Avaliação das interações medicamentosas entre antihipertensivos e hipoglicemiantes orais / Evaluation of drug interactions between antihypertensive and oral hypoglycemic agents

Natália Rodrigues Alves, Paula Denise Lima de Menezes, Joaquim Alves Diniz, Francisca Andreza Fernandes de Souza, Poliana Moreira de Medeiros Carvalho, Sâmia Macedo Queiroz Mota Castellao Tavares

Resumo


As interações medicamentosas podem acontecer quando há o uso de dois ou mais medicamentos concomitantemente, ocasionado consequências clínicas que podem afetar a saúde do paciente. A partir destas interações a finalidade da terapia proposta pode não ser alcançada, causando muitas vezes ineficácia do tratamento. O objetivo deste trabalho foi avaliar as Interações Medicamentosas presentes nas prescrições médicas dos pacientes da Policlínica Tasso Jereissat portadores de Diabetes Mellitus e Hipertensão Arterial. Foi realizado uma entrevista individual com 22 pacientes da policlínica em forma de questionário, envolvendo indivíduos com idade entre 54 e 75 anos. O trabalho revelou que a maioria dos pacientes usavam 5 medicamentos ou mais, o que influenciou na ocorrência de Interações Medicamentosas. Os medicamentos mais frequentes foram Metformina e Losartana. Foram encontradas Interações Medicamentosas potenciais com relevâncias clínicas baixa, moderada e alta. A maioria das Interações Medicamentosas encontradas foram de relevância clínica Moderada. Entre os pares de Interações Medicamentosas mais frequentes, 61,54% foi entre Metformina e Hidroclorotiazida, resultando em hiperglicemia, intolerância a glicose e risco de acidose láctica. Foi observado que esse resultado se deve ao fato de 36% dos pacientes usarem Hidroclorotiazida e Metformina concomitantemente. A média de interações medicamentosas por prescrição foi de 0,60.  O trabalho concluiu que quanto maior o número de medicamentos maiores são as chances de ocorrência de Interações Medicamentosas e que a terapia medicamentosa pode ser deficiente mesmo com o uso correto.


Palavras-chave


Interações Medicamentosas. Hipoglicemiantes. Anti-Hipertensivos. Relevância Clínica

Texto completo:

PDF

Referências


ALBUQUERQUE, G. S. C. et al. Adesão de hipertensos e diabéticos analfabetos ao uso de medicamento a partir da prescrição pictográfica. Trabalho, Educação e Saúde, Paraná, v. 14, n. 2, p. 611-624, 2016.

ALVES, B. A.; CALIXTO, A. A. T. F. Aspectos determinantes da adesão ao tratamento de hipertensão e diabetes em uma Unidade Básica de Saúde do interior paulista. Health Sci Inst, Campinas, v. 30, n. 3, p. 255-60, 2012.

AMARAL, D. M. D.; PERASSOLO, M. S. Possíveis interações medicamentosas entre os anti-hipertensivos e antidiabéticos em participantes do Grupo HIPERDIA de Parobé, RS (Uma análise teórica). Revista de Ciências Farmacêuticas Básica e Aplicada, Novo Hamburgo, v. 33, n. 1, p. 99-105, 2012.

BERSUSA, A. A. S. et al. Acesso a serviços de saúde na Baixada Santista de pessoas portadoras de hipertensão arterial e ou diabetes. Revista Brasileira de Epidemiologia. São Paulo, v. 13, n. 3, p. 513-522, 2010.

BEZERRA, D.S.; SILVA, A. S.; CARVALHO, A.L. Avaliação das características dos usuários com Hipertensão e ou Diabetes Mellitus em uma unidade de Saúde Publicano Munícipio de Jabotão dos Guararapes-PE, BRASIL. Revista de CiênciasFarmacêuticas Básica e Aplicada, Jabotão dos Guararapes, v 30, n.1, p. 69-73, 2009.

BRASIL. Ministério da Saúde. Caderno 2: Capacitação para Implantação do Serviços de Clínica Farmacêutica. Cuidado Farmacêutico na Atenção Básica. Brasília: Ministério da Saúde, 2015.

BRASIL. Resolução nº 196, de 10 de outubro de 1996. Aprova as diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 10 out. 1996.

BRASIL. Resolução nº 304 de 09 de agosto de 2000. Aprova as Normas para Pesquisas Envolvendo Seres Humanos – Área de Povos Indígenas. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 9 ago. 2000.

CIOSAK, S. I. et al. Senescence and senility: a new paradigma in Primary Health Care. Revista da Escola de Enfermagem da USP, São Paulo, v. 45, n. SPE2, p. 1763-1768, 2011.

CODAGNONE NETO, V. C.; GARCIA, V. P.; HELENA, E. T. Possible pharmacological interactions in hypertensive and/or diabetic elderly in family health units at Blumenau (SC). Brazilian Journal of Pharmaceutical Sciences, Blumenau, v. 46, n. 4, p. 795-804, 2010.

GARSKE, C. C. D. et al. Interações Medicamentosas Potenciais na Farmacoterapia de Idosos Atendidos em Farmácia Básica do Sul do Brasil. Saúde, Santa Maria, v. 42, n. 2, 2016.

GONÇALVES, S. S. et al. Ocorrência Clínicas de Interações Medicamentosas em Prescrições de Pacientes com Suspeita de Reação Adversa Internados em um Hospital no Interior da Bahia. Rev. Bras. Ciên. Saúde, São Caetano do Sul, v. 14, n. 48, p. 32-39, 2016.

LEONARDI, C. et al. Interações medicamentosas potenciais em idosas institucionalizadas. Disciplinarum Scientia Saúde, v. 13, n. 2, p. 181-189, 2016.

LIMA, R. F. et al. Interações Medicamentosas potenciais em diabéticos tipo 2 participantes de um programa de educação em saúde. Infarma-Ciências Farmacêuticas, Brasília, v. 27, n. 3, p. 160-167, 2015.

MARTINS, M. do P. S. C. et al. Consumo alimentar, pressão arterial e controle metabólico em idosos diabéticos hipertensos. Rev. Bras. Cardiol., Teresina, v. 23, n. 3, p. 162-170, 2010.

MIBIELLI, P. et al. Interações medicamentosas potenciais entre idosos em uso dos anti-hipertensivos da Relação Nacional de Medicamentos Essenciais do Ministério da Saúde do Brasil. Cad. Saúde Publica, Rio de Janeiro, p. 1947-1956, 2014.

MONTEIRO, S. C. M. et al. Estudo de potenciais interações medicamentosas em pacientes hipertensos. Infarma Ciências Farmacêuticas, São Luís, v. 27, n. 2 2015.

OLIVEIRA, E. A. Adesão a terapêutica medicamentosa. Infarma-Ciências Farmacêuticas, Cascavél, v. 20, n. 11/12, p. 18-23, 2013.

OLIVEIRA, M. A. et al. Automedicação em idosos residentes em Campinas, São Paulo, Brasil: prevalência e fatores associados. Cadernos de Saúde Pública, 2012.

PEREIRA, L. T. G. Interações medicamentosas e adesão ao tratamento em portadores de diabetes mellitus tipo 2 acompanhados no Grupo de Diabetes do Hospital Universitário de Brasília. 2016. 54 f. Trabalho de Conclusão (Bacharelado em Farmácia) - Universidade de Brasília, Brasília, 2016.

POPETS, J. C. et al. Estudo das Interações Medicamentosas em prescrições de pacientes de uma Clínica-Escola de Fisioterapia. Infarma-Ciências Farmacêuticas, São Paulo, v. 28, n. 1, p. 22-26, 2015.

RADIGONDA, B. et al. Avaliação do acompanhamento de pacientes adultos com hipertensão arterial e ou diabetes melito pela Estratégia Saúde da Família e identificação de fatores associados, Cambé-PR, 2012. Epidemiologia e Serviços de Saúde, Cambé, v. 25, n. 1, p. 115-126, 2016.

REMPEL, C. et al. Análise da medicação utilizada por diabéticos e hipertensos. Caderno Pedagógico, Vale do Taquari, v. 12, n. 1, 2015.

SILVA, R. O. N. et al. Possíveis Interações Medicamentosas Envolvendo o Uso de Agentes Hipoglicemiantes e Anti-Hipertensivo em Usuários do Programa Hiperdia. 4º CONGRESSO INTERNACIONAL DE ENVELHECIMENTO HUMANO. Anais...Campina Grande, v. 2, n. 1, 2015.

SOUSA, N. P. G. et al. Adoecimento por hipertensão arterial e Diabetes Mellitus: concepções de um grupo de pacientes hospitalizados. Revista de Enfermagem UERJ, Rio de Janeiro, v. 23, n. 1, p. 52-57, 2015.

TAVARES, M. de S.; MACEDO, T. C.; MENDES, D. R. G. Possíveis Interações Medicamentosas em um Grupo de Hipertenso e Diabético da Estratégia Saúde da Família. Revista de Divulgação Científica Sena Aires, Valparaíso de Goiás v. 1, n. 2, p. 119-125, 2012.

VARRALO, F. R.; COSTA, M. A.; MASTROIANNI, P. C. Potenciais interações medicamentosas responsáveis por internações hospitalares. Revista de Ciências Farmacêuticas Básica e Aplicada, São Paulo, v. 1, n. 1, 2013.

VERAS, R. Envelhecimento populacional contemporâneo: demandas, desafios e inovações. Rev. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 43, n. 3, p. 548-54, 2009.

VIEIRA, V. A. As tipologias, variações e características da pesquisa de marketing. Revista da FAE, Curitiba, v. 5, n. 1, p. 61-70, 2002.




DOI: https://doi.org/10.14295/idonline.v13i44.1625

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A Id on Line (ISSN: 1981-1179) é indexada nas seguintes bases de dados: