Qualidade de Vida em Praticantes de Neopilates / Quality of Life in Neopilates Practicers

Gerlane Pereira Costa, Kleyton Trindade Santos

Resumo


O Neopilates (NP), também conhecido como Pilates instável, é uma das adaptações do método Pilates atualmente praticadas no Brasil. A modalidade, alia às técnicas originais o treinamento funcional e atividades circenses. Com o objetivo de avaliar o potencial dessa prática na qualidade de vida de pessoas saudáveis, este estudo foi desenvolvido. Para tanto, 40 pessoas foram selecionadas para a amostragem, das quais 20 eram praticantes de NP e 20 não faziam nenhuma atividade física. A análise da qualidade de vida (QV) foi feita pela aplicação do questionário Whoqol-bre, desenvolvido pela Organização Mundial de Saúde, o qual é composto de quatro domínios: físico, psicológico, relações sociais e meio ambiente. Os dados foram expressos em médias, os quais foram analisados estatisticamente. Os Resultados mostraram que a média de QV geral dos praticantes de NP (25,04 ± 2,37) é superior (p=0,002) às das pessoas sedentárias (18,84 ± 5,93). Além disso, os praticantes de NP apresentaram comparativamente maiores índices de QV em todos os domínios do Whoqol-bref, dos quais o físico foi o de maior valor. Assim, o presente trabalho verificou que a prática de NP influenciou na melhora da QV dos participantes analisados, sendo estes resultados uma base teórica importante para fisioterapeutas e praticantes dessa modalidade.

Palavras-chave


Whoqol-bref; atividade física; Pilates

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRADE, L. C. P., FIOCO, E. M., ZANELLA, C. A. B., JUNIOR, E. A. B., VERRI, E. D. 2019. Análise eletromiográfica do músculo esternocleidomastoideo dos indivíduos com dtm após a reabilitação com neopilates. Braz. J. Hea. Rev., 2 (1): 48-56.

ARAÚJO, D. S. M. S.; ARAÚJO, C. G. S. 2000. Aptidão física, saúde e qualidade de vida relacionada à saúde em adultos. Rev. Bras. Med. Esporte, 6(5): 194-203.

BERTOLDI, J. T., TESSER, R., DAMACENO, M. S. 2016. Impacto do Método Pilates na qualidade de vida dos praticantes. Cinergis, 17(1):15-21.

BRANCO, A. N. C., MIYAMOTO, G. C., SOLIANO, A. C. G., FARHAT, H. A., FRANCO, K. F. M., CABRAL, C. N. M. 2017. Comparação da satisfação, motivação, flexibilidade e dor muscular tardia entre método Pilates moderno e método Pilates instável. Fisioter Pesqui., 24(4):427-436.

BRAZ, A. 2016. NeoPilates: Pilates, Circo, Funcional. Brasília; Editora Kiron.

CARLOS, M. B. B. 2013. Estudo comparativo entre a percepção da qualidade de vida e o nível de estresse em indivíduos praticantes de Pilates solo, hidroginástica e sedentários. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação). Centro Universitário de Formiga - UNIFOR, Formiga-MG.

CASALINI, E. D. B. 2011. Perfil dos idosos praticantes de pilates. Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul – Unijuí - RS.

CRUZ-FERREIRA, A., FERNANDES, J., LARANJO, L., BERNARDO, L. M., SILVA, A. 2011. A systematic review of the effects of pilates method of exercise in healthy people. Arch Phys Med Rehabil, 92: 2071-2081.

DAVIS, C. Fisioterapia e reabilitação: Terapias complementares.2ª edição. Rio de Janeiro Editora Guanabara Koogam, 2006.

DE OLIVEIRA, J. B., FRANÇA, D. B., BATISTA, E. V., PONTES, S. S. 2018. Recortes das abordagens e reabilitação proprioceptiva: revisão bibliográfica narrativa. Dê Ciência em Foco, 2(1): 128-140.

FORATTINI, O. P. 1992. Ecologia, epidemiologia e sociedade. São Paulo: Artes Médicas – USP.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: Atlas, 2002.

GUIMARÃES, A. C. A.; BAPTISTA, F. M. Índice de massa corporal e qualidade de vida relacionada com a saúde em mulheres de meia-idade. Revista Brasileira Clinica Médica. 6: 228-232.

GONÇALVES, P. S.; LIMA, P. O. P. 2014. Percepção de saúde e qualidade de vida: um inquérito com praticantes de Pilates. Rev Fisioter S Fun., 3(1):11-17.

GORDIA, A. P., QUADROS, T. M. B., OLIVEIRA, M. T. C., CAMPOS, W. 2011. Qualidade de vida: contexto histórico, definições, avaliação e fatores associados. Rev Bras Qualid Vida, 3(1):40-52.

IGLESIAS, R. B. 2002. Qualidade de vida de alunos trabalhadores que cursam a graduação em enfermagem. 2002. 97 f. Dissertação (Mestrado em Enfermagem), Universidade de São Paulo, Escola de Enfermagem.

KLUTHCOVSKY, A. C. G. C., KLUTHCOVSKY, F. A. 2009. O WHOQOL-bref, um instrumento para avaliar qualidade de vida: uma revisão sistemática. Rev. psiquiatr. Rio Gd. Sul, 31(3): 1-12.

LATEY, P. 2001. The Pilates method: history and philosophy. Journal of Bodywork and Movement Therapies, 5(4), 275-282.

LAKATOS. Eva Maria. MARCONE. Marina de Andrade. Fundamentos de Metodologia Cientifica. 6ª edição Atlas. São Paulo 2009.

NATOUR, J., CAZOTTI, L. A., RIBEIRO, L. H., BAPTISTA, A. S., JONES, A. 2014. Pilates improves pain, function and quality of life in patients with chronic low back pain: a randomized controlled trial. Clinical Rehabilitation, 29(1) 59–68.

PANZINI, et al., Validação brasileira do Instrumento de Qualidade de Vida/espiritualidade, religião e crenças pessoais. Rev Saude Publica, v. 45, n. 1, p. 153-165, 2011

PILATES, J. H. 2000. The complete writings of Joseph H. Pilates: Return to life through contrology and your health. In: SEAN P, GALLAGHER PT, ROMANA KRYZANOWSKA, editors. Philadelphia: Bain Bridge Books.

PINTO, J. R., LOPES, C. R., CRUZ, T. M. F., LIBERALI, R., NETTO, M. I. A., BRANDÃO, H. V. Estudo comparativo da percepção da qualidade de vida entre pessoas praticantes do método Pilates e pessoas não praticantes através do instrumento REIS, L. A.,

MASCARENHAS, C. H. M., LYRA, J. E. 2011. Avaliação da qualidade de vida em idosos praticantes e não praticantes do método Pilates. C&D-Revista Eletronica da Fainor, 4(1): 38-51.

SOUZA, M. S., VIEIRA, C. B., 2006. Who are the people looking for the Pilates method? Journal of Bodywork and Movement Therapies, 10, 328–334.

WHOQOL-bref. 2013. EFDeportes.com, Revista Digital. Buenos Aires, Año 18, Nº 179.

THE WHOQOL GROUP. 1998. World Health Organization quality of life assessment (WHOQOL): development and general psychometric properties. Soc Sci Med. 46(12):1569-85.

TOZIM, B. M., FURLANETTO, M. G., FRANÇA, D. M. L., MORCELLI, M. H., NAVEGA, M. T. 2014. Efeito do método Pilates na flexibilidade, qualidade de vida e nível de dor em idosos. ConScientiae Saúde, 13(4):563-570.

WHO - WORLD HEALTH ORGANIZATION. 2006. Constitution of the World Health Organization. Basic Documents, Forty-fifth edition, Supplement.

VICENTIN, A. P. M.; PADOVANI, C. R.; GONÇALVES, A. 2006. Qualidade de vida, empowerment e atividade física em mulheres brasileiras: o caso da hidroginástica no Jardim São Marcos. Campinas, SP. 2006.

ZEN, J. M., RAMPEL, C., GRAVE, M. Q. V. 2016. Qualidade de vida de praticantes de Pilates e de sedentários. ConScientiae Saúde, 15(4):593-603.




DOI: https://doi.org/10.14295/idonline.v13i46.1868

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A Id on Line (ISSN: 1981-1179) é indexada nas seguintes bases de dados: