A Inclusão Educacional de Alunos com Autismo: Desafios e Possibilidades

Marìlia Marluce da Silva, Cícera Alves Nunes, Maria do Socorro Cecílio Sobral

Resumo


O presente trabalho teve a finalidade de realizar uma discussão sobre a inclusão educacional do aluno com autismo sem preconceito nenhum em sala de aula, onde esta ou qualquer outra deficiência,  que os mesmos tenham o direito de inclusão em escolas do ensino regular. O objetivo foi compreender como acontece a inclusão educacional de alunos com deficiência no ensino regular. Diante dos estudos realizados para desenvolvimento deste trabalho de pesquisa científica no que concerne ao conceito ficou evidente que o autismo é um transtorno global do desenvolvimento caracterizado por alterações significativas no desenvolvimento, prejudicando totalmente a capacidade na comunicação, na interação social e no comportamento da criança. A metodologia utilizada foi uma revisão bibliográfica de caráter qualitativo. Ao longo do estudo perceberam-se como resultados: a importância do processo de inclusão no ensino regular, fator defendido pela lei vigente, assim como a mediação do professor neste processo e no desafio de ensinar o aluno autista para o seu desenvolvimento pleno, com suas limitações, mas jamais excluído do processo que a ele é garantido o direito por lei. Ainda nesse contexto percebeu-se que o aprendizado é individual ocorre de modo diferente para cada aluno,  há necessidade da escola e a família estarem sempre preparadas para que aconteça realmente a inclusão, de mãos dadas buscando a socialização, interação e mediação para uma aprendizagem, onde a escola tem que ser um ambiente acolhedor e de uma educação de qualidade.

 

 


Palavras-chave


Aprendizagem,Autismo,Inclusão educacional

Texto completo:

PDF

Referências


CAMARGOS Jr, Walter et.al. Autismo Infantil - Sinais Sintomas. In: Transtornos Invasivos do Desenvolvimento. Brasília: Corde, 2002.

CARVALHO, R.E. Educação Inclusiva: com os pingos nos “is”.9ª ed. Porto Alegre: Mediação de 2013.

CUNHA, Eugênio, Autismo e Inclusão. Psicopedagogia e práticas educativas na escola e na família. 3 ed. Rio de Janeiro. Wak editora, 2012.

BRASIL, (1994). Lei de Diretrizes e Bases da Educação - 9394/96. Brasília: MEC, 1996. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br> Acesso em 28/outubro/2018

MANTOAN, M. T. E. A integração de pessoas com deficiência: contribuições para uma reflexão sobre o tema. São Paulo: SENAC, 1997.

PEREIRA, Cíntia Bonfante. Linguagem, Funções Executivas e Teoria da Linguagem no Autismo sem déficit intelectual: estudo de caso. Porto Alegre, 2012.

PRATES, Jacqueline; LUDKE, Rocha. Autismo e inclusão na educação infantil: um estudo sobre as crenças dos educadores. Porto Alegre, 2011.

SÁNCHEZ, Pilar Arnaiz. A Educação Inclusiva: um meio de construir escolas para todos no século XXI. In: Inclusão – Revista da Educação Especial – Out/2005. Disponível em: https: Acesso em Outubro de 2018.

SAMPAIO, Cristiane T.; SAMPAIO, Sônia Maria R. Educação inclusiva: o professor mediando para a vida – Sciello Livros. Disponível em: .Acesso em 28/outubro/2018

SANTOS, Neide Pereira. O desenvolvimento intelectual da criança com autismo e o método TEACCH. 2013.

TOREZAN, A. M. (2002). Psicologia escolar e a nova conjuntura educacional brasileira.In R. S. L. Guzzo (Org.), Psicologia escolar: LDB e educação hoje(pp. 35- 47). Campinas, SP: Alínea.

UNESCO (1994). Declaração de Salamanca. Disponível em: . Acesso em 28/outubro/2018.




DOI: https://doi.org/10.14295/idonline.v13i43.1519

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A Id on Line (ISSN: 1981-1179) é indexada nas seguintes bases de dados: