Sintomas do Vaginismo em Mulheres Submetidas à Episiotomia

Andressa Moura Alves, Rosana Porto Cirqueira

Resumo


O vaginismo é uma contração vaginal de forma involuntária, gerando muitas vezes no ato da relação sexual espasmo dos músculos da pelve, que acometem as mulheres, causando grande desconforto, dor, ardência durante a penetração e incapacidade total de ter relação sexual. A episiotomia é um método cirúrgico realizado com muita frequência durante o parto normal, para ajudar na saída da criança. O estudo analisado tem como objetivo geral verificar a presença dos sintomas do vaginismo em mulheres submetidas à episiotomia. A pesquisa trata-se de um estudo descritivo com delineamento transversal, com abordagem quantitativa, onde participaram do estudo pacientes com sintomas de vaginismo que foram submetidas à episiotomia, de forma voluntária, por conveniências, desde que preencham os critérios de inclusão e exclusão. Será aplicado o questionário de autoria própria para colher o perfil sociodemográfico e obstétrico, o outro questionário a ser aplicado é o International Consultation on Incontinence Questionnaire - Short Form (ICIQ-SF) que é um questionário simples, breve e auto administrável, escolhido para ser traduzido e adaptado para a cultura brasileira por avaliar rapidamente o impacto da incontinência urinária (IU) na qualidade de vida e qualificar a perda urinária de pacientes de ambos os sexos, e o Female Sexual Function Index (FSFI) que é um questionário breve, que pode ser auto aplicado, e que se propõe avaliar a resposta sexual feminina em seis domínios: desejo sexual, excitação sexual, lubrificação vaginal, orgasmo, satisfação sexual e dor. Será incluído no projeto indivíduos com idade acima ou igual á 18 anos. Espera-se, ao final deste estudo, contribuir para novos caminhos a serem explorados.

 

 


Palavras-chave


Vaginismo. Episiotomia. Questionário

Texto completo:

PDF

Referências


CAMBOIM, Francisca Elidivânia de Farias et al. História oral de vida temática de mulheres em relação à episiotomia. Arquivos de Ciências da Saúde, v. 24, n. 2, p. 25-32, 2017.

DE LIMA, Marcia Guerino et al. A Episiotomia e o retorno à vida sexual pós-parto. Revista UNINGÁ Review, v. 16, n. 2, 2018.

FAUSTINO, Elizabete C.; ROVINSKI, Edivania; BINI, Isabel. Atuação Fisioterapêutica Na Vulvodínia e Vaginismo. Vitrine de Produção Acadêmica Produção de Alunos da Faculdade Dom Bosco, v. 3, n. 2, 2017.

HOLANDA, Juliana Bento de Lima, et al. Disfunção sexual e fatores associados relatados no período pós parto. Acta Paul Enferm 2014.

PEREIRA, Amanda Cristina Gerhardt. Prevalência das disfunções do assoalho pélvico em mulheres com episiotomia. 2015. Disponível em < http://hdl.handle.net/123456789/1552>. Acesso em 18/10/2018.

PINHEIRO, C. Parto Vaginal e Disfunções do Pavimento Pélvico – Novas Perspectivas. Faculdade de Medicina Universidade do Porto, março. 2012.

TABISEL, Ross Lynn. Private Pain-It's About Life, Not Just Sex: Understanding Vaginismus and Dyspareunia. Book Baby, 2002.

SILVA, Nathália Luiza Souza et al. Dispareunia, dor perineal e cicatrização após episiotomia. Rev. enferm. UERJ, v. 21, n. 2, p. 216-220, 2013.




DOI: https://doi.org/10.14295/idonline.v13i43.1525

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A Id on Line (ISSN: 1981-1179) é indexada nas seguintes bases de dados: