgãos e Tecidos da Associação Brasileira de Transplante de Órgãos. São Paulo, ABTO. Out. 2009.

BRASIL-Conselho Nacional de Saúde. RESOLUÇÃO Nº 510, DE 07 DE ABRIL DE 2016. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil. Brasília. 07 de abr. de 2016. Disponível em: < http://conselho.saude.gov.br/resolucoes/2016/Reso510.pdf >. Acessado em: 20 de setembro de 2017

______-Ministério da Saúde. Resolução nº 466, de 12 de dezembro de 2012. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil. Brasília. 12 de dezembro de 2012. Disponível em: . Acessado em: 5 de julho de 2019.

CISNE, M.S.V et al. Percepção de acadêmicos de enfermagem e medicina sobre fragilidades na atenção ao potencial doador de órgãos. Rev. Enferm. Atenção Saúde [Online]. V.5, nº1. Jan./Jul. 2016.

CONSELHO FEDERAL DE ENFERMAGEM-COFEN. Resolução COFEN-292/2004. Brasília, 07 de junho de 2004. Disponível em: . Acessado em: 7 de julho de 2019.

GUELBER, F.A.C; MAGACHO, E.J.C; DIAS, S.M; SOARES, T.C. Cuidando da pessoa com morte encefálica – experiência da equipe de enfermagem. São Paulo. Jornal Bras. Transp. Vol.14, nº 2. Abr./jun. 2011.

ITO, E.E et al. O ensino de enfermagem e as diretrizes curriculares nacionais: utopia x realidade. São Paulo. Rev. Esc. Enfermagem USP. Vol. 40, nº 4. 2006.

MENDES, K.D.S. et al. Transplante de órgãos e tecidos: responsabilidades do enfermeiro. Florianópolis. Rev. Texto contexto-enfermagem. Vol.21, nº 4. 2012.

MOURA, K.H.M et al. Percepção dos acadêmicos de enfermagem sobre a doação de órgãos e tecidos. São Paulo. Rev. Nursing, agost. 2011.

PRODANOV, C.C; FREITAS, E.C. Metodologia do trabalho científico: métodos e técnicas da pesquisa científica e do trabalho acadêmico. 2ª edição; Rio Grande do Sul. Feevale. 2013.

QUAGLIO, W. H.; BUENO, W. M. V.; ALMEIDA, E. C. de. Dificuldades enfrentadas pela equipe de enfermagem no cuidado aos pacientes transplantados: revisão integrativa da literatura. Umuarama. PR. Arq. Cienc. Saúde UNIPAR. V. 21, n. 1; jan./abr. 2017.

REIS, M.L; POPOV, D.C.S. Percepção de estudantes de enfermagem sobre a doação de órgãos. São Paulo. Rev. Enferm. UNISA, 2009.

VIANA, M.C.A. Cuidados na captação de órgãos e tecidos para transplantes: por conceitos de “tecnologias de saúde” e “tecnologias de enfermagem”. 251 f. Tese (Doutorado em Enfermagem) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, Escola de Enfermagem Anna Nery, Rio de Janeiro, 2013.

WESTPHAL, G.A et al. Diretrizes para avaliação e validação do potencial doador de órgãos em morte encefálica. Artigo especial. São Paulo. Rev. Bras. Ter. Intensiva. Fevereiro, 2016.




DOI: https://doi.org/10.14295/idonline.v13i46.1928

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A Id on Line (ISSN: 1981-1179) é indexada nas seguintes bases de dados: