Percepção de Adolescentes acerca do Processo de Envelhecimento / Adolescents' Perception of the Aging Process

Maria Clara Torres e Souza, Cosmo Alexandre da Silva Aguiar, Maria Clara Barbosa e Silva, Santana Alves de Queiroz, Agostinho Porfírio dos Santos, Rosely Leyliane dos Santos

Resumo


A adolescência é um período que ocorre diversas mudanças já o envelhecimento é caracterizado como processo determinado por múltiplas etapas. Há estimativa de elevação dos números de idosos em virtude da adoção de melhoria nas condições de vida das pessoas. Objetivou-se compreender a percepção de adolescentes acerca do processo de envelhecimento. Tratou-se de um estudo exploratório, descritivo, com abordagem qualitativa, realizado com adolescentes escolares, na faixa etária de 14 a 19 anos. O estudo demostrou que a compreensão desses adolescentes quanto ao envelhecimento referem-se ao sentimento de reflexão quanto a essa etapa da vida, relatam medo da solidão, da dependência de alguém para atividades de vida diária. Para os adolescentes, envelhecer é uma fase natural da vida, em que práticas de promoção da saúde devem ser adotadas a fim de envelhecer saudável. Sugere-se que outros estudos sejam realizados na perspectiva de ampliar essa temática.


Palavras-chave


Adolescente;envelhecimento;idoso

Texto completo:

PDF

Referências


ANTUNES, G.A; et al. Percepção de envelhecimento de adolescentes praticantes e não praticantes de exercício fora do ambiente escolar. Revista Kairós Gerontologia, v.17, n.4, p.261-274, dez., 2014.

ARAÚJO, S. N. M. et al. Tecnologias voltadas para o cuidado ao idoso em serviços de saúde: uma revisão integrativa. Enfermería Global. v.16, n.46, p. 562-595, abr., 2017.

ASSIS, M.R.; SILVA, L.R.; PINHO, A.M.; MORAES, L.E.O.; LEMOS, A. Gravidez na adolescência e sua relação com a pratica do sexo seguro. Rev . Enferm. UPPE on line., Recife, v.7, n.4, p.1073-1080, abr., 2013.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Cadernos de Atenção Básica, n. 24. Saúde na escola. Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. Brasília: Ministério da Saúde, 2009.

COUTO, E.S.; MEYER, D.E. Viver para ser velho? Cuidado de si, envelhecimento e juvenilização. R. FACED, Salvador, n.19, p.21-32, jan./jun., 2011.

REIS, C. S.; NORONHA, K.; WAJNMAN, S. Envelhecimento populacional e gastos com internação do SUS: uma análise realizada para o Brasil entre 2000 e 2010. Rev. Bras. Est. Pop., Rio de Janeiro, v.33, n.3, p.591-612, set./dez. 2016.

FARIA CS, MARTINS CBG. Violência entre adolescentes escolares: condições de vulnerabilidades. Rev Eletr Trimestral Enferm., v.1, n.42, p. 171-184, 2016.

JONAS, K.; et al. Teenage pregnancy rates and associations with other health risk behaviours: a three-wave cross-sectional study among South African school-going adolescents. Reprod Health, v. 13, p. 50. 2016. doi: 10.1186/s12978-016-0170-8.

MEDEIROS, K. K. A. S.; COURA, A. S.; FERREIRA, R. T. O aumento do contingente populacional de idosos no Brasil e a atenção primária à saúde: uma revisão de literatura. Arq. Cienc. Saúde UNIPAR, Umuarama, v. 21, n. 3, p, 201-207, set./dez. 2017.

MINAYO, M.C.S. Análise qualitativa: teoria, passos e fidedignidade. Ciência e Saúde Coletiva. v.17, n.3, p.621-626, 2012.

PEREIRA, R. F.; FREITAS, M. C.; FERREIRA, M. A. Velhice para os adolescentes: abordagem das representações sociais. Rev Bras Enferm. v.67, n.4, p.601-609, jul-ago, 2014.

SCHOAB. F.M. et al. Estatuto do Idoso e Direitos Humanos Contribuindo na Formação da Criança e do Adolescente. Rev. Triang, v. 7, n. 2, p. 93-105, jul./dez. 2015.

SOUZA, K. S., et al. Representações sociais do envelhecimento: um estudo com avós idosas que cuidam dos netos e avós que não. Ciências Psicológicas. v. 12, n. 2, p. 293-297. 2018.

TEIXEIRA, S.M.D. et al. Reflexões acerca do estigma do envelhecer na contemporaneidade. Estud. Interdiscipl. Envelhec., Porto Alegre, v.20, n.2, p.503-515, 2015.

TORRES, T. L. et al. Representações sociais e crenças normativas sobre envelhecimento. Ciência & Saúde Coletiva, v.20, n.12, p.3621-3630, 2015.

VASCONCELOS, A.M.N. GOMES, M.M.F. Transição demográfica: a experiência brasileira. Epidemiol. Serv. Saúde, Brasília, v.21, n.4, p.539-548, out./dez, 2012.

VAZ, C.C.; SCORTEGAGNA, H.M. Promovendo o cuidado para viver-envelhecer saudavel na escola: a educação gerontologica como caminho. Passo Fundo., v.12, n.1, p.69-82, jan./abr., 2015.

ZANON, C.B.F.M; ALVES, V.P.; CARDENAS, C.J. Como vai a Educação Gerontologica nas Escolas Públicas do Distrito Federal? Um Estudo com Idosos e Jovens. Rev. Bras. Gerit. Gerontol., Rio de Janeiro, v.14, n.3, p.555-566, 2011.




DOI: https://doi.org/10.14295/idonline.v13i44.1590

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A Id on Line (ISSN: 1981-1179) é indexada nas seguintes bases de dados: