Uso dos Medicamentos Genéricos na População do Município de Aurora-CE, no Período de Janeiro de 2018

Luana Fernandes Tavares, Poliana Moreira de Medeiros Carvalho

Resumo


A produção de medicamentos genéricos vem crescendo, como também sua utilização, tratando-se de um medicamento que possui o mesmo princípio ativo, composição e ação terapêutica de outra marca que é fabricado por outro laboratório não sendo mais protegido em razão da extinção da patente, tendo o nome de sua substância ativa, sendo utilizado por ser eficaz, seguro e barato. Nesse sentido, o presente estudo teve como objetivo observar a utilização dos medicamentos genéricos em residentes do município de Aurora-CE. Tratou-se de um estudo transversal com a utilização de um questionário estruturado com 100 pessoas residentes na cidade de Aurora-CE com mais de dezoito anos, de ambos os sexos, realizadas as entrevistas nas ruas do centro da cidade, sendo que o instrumento de coleta de dados abrangeu um questionário contendo dados referentes ao uso dos medicamentos genéricos. Quanto à utilização dos medicamentos genéricos em Aurora, foi visto que 58% dos entrevistados têm o hábito de usar medicamento genérico, 57% tendo-os em casa, 69% afirmaram acreditar na sua eficácia e segurança, 79% aceitando a troca do medicamento de referência pelo genérico realizada pelo farmacêutico e 54% comprando genérico não apenas devido o preço ser inferior ao de referência, porém 56% das pessoas não conhecem a diferença entre os medicamentos genéricos, similares e medicamentos de referência, sendo observada a preferência pelos genéricos. Visto que a Política de Medicamentos Genéricos deve divulgar informações sobre o seu uso informando a população, proporcionando aumento do acesso a medicamentos eficazes, seguros e de qualidade, a preços reduzidos. 

 


 


Palavras-chave


Uso de Fármaco; Terapêutica; Indústria Farmacêutica

Texto completo:

PDF

Referências


CARVALHO, M. C. R. D. de; ACCIOLY JÚNIOR, H.; RAFFIN, F. N. Representações sociais do medicamento genérico por consumidores residentes em Natal, Rio Grande do Norte, Brasil. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 22, n. 3, p. 653-661, mar, 2006.

DIAS, C. R. C.; LIEBER, N. S. R. Processo de implantação da política de medicamentos genéricos no Brasil. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 22, n. 8, p. 1661-1669, ago, 2006.

FERNANDES, J. A.; COUTINHO, J. V.; VALLE, M. G. do. Aceitação do medicamento genérico em diferentes níveis de escolaridade e renda familiar do Distrito Federal. Cenarium Pharmacêutico, v. 4, p. 566-576, mai/nov, 2011.

FIGUEIRAS, M. J.; MARCELINO, D.; CORTES, M. A. Medicamentos genéricos: crenças de senso-comum da população portuguesa. Rev. Port. Clin. Geral, v. 23, p. 43-51, 2007.

GOMES, M. J. V. M.; REIS, A. M. M. Ciências Farmacêuticas: uma abordagem em farmácia hospitalar. 1ed. São Paulo: Atheneu, 2006.

MIRANDA, G. S. et al. Avaliação do conhecimento da população da cidade de Viçosa-MG acerca dos medicamentos genéricos. Rev. Eletrônica de Farmácia, v. 7, n. 3, p. 34-43, 2010.

MONTEIRO, W. M. et al. Avaliação da disponibilidade de medicamentos genéricos em farmácias e drogarias de Maringá (PR) e comparação de seus preços com os de referência e similares. Rev. Brasileira de Ciências Farmacêuticas, São Paulo, v. 41 n. 3, p. 60-69, jul/set, 2005.

NISHIJIMA, M. Os preços dos medicamentos de referência após a entrada dos medicamentos genéricos no mercado farmacêutico brasileiro. RBE, Rio de Janeiro, v. 62, n. 2, p. 189-206, abr/jun, 2008.

PALMERO, E. M. M.; SIMÕES, M. J. S. Estudo comparativo dos medicamentos genéricos com os demais medicamentos em cidade do interior do estado de São Paulo. Rev. Pharmacia Brasileira, Brasília, v. 10, n. 52, p. 8-15, mar/abr, 2006.

QUENTAL, C. et al. Medicamentos genéricos no Brasil: impactos das políticas sobre a indústria nacional. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 13, p. 619-628, 2008.

ROCHA, C. E. da; BARROS, J. A. C. de; SILVA, M. D. P. Levantamento de dados sobre o conhecimento e informação acerca dos medicamentos genéricos em uma população de pacientes do serviço de saúde ambulatorial do Recife, PE, Brasil. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 23, n. 5, p. 1141-1150, mai, 2007.

ROSENBERG, G.; FONSECA, M. G. D.; D’AVILA, L. A. Análise comparativa da concentração industrial e de turnover da indústria farmacêutica no Brasil para os segmentos de medicamentos de marca e genéricos. Economia e Sociedade, Campinas, v. 19, n. 38, p. 368-378, jul/set, 1994.

RUMEL, D.; NISHIOKA, S. de A.; SANTOS, A. A. M. Intercambialidade de medicamentos: abordagem clínica e o ponto de vista do consumidor. Rev. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 40, n. 5, p. 921-7, 2006.

STORPIRTIS, S. et al. A Equivalência Farmacêutica no contexto da intercambialidade entre medicamentos genéricos e de referência: bases técnicas e científicas. Infarma, São Paulo, v. 16, n. 9, p. 51-58, 2004.

STORPIRTIS, S. et al. Farmácia Clínica e Atenção Farmacêutica. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2008.

VIEIRA, F. S.; ZUCCHI, P. Diferenças de preços entre medicamentos genéricos e de referência no Brasil. Rev. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 40, n. 3, p. 444-9, 2006.

VOSGERAU, M. Z. S.; SOUZA, R. K. T. de; SOARES, D. A. Utilização de genéricos em área de atuação da equipe de Saúde da Família em município do sul do Brasil. Rev. Bras. Epidemiol, v. 14, n. 2, p. 253-263, 2011.




DOI: https://doi.org/10.14295/idonline.v12i42.1481

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A Id on Line (ISSN: 1981-1179) é indexada nas seguintes bases de dados: