Percepção de familiares, crianças e adolescentes em Tratamento Oncológico sobre o papel do Psicólogo / Perception of family members, children and adolescents on cancer treatment about role of the psychologist

Laura Leffa Cardoso, Nerilza Volpato Beltrame Alberton, Fernanda de Souza Fernandes, Amanda Castro

Resumo


O objetivo do estudo em questão foi compreender a percepção de pacientes oncológicos infantojuvenis e familiares acerca do papel do psicólogo no atendimento à pacientes com câncer. Para a coleta de dados foram entrevistadas três pessoas com câncer com idade entre oito e quatorze anos e seis familiares, todos frequentadores da Casa Guido. A pesquisa foi aplicada por meio de uma entrevista semiestruturada e às crianças foi solicitado ainda que desenhassem o psicólogo com quem tiveram contato, sendo realizado um inquérito posterior ao desenho, seguindo ao pressuposto do teste HTP – House, Tree, Person. Foi possível identificar que os participantes da pesquisa dão uma atribuição positiva ao trabalho do psicólogo concomitante ao tratamento do câncer, aspecto identificado em falas que denotam que o psicólogo é visto como aquele que brinca, conversa, entende, orienta e ajuda a lidar com o processo da doença, possibilitando assim uma melhor qualidade de vida.

 

PERCEPÇÃO DE FAMILIARES, CRIANÇAS E ADOLESCENTES EM TRATAMENTO ONCOLÓGICO SOBRE O PAPEL DO PSICÓLOGO

 


Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, Stephanie Witzel Esteves; UCHÔA-FIGUEIREDO, Lúcia da Rocha. Estratégias de atuação da psicologia diante do câncer infantil: uma revisão integrativa. Sociedade Brasileira de Psicologia Hospitalar, Rio de Janeiro, v. 20, n. 1, p.55-74, jan. 2017. Disponível em: . Acesso em: 30 abr. 2019.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011, 229 p

BRASIL. Instituto Nacional do Câncer José Alencar Gomes da Silva. Ministério da Saúde. Estimativa 2016: incidência de câncer no Brasil. 2015. Disponível em: . Acesso em: 31 mar. 2018.

________. Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva - Inca.. Ministério da Saúde. Câncer: O que é o câncer. 2018a. Disponível em: . Acesso em: 20 maio 2018.

________. Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva – Inca.. Ministério da Saúde. Tipos de Câncer: Câncer Infantojuvenil. 2018b. Disponível em: . Acesso em: 07 abr. 2019.

BRUM, Monize Viana; AQUINO, Giselle Braga de. Estudo do impacto do tratamento do câncer infantil nos aspectos emocionais dos cuidadores de crianças com diagnóstico da doença. Revista Científica da Faminas, Muriaé, v. 10, n. 2, p.97-117, 26 jun. 2014. Disponível em: . Acesso em: 23 abr. 2019.

CARDOSO, Flávia Tanes. Câncer Infantil: Aspectos emocionais e atuação do psicólogo. Sociedade Brasileira de Psicologia Hospitalar, Rio de Janeiro, v. 10, n. 1, p.25-52, jun. 2017. Disponível em: . Acesso em: 30 abr. 2019.

FANTIANATO, Marcelo. Método de Pesquisa. São Paulo, 2015. 50 slides, P&B. Disponível em: . Acesso em: 19 maio 2018.

FIGUEIREDO, Mara Alice Diniz. As células e o câncer: do desenvolvimento normal a malignidade. In: CARBONARI, Karla; SEABRA, Carolina Ribeiro (Org.). Psico-oncologia: assistência humanizada e qualidade de vida. São Paulo: Editora Comenius, 2013. p. 30-39.

FREITAS, Juliana Aparecida Lombardi. ASPECTOS PSICOLÓGICOS ENVOLVIDOS NA SOBREVIVÊNCIA DO CÂNCER INFANTIL. Uningá, Maringá, v. 55, n. 2, p.1-13, abr. 2018. Disponível em: . Acesso em: 30 abr. 2019.

GARCIA, Ionara Ferreira da Silva; TEIXEIRA, Carla Pacheco. Visita Domiciliar: um instrumento de intervenção. Sociedade em Debate, Pelotas, v. 1, n. 15, p.165-178, jun. 2009. Disponível em: . Acesso em: 26 mar. 2019.

GUIMARÃES, Flora Corrêa; PEREIRA, Caciana Linhares. A criança e a "morte anunciada":: Considerações sobre a escuta analítica na oncologia pediátrica. Estilos da Clínica, São Paulo, v. 23, n. 2, p.242-261, ago. 2018. Disponível em: . Acesso em: 26 mar. 2019.

MANZINI, Eduardo. Entrevista semiestruturada: análise de objetivos e de roteiros. In: SEMINÁRIO INTERNACIONAL SOBRE PESQUISA E ESTUDOS QUALITATIVOS, 2, 2004, Bauru. Anais... [S/L] 2004, 10p. Disponível em: . Acesso em: 17 maio 2018.

MINAYO, Maria Cecília de Souza (Org.). Pesquisa Social: Teoria, método e criatividade. 18. ed. Petrópolis: Vozes, 2001. 96 p. Disponível em: . Acesso em: 19 maio 2018.

_________, Maria Cecília de Souza. O desafio do conhecimento.: Pesquisa qualitativa em saúde. 9. ed. São Paulo: Hucitec, 2006. 406 p.

NERY, Maria da Penha; CONCEIÇÃO, Maria Inês Gandolfo (Org.). Intervenções grupais: O psicodrama e seus métodos. São Paulo: Editora Ágora, 2012. 369 p.

SANTOS, Renato Caio Silva; CUSTÓDIO, Lucas Matheus Grizotto. PSICO ONCOLOGIA PEDIÁTRICA E DESENVOLVIMENTO: CONSIDERAÇÕES TEÓRICAS SOBRE O ADOECIMENTO E OS LUTOS DECORRENTES DO CÂNCER INFANTIL. Psicologia.pt: O portal dos psicólogos, São Paulo, p.1-13, 22 out. 2017. Disponível em: . Acesso em: 26 abr. 2019.

SCANNAVINO, Camila Saliba Soubhia et al. PSICO-ONCOLOGIA: ATUAÇÃO DO PSICÓLOGO NO HOSPITAL DE CÂNCER DE BARRETOS. Psicologia Usp, São Paulo, v. 1, n. 24, p.35-53, jan. 2013. Disponível em: . Acesso




DOI: https://doi.org/10.14295/idonline.v13i46.1902

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A Id on Line (ISSN: 1981-1179) é indexada nas seguintes bases de dados: