Sexo, Sexualidade e Gênero: Memória e Efeitos de Sentido em Documentos Educacionais / Sex, Sexuality and Gender: Memory and Effects of Sense in Educational Documents

Amanda Vanele Prates Domingues, Edvania Gomes da Silva

Resumo


Neste trabalho, analisamos, a partir do quadro teórico-metodológico da Análise de Discurso Francesa, de base pecheutiana, o funcionamento discursivo de documentos educacionais brasileiros, aprovados após o processo de redemocratização do país e anteriores ao Plano Nacional de Educação. Trata-se, mais especificamente, de verificar se esses documentos abordam questões relacionadas ao gênero e à sexualidade e, caso haja a presença desses termos, verificar, ainda, como eles funcionam nos textos analisados. Para tanto, selecionamos como corpus trechos de documentos que tratam de questões relacionadas à educação e aprovados entre 1996 e 2013. As análises mostraram que o campo educacional passa por constantes mudanças em relação ao tratamento/discussão de temáticas como gênero e sexualidade, desde o início da redemocratização do país, o que implica em uma flutuação nos sentidos de gênero e de sexualidade.

Palavras-chave


análise de discurso; memória discursiva; efeitos de sentido; documentos educacionais

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Caderno de Educação em Direitos Humanos. Brasília: MEC, 2013a.

BRASIL. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Básica. Brasília: MEC, 2013b.

BRASIL. Lei nº 10.172, de 9 de janeiro de 2001. Aprova o Plano Nacional de Educação e dá outras providências. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 9 jan. 2001. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/LEIS_2001/L10172.htm>. Acesso em: 23 mar. 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. Parâmetros Curriculares Nacionais. Ensino Fundamental. Brasília: MEC, 1997.

BRASIL. Ministério da Educação. Plano Nacional de Educação em Direitos Humanos. Brasília: MEC, 2003.

COURTINE, Jean-Jacques. Análise do discurso político: o discurso endereçado aos cristãos. Tradução de Cristina de Campos Velho Birck et al. São Carlos: EdUFSCar, 2014.

FREITAS, M. A. O “x” da questão: gênero neutro como ato ético e estético? In: Grupo de Estudos dos Gêneros do Discurso (GEGe). Palavras e Contrapalavras: cortejando a vida no cotidiano. São Carlos, SP: Pedro & João Editores, 2015.

GADOTTI, M. Escola Cidadã. 4. ed. São Paulo: Cortez, 2008.

GINZBURG, C. Sinais: raízes de um paradigma indiciário. In: ______. Mitos, emblemas, sinais. Morfologia e história. Tradução de Federico Carotti. São Paulo: Companhia das Letras, 1989. p. 143-179.

MADER, G. R. C.; SEVERO, C. G. Sexismo e políticas linguísticas de gênero. In: KO, R. M. F.; SEVERO, C. G.; GÖRSKI, E. M. (Org.). Sociolinguística e Política Linguística: Olhares Contemporâneos. 1. ed. São Paulo: Blucher Open Acess, 2016, v. 1, p. 245-260.

MALDIDIER, D. A inquietude do discurso. Um trajeto na história da Análise do Discurso: o trabalho de Michel Pêcheux. In: PIOVEZANI, C.; SARGENTINI, V. M. O. Legados de Michel Pêcheux: inéditos em Análise do Discurso. São Paulo: Contexto, 2011. p. 39-62.

ORLANDI, E. P. Interpretação: autoria, leitura e efeitos do trabalho simbólico. 5. ed. Campinas, SP: Pontes Editores, 2007.

PÊCHEUX, M. Análise automática do discurso (AAD-69). In: GADET, F.; HAK. T. (orgs.). Por uma análise automática do discurso. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 2014a. p. 69-158 [1969].

_____. Análise de discurso: três épocas. In: GADET, F.; HAK. T. (orgs.). Por uma análise automática do discurso. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 2014b. p. 307-315.

_____. O Discurso: estrutura ou acontecimento. Tradução de Eni Pucinelli Orlandi. 7. ed. Campinas, SP: Pontes, 2015 [1983a].

______. Papel da memória. In: ACHARD et al. Papel da memória. Tradução de José Horta Nunes. Campinas, SP: Pontes, 1999. p. 49-57 [1983b].

_____. Semântica e discurso: uma crítica à afirmação do óbvio. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 2014b [1975].

POSSENTI, S. Teorias do discurso: um caso de múltiplas rupturas. In: MUSSALIN, F.; BENTES, A. C. Introdução à lingüística 3: fundamentos epistemológicos. São Paulo: Cortez, 2004. p. 353-392.




DOI: https://doi.org/10.14295/idonline.v13i44.1651

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A Id on Line (ISSN: 1981-1179) é indexada nas seguintes bases de dados: