Análise Físico-Química da Qualidade da Água do Rio Pardo no Município de Cândido Sales – BA

Wadson Rodrigo Ferreira de Almeida, Flavio Mendes de Souza

Resumo



Entendendo a importância da água para o consumo humano, e os problemas fisiopatológicos que uma água não tratada pode ocasionar, a presente pesquisa faz uma análise, específica, da água do Rio Pardo no município de Cândido Sales – BA, com o intuito de verificar sua aptidão para consumo, já que parte da população consome a água diretamente do rio, sem tratamento da EMBASA (Empresa Baiana de Águas e Saneamento S.A.).

A análise segue os parâmetros físico-químicos, a partir das definições de teóricos como Jarbas R. dos Santos (2007), Adaelson Campelo Medeiros (2016), Nivaldo Baccan (2001), Luis de Almeida Prado Bacellar (2010), de leis, resoluções nacionais, Ministério da Saúde, e outros. Os parâmetros são os de Condutividade elétrica; Potencial Hidrogeniônico (pH); Resistividade elétrica; Temperatura (ºC); Teor de sólidos dissolvidos (TDS); e Turbidez, além de Dureza Total vinculada ao Teor de Carbonato de Cálcio e Teor de Cloreto. As coletas das amostras foram feitas em três fases, entre os meses de agosto e novembro do ano de 2018, com o intuito de acompanhar a variação pluvial que varia do mês de maior seca (agosto) ao inicio das chuvas (novembro). Segundo as análises realizadas, os valores de pH, Resistividade elétrica, TDS e Turbidez se encontram dentro dos parâmetros exigidos pela legislação vigente. Não apresentando variações consideráveis entre as amostras. Apesar do despejo inapropriado de sedimentos no rio, em relação aos parâmetros físico-químicos, não houve alterações consideráveis na integridade da água, o que não necessariamente comprova que está apta para o consumo humano, pois não está descartada a possibilidade de contaminação ou ocorrência de outros problemas de saúde nessa população alvo. Para tal comprovação ainda seria necessária à análise do solo de margem, para determinar se esses problemas são de ocorrência periódica ou permanente, podendo ocorrer numa futura pesquisa.


Palavras-chave


Análise de água, parâmetros físico-químicos, qualidade da água, esgoto doméstico.

Texto completo:

PDF

Referências


REFERÊNCIAS

ABREU, Eduardo Lima de. Imageamento de Resistividade Elétrica de Áreas Contaminadas Utilizando Arranjos Poço-Superfície. São Paulo – Brasil, 2012. Disponível em: . Acesso em 10 mai. 2017;

BACCAN, Nivaldo et.al. Química analítica quantitativa elementar. 3 ed. São Paulo: Blucher – Instituto Mauá de tecnologia, 2001;

BACELLAR, Luís de Almeida Prado; MORAIS, Fernando. GEOFÍSICA APLICADA AO ESTUDO DE FLUXOS DA ÁGUA NO SOLO. Uberlândia – MG, 2010. Disponível em: Acesso em 11 mai. 2017;

Bacia do Rio Pardo. Disponível em: Acesso em 19 abr. 2017;

BERTOSSI, Ana Paula Almeida et al. Qualidade da água em microbacias hidrográficas com diferentes coberturas do solo no sul do Espírito Santo. Rev. Árvore, Viçosa, v. 37, n. 1, p. 107-117, fev. 2013. Disponível em: . Acesso em 07 fev. 2017;

BRASIL. Decreto-lei nº 306/2007 de 27 de agosto, relativo ao controle da qualidade da água destinada ao consumo humano. Disponível em: Acesso em 21 nov. 2018;

BRASIL. Legislação básica. / Agência Nacional de Águas. - 2. ed. - Brasília: ANA, 2007. Disponível em: Acesso em 12 mai. 2017;

BRASIL. Lei nº 8.080, de 19 de setembro de 1990. Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências. Diário Oficial da União 1990; 20 set. Disponível em: . Acesso em 09 mai. 2017;

BRASIL. MINISTÉRIO DA SAÚDE. Portaria nº 518, de 25 de março de 2004. Estabelece os procedimentos e responsabilidades relativos ao controle e vigilância da qualidade da água para consumo humano e seu padrão de potabilidade, e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, 2004. Disponível em: < http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/portaria_518_2004.pdf>. Acesso em 28 abr. 2017;

BRASIL. MINISTÉRIO DA SAÚDE. - PORTARIA nº 1469, de 29 de dezembro de 2000. Estabelece os procedimentos e responsabilidades relativos ao controle e vigilância da qualidade da água para consumo humano e seu padrão de potabilidade, e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, 2000. Disponível em: Acesso em 20 nov. 2018;

BRASIL. Panorama da qualidade das águas superficiais do Brasil: 2012/Agência Nacional de Águas - Brasília: ANA, 2012. Disponível em: Acesso em 12 mai. 2017;

BRASIL. Portaria MS Nº 2914 de 12 dez. 2011. Dispõe sobre os procedimentos de controle e de vigilância da qualidade da água para consumo humano e seu padrão de potabilidade. Disponível em: http://www.comitepcj.sp.gov.br/download/Portaria_MS_2914-11.pdf > Acesso em 12 mai. 2017;

Clima: Cândido Sales. Disponível em: Acesso em 18 abr. 2017;

CONAMA - Conselho Nacional do Meio-Ambiente. Resolução nº. 357 de 17 de março de 2005. Dispõe sobre a classificação dos corpos de água e diretrizes ambientais para o seu enquadramento, bem como estabelece as condições e padrões de lançamento de efluentes, e dá outras providências. Publicação Diário Oficial da União, Poder Executivo, Brasília, DF, n.87, p.44, 2005. Disponível em: Acesso em 04 mai. 2017;

CONAMA – Conselho Nacional do Meio-Ambiente. Resolução nº430, de 13 de maio de 2011. Dispõe sobre as condições e padrões de lançamento de efluentes, complementa e altera a Resolução no 357, de 17 de março de 2005, do Conselho Nacional do Meio Ambiente-CONAMA. Publicada no DOU nº 92, de 16/05/2011, pág. 89. Disponível em: Acesso em 06 mai. 2017;

CRUZ, Juliana Nogueira da; CLAIN, Almir Faria. A Interferência do pH na análise de cloreto pelo método de Mohr. Revista eletrônica TECCEN, Vassouras, v. 3, n. 3, p. 29-44, jul./set., 2010. Disponível em: . Acesso em 20 nov. 2018;

CUNHA, Helenilza Ferreira Albuquerque et al. Qualidade físico-química e microbiológica de água mineral e padrões da legislação. Rev. Ambient. Água, Taubaté, v. 7, n. 3, p. 155-165, Dec. 2012. Disponível em: . Acesso em 22 fev. 2017. http://dx.doi.org/10.4136/ambi-agua.908;

DANELUZ, Débora; TESSARO, Dinéia. Padrão físico-químico e microbiológico da água de nascentes e poços rasos de propriedades rurais da região sudoeste do Paraná. Arq. Inst. Biol., São Paulo, v. 82, p. 1-5, 2015. Disponível em: . Acesso em 30 mar. 2017. Epub Apr 07, 2015. http://dx.doi.org/10.1590/1808-1657000072013;

EMBRAPA - Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. Manual de procedimento de amostragem e análise físico-química de água [recurso eletrônico] / Lucilia Maria Parron; Daphne Heloisa de Freitas Muniz; Claudia Mara Pereira. – Dados eletrônicos. – Colombo: Embrapa Florestas, 2011. Disponível em: Acesso em 08 mai. 2017;

FABRIS, Izaquel et al. Determinação de cloretos. Universidade do Oeste de Santa Catarina. Xanxerê - SC, 2012. Disponível em: Acesso em 20 nov. 2018;

FRAZAO, Paulo; PERES, Marco A; CURY, Jaime A. Qualidade da água para consumo humano e concentração de fluoreto. Rev. Saúde Pública, São Paulo, v. 45, n. 5, p. 964-973, out. 2011. Disponível em: . Acesso em 07 fev. 2017. Epub 22-Jul-2011. http://dx.doi.org/10.1590/S003489102011005000046;

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Cidades da Bahia – Cândido Sales - BA. 2016. Disponível em: Acesso em 18 abr. 2017;

MEDEIROS, Adaelson Campelo; LIMA, Marcelo de Oliveira; GUIMARAES, Raphael Mendonça. Avaliação da qualidade da água de consumo por comunidades ribeirinhas em áreas de exposição a poluentes urbanos e industriais nos municípios de Abaetetuba e Barcarena no estado do Pará, Brasil. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro, v. 21, n. 3, p. 695-708, Mar. 2016. Disponível em: . Acesso em 29 mar. 2017. http://dx.doi.org/10.1590/1413-81232015213.26572015;

MONITORAMENTO DO DESMATAMENTO NOS BIOMAS BRASILEIROS POR SATÉLITE - ACORDO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA MMA/IBAMA - MONITORAMENTO DO BIOMA MATA ATLÂNTICA. p. 19 e 31. Brasília - DF 2012. Disponível em: Acesso em 20 abr. 2017;

Mota, S. Preservação e Conservação de Recursos Hídricos. Rio de Janeiro: Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental – ABES, 2ª edição, 1995. Disponível em: < https://www.passeidireto.com/arquivo/16958465/livro_ _preservacao_conservacao_e_recuperacao_dos_recursos_naturais_i-1> Acesso em 23 nov. 2018;

MULLER, Thais; GRANADA, Camille Eichelberger; SPEROTTO, Raul Antonio. Qualidade da água de três locais com potenciais fontes de contaminação no Rio Taquari, RS. Rev. Ambient. Água, Taubaté, v. 11, n. 1, p. 75-84, mar. 2016. Disponível em: . Acesso em 30 mar. 2017. http://dx.doi.org/10.4136/ambi-agua.1789;

OLIVEIRA, Brunna Stefanny Sangel de; CUNHA, Alan Cavalcanti da. Correlação entre qualidade da água e variabilidade da precipitação no sul do Estado do Amapá. Rev. Ambient. Água, Taubaté, v. 9, n. 2, p. 261-275, June 2014. Disponível em: . Acesso em 22 fev. 2017. http://dx.doi.org/10.4136/ambi-agua.1287;

PINHEIRO, Adilson et al. Concentrações e cargas de nitrato e fosfato na Bacia do Ribeirão Concórdia, Lontras, SC. Rev. bras. eng. agríc. ambient., Campina Grande, v. 17, n. 1, p. 86-93, jan. 2013. Disponível em: . Acesso em: 07 fev. 2017. http://dx.doi.org/10.1590/S1415-43662013000100012;

Portal Brasil. A importância das regiões hidrográficas do Brasil. Disponível em: Acesso em 12 mai. 2017;

QUEIROZ, Ana Carolina Lanza et al. Programa Nacional de Vigilância em Saúde Ambiental Relacionada à Qualidade da Água para Consumo Humano (Vigiagua): lacunas entre a formulação do programa e sua implantação na instância municipal. Saúde soc., São Paulo, v. 21, n. 2, p. 465-478, jun. 2012. Disponível em: . Acesso em 07 fev. 2017. http://dx.doi.org/10.1590/S0104-12902012000200019;

SANTOS, Jarbas R. dos. Aspectos físico-químicos e metais pesados na água e sedimento do Rio Verruga no município de Vitória da Conquista – Ba. 2007. Dissertação (Mestrado) – Área de Concentração – Química Analítica. Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia. p. 38 e 62. Jequié – BA, 2007. Disponível em: Acesso em 10 abr. 2017;

SANTOS, Maria Lúcia Pires dos et al. Efeitos dos escoamentos urbanos e rurais na qualidade das águas do córrego verruga em vitória da conquista - Bahia, Brasil. Quím. Nova, São Paulo, v. 31, n. 8, p. 1997-2003, 2008. Disponível em: . Acesso em 10 abr. 2017. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-40422008000800016;

SCORSAFAVA, Maria Anita et al. Avaliação físico-química da qualidade de água de poços e minas destinada ao consumo humano. Rev. Inst. Adolfo Lutz (Impr.), São Paulo, v. 69, n. 2, 2010. Disponível em: . Acesso em 22 fev. 2017;

SILVA, Demetrius D. da et al. Chuvas intensas no Estado da Bahia. Rev. bras. eng. agríc. ambient., Campina Grande, v. 6, n. 2, p. 362-367, 2002. Disponível em: . Acesso em 16 abr. 2017. http://dx.doi.org/10.1590/S1415-43662002000200030;

SIQUEIRA, Gilmar W.; APRILE, Fabio; MIGUEIS, Antônio Miguel. Diagnóstico da qualidade da água do rio Parauapebas (Pará - Brasil). Acta Amaz., Manaus, v. 42, n. 3, p. 413-422, Sept. 2012. Disponível em: . Acesso em 30 mar. 2017. http://dx.doi.org/10.1590/S0044-59672012000300014;

TEIXEIRA, Mariane Mendes. Resistividade elétrica; Brasil Escola. Disponível em: . Acesso em 12 mai. 2017;

TOMAZELA, Danilo P. Monitoramento espacial e temporal de parâmetros físicos, químicos e biológicos da Bacia Hidrográfica do Rio Capivari (norte da Ilha de Santa Catarina) – SC. 2008. Monografia (Bacharel) – Ciências Biológicas. Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis – SC, 2008. Disponível em: . Acesso em 22 mai. 2017;

ZUMACH, Rosalene. Enquadramento de curso de água: Rio Itajaí-açu e seus principais afluentes em Blumenau – SC. 2003. Dissertação (Mestrado) – Engenharia Química - Área de Planejamento de Bacias Hidrográficas. Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis – SC, 2003. Disponível em: . Acesso em 22 mai. 2017.




DOI: https://doi.org/10.14295/idonline.v13i43.1534

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A Id on Line (ISSN: 1981-1179) é indexada nas seguintes bases de dados: