Análise dos fatores que interferem na aprendizagem de alunos do 1º ao 3º do Ensino Fundamental no município de Ocara / Analysis of the factors that interfere in the learning of students from 1st to 3rd grade in the municipality of Ocara

Verônica Holanda da Silva, Adelar Hengemühle

Resumo


Existem muitas discussões sobre as mudanças que o sistema educacional brasileiro tem sofrido nas últimas décadas, para atender às novas demandas provenientes do processo de universalização da educação. Porém, com base nessas mudanças é que se faz surgir o desafio de proporcionar educação de qualidade para todos. Desafios esses, que não são poucos nem tão pouco fáceis de enfrentar. No entanto, é preciso reconhecer que a educação já alcançou varias conquistas, pelo qual tem feito com que a esperança se renasça a cada novo dia. O presente trabalho parte do pressuposto que é preciso investigar, observar e analisar nossas escolas para conseguirmos obter resultados mais reais e significativos. Portanto, terá como objetivo analisar os aspectos que dificultam a aprendizagem de alunos do 1º ao 3º ano de uma escola pública de Ocara, tentando compreender até que ponto professores e escola podem contribuir para efetivar uma educação de qualidade. A população investigada foi de 40 sujeitos, entre professores, pais e alunos do 1º ao 3º ano, de escolas públicas de Ocara. Todos os sujeitos responderam a questionários que nos deram informações reais sobre o dia a dia de sala de aula e familiar, enfocando aos momentos de aprendizagem. Na verdade, teve um cunho investigativo como a finalidade de discutir, após os resultados na possível elaboração de estratégias que possa contribuir com a escola e secretaria de educação na efetivação de uma aprendizagem significativa.

Palavras-chave


Dificuldades. Estratégias. Aprendizagens.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, Rejane Maria de. As dificuldades de aprendizagem: repensando o olhar e a prática no cotidiano da sala de aula. Florianópolis, 2002.

AMORIM, Galeno org.. Retratos da leitura no Brasil / Organizador Galeno Amorim. - São Paulo: Imprensa Oficial: Instituto Pró-livro, 2008.

ARDILA, Rubén. J.B. Watson, a psicologia experimental e o condutismo 100 anos depois. Artigo. Bogotá: Universidad Nacional de Colombia. 2013.

BARBOSA, Maria Carmen Silveira. Projeto de cooperação técnica MEC e UFRGS para construção de orientações curriculares para a Educação Infantil. Práticas cotidianas na educação infantil – bases para a reflexão sobre as orientações curriculares. Brasília, 2009.

BARBOSA. Laura Monte Serrat. Psicopedagogia: um diálogo entre a psicopedagogia e educação, 2 ed Ver. E ampl. Curitiba: bolsa nacional do livro, 2006.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1977.

BASTOS, Ana Carmen. Associação Portuguesa de Pessoas com Dificuldades de Aprendizagem Específicas. APPDAE, 2013. Disponível em . Acesso em 27/dez./2018.

BERBEL, N. A. N. As metodologias ativas e a promoção da autonomia de estudantes. Semina: Ciências Sociais e Humanas, Londrina, v. 32, n. 1, p. 25-40, jan./jun. 2011.

BEST, J. W. Como investigar em educacion, 2 ed. Madrid. Ed. Morata, 1972.

BRASIL. Estatuto da Criança e do Adolescente – ECA. Lei Nº 8.069 de 13 de julho de 1990.

______. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei n° 9394, de 20 de dezembro de 1996.

_______. Ministério da Educação e Deporto. Secretaria de Ensino Fundamental. Referencial Curricular e Nacional para a Educação Infantil. V3. Brasília: MEC/SEF, 1998.

CAJATY, Claudia Queiroz, a aprendizagem da leitura e da escrita na alfabetização monográfica. Fortaleza, 2003.

CARICCHIA, D. C. O desenvolvimento da criança nos primeiros anos de vida. 2011. Disponível em . Acesso em 09/jan/2019.

CIASCA, S. M. Distúrbios de Aprendizagem: uma questão de nomenclatura. Revista Sinpro, Rio de Janeiro, v. 10, p. 04-08, out. 2003.

COELHO, Paulo. Histórias para Pais, Filhos e Netos. São Paulo: Globo, 2001.

COLL, César Salvador. Aprendizagem escolar e construção do conhecimento. Porto Alegre, Artes Médicas, 1994.

CURY, Augusto Jorge. Inteligência multifocal: análise da construção dos pensamentos e da formação de pensadores. 8. ed. rev. – São Paulo: Cultrix, 2006.

CRUZ, M. L. R. M. Estratégias pedagógicas para alunos com dificuldades de aprendizagem. Artigo. 214. Disponível em . Acesso em 9/jan/2019.

DSM-V. Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais: DSM-V/ (American PsychiatricAssociation). 5ªed. Porto Alegre: Artmed, 2014.

FERRARI, Marcio. Emilia Ferreiro, a estudiosa que revolucionou a alfabetização. 2008. Disponível em . Acesso em 09/jan/2019.

FERREIRO, Emilia. Desenvolvimento da alfabetização: psicogênese. In: GOODMAN, leta M.(Org.). Como as crianças constroem a leitura e a escrita: perspectivas piagetianas. Porto Alegre: Artes Médicas,1995.

FERREIRO, Emilia; TEBEROSKY, Ana. A Psicogênese da Língua Escrita. Porto Alegre: Artes Médicas, 1985.

______. A Psicogênese da língua escrita. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 1999.

FLICK, E.v. Kardorff. A Companion to Qualitative Research. London: SAGE, 2004.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996. – Coleção Leitura.

FRIEDMANN, Adriana. Segredos do mundo lúdico. In Caderno do Nepsid, n-1,1ª. Edição, 2003.

GARDNER, Howard. Inteligências Múltiplas: a teoria na prática. Trad. Maria Adriana Veríssimo Veronese. Porto Alegre: Artmed, 1995.

GATTI, Bernardete. A Formação de professores no Brasil: características e problemas. Educ. Soc. Campinas, v.31, n. 113, p.1355-1379, 2010.

GIL, Antonio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: Editora Atlas, 1999.

______. Métodos e Técnicas de Pesquisa Social. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

______. Como elaborar Projetos de Pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

GIMENEZ, E. H.R. Dificuldade de aprendizagem ou distúrbio de aprendizagem. Revista de Educação. V.8, n.8, 2005.

GOODMAN, Yetta M. conhecimento das crianças sobre a alfabetização. Porto Alegre: Artes Médicas, 1995.

HENGEMÜHLE, A. Gestão de Ensino e Práticas Pedagógicas. 6 ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2010.

HENGEMÜHLE, Adelar. Professor Empreendedor Preparando Pessoas Empreendedoras: Limitações e Possibilidades. Projeto de Pesquisa Pós-doutorado. Porto Alegre, 2012.

ILIOVITZ, Erica Reviglio. Letramento e alfabetização no exercício da docência: aspectos teóricos e práticos. Comunicação apresentada no Encontro Nacional de Letramento. João Pessoa-PB, 21 a 24.05.2008.

KRAMER, S. As crianças de 0 a 6 anos nas políticas educacionais no Brasil: educação infantil e/é fundamental. Educação e Sociedade, Campinas, v. 27, n. 96, Especial, p. 797-818, out. 2006.

LAKATOS, Eva Maria. Fundamentos de metodologia científica 1. Marina de Andrade Marconi; Eva Maria Lakatos. - 5. ed. - São Paulo: Atlas, 2003.

LANE, Silvia T. Maurer. O que é Psicologia Social. Coleção primeiros passos. São Paulo. Nova Cultural Brasiliense, 1985.

LEMES, Rhodolfo Pereira. Os fatores que interferem no processo de Ensino e aprendizagem: UniCEUB - CENTRO UNIVERSITÁRIO DE BRASÍLIA. Brasília, 2006.

LIBÂNEO, José Carlos. Adeus professor, adeus professora?: novas exigências educacionais e profissão docente. São Paulo: Cortez, 1998.

LIMA, Aléssio Costa. O sistema permanente de avaliação da educação básica do Ceará (SPAECE) como expressão da política pública da avaliação educacional do estado. Dissertação de Mestrado. Universidade Estadual do Ceará – UECE. Centro de Estudos Sociais Aplicados – CESA, Fortaleza, 2007.

LUNA, F. S. Psicogênese da língua escrita: o processo de ensino e aprendizagem de alfabetização no 1º ano do Ensino Fundamental. TCC. Lins, SP: Unisalesiano, 2013.

MARCONI, M. D. A.; LAKATOS, E. M. Fundamentos de metodologia científica. 7. ed. São Paulo: Atlas, 2012.

MENDONÇA, O. S.; MENDONÇA, O. C. Alfabetização - Método sociolinguístico: consciência social, silábica e alfabética em Paulo Freire. 3 ed. São Paulo: Cortez, 2009.

MINAYO, M. C. S. Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. 9. ed. Petrópolis: Vozes, 2000.

MOREIRA, Marco Antonio. O que é afinal aprendizagem significativa?. Artigo. Porto Alegre, UFRGS, 2010.

MOTA, Graziele Cristina.Fatores comportamentais que interferem no processo de aprendizagem. Cornélio Procópio: FAKCEN, 2013.

OSTI, A. Dificuldades de aprendizagem, Afetividade e Representações Sociais: reflexões para a formação docente. Jundiaí: Paco Editorial, 2012.

OUTEIRAL, José Ottoni. Adolescer. A Infância e a adolescência. Porto Alegre. Ed. Artes Médicas, 1994.

PIAGET, Jean. A Construção do Real na Criança. Trad. Álvaro Cabral. Rio de Janeiro: Zahar, 1970.

_______. O nascimento da Inteligência na criança. Suíça: Editora Guanabara, 1987.

REGO, Teresa Cristina. A indisciplina e o processo educativo: uma análise na perspectiva vygotskiana.In: AQUINO, J. G. (org). Indisciplina na escola: alternativas teóricas e práticas. 2. ed. São Paulo: Summus, 1996.

SEABRA, A. G., DIAS, N. M.; CAPOVILLA, F. C. Avaliação Neuropsicológica Cognitiva: leitura, escrita e aritmética. Vol. 3. São Paulo: Editora Memnon, 2013.

SCHUTZE, F. Biographieforschung und Narratives Interview. Neue Praxis, 3: 283-93, 1983.

SISTO, F. F. Avaliação de dificuldades de aprendizagem: uma questão em aberto. Bragança Paulista: Vozes, 2001.

SMITH, Corine. Dificuldade de aprendizagem de A a Z. Porto Alegre: Artmed, 2001.

SOUZA, O. A e LOCH, V. V. A escola e a família em parceria. Curitiba: Base Editora, 2008. (Coleção Família e Escola 2).

SPODEK, Bernard; SARACHO, Olívia N. Ensinando crianças de 3 a 8 anos. Porto Alegre: ArtMed, 1998.

TEBEROSKY, Ana. Psicogênese da Língua Escrita. Porto Alegre: Artes Médicas, 1986.

TEBEROSKY, Ana; COLOMBER, Tereza. Aprender a ler e escrever – uma proposta construtiva.Porto Alegre: Artmed, 2003.

TELES, P. Dislexia: Método Fonomímico - Abecedário e Silabário. Lisboa: Distema, 2009.

TIBA, Içami. Disciplina na medida certa. São Paulo: Gente, 1999.

TRIVINÕS, A. N. S. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 1987.

______. Introdução à pesquisa em ciências sociais. São Paulo: Atlas, 1992.

VALLE, Ione Ribeiro. O lugar da educação (escolar) na sociologia de Pierre Bourdieu. Rev. Diálogo Educ., Curitiba, v.13, n.38, p.411-437, jan./abr.2013.

VYGOTSKY, L. S. A formação social da mente. São Paulo: Martins Fontes, 1991.




DOI: https://doi.org/10.14295/idonline.v13i45.1861

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A Id on Line (ISSN: 1981-1179) é indexada nas seguintes bases de dados: