As faces da melancolia: pulsão de morte, supereu e ato em Florbela Espanca.

Débora dos Santos Silva, Raul Max Lucas da Costa

Resumo


O artigo pretende analisar os mecanismos envolvidos no processo melancólico de Florbela Espanca, poetisa portuguesa do início do século XX, tentando responder se a escrita literária e confessional conseguiu conter, à maneira de sublimação, uma dor profunda de viver que caracterizava a tristeza manifesta em sua vida. Para esta finalidade utilizou-se a metodologia de pesquisa bibliográfica sobre a melancolia, a partir da perspectiva freudiana que trabalha com as categorias: pulsão de morte, conflitos entre Eu e Supereu e culpa; e, lacaniana, que enfatiza ideias sobre gozo, identificação com o objeto a enquanto dejeto, e ato suicida como tentativa de fazer barra aos imperativos do Supereu. Examinou-se também teóricos da literatura acerca da obra da poetisa, além de seus relatos íntimos contidos em sua correspondência, e alguns de seus poemas. Estes retratavam o quanto sua escrita era cheia da melancólica sensação de angústia, de tristeza e de morte. Nesse sentido, faz-se uma interseção entre psicanálise e literatura buscando ampliar os debates sobre a patológica melancolia e uma de suas consequências: o suicídio.


Palavras-chave


Pulsão de morte; Supereu; Gozo; Florbela; Ato suicida.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.14295/idonline.v6i17.190

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A Id on Line (ISSN: 1981-1179) é indexada nas seguintes bases de dados: