A Percepção dos Profissionais de Contabilidade sobre o Estresse Laboral na Região do Cariri

Nayara Henrique Cavalache, Larissa Vasconcelos Rodrigues

Resumo


O estresse está ligado ao cotidiano das empresas, faz parte do dia a dia do profissional passar por momentos de maior tensão e pressão psicológica. Embora exista uma dualidade de características, pode-se observar que existe o lado positivo e o negativo. O estresse está diretamente ligado ao ambiente em que se encontra o individuo, e hoje passou a ser considerado um dos maiores problemas da sociedade, e segundo Chiavenato (2010), é uma palavra de origem inglesa que significa pressão, tensão, e está relacionada com a carga de transtornos e aflições que certos eventos da organização, ou que estão em sua volta, provocam nas pessoas. Com o intuito de atingir o presente objetivo que o de investigar como os contadores reagem ao estresse na sua atuação profissional, esses profissionais atuam nas cidades da Região do Cariri interior do Ceará. O estresse pode ser entendido como reflexo da reação de um indivíduo discordar das exigências de uma atribuição ou da limitação pessoal para o cumprimento de tais exigências (SEEGERS; VAN ELDEREN, 1996). Segundo Paschoal e Tamayo (2004), o estresse derivado de fatores laborais pode ser considerado como estresse ocupacional de natureza física ou psicossocial, sendo que este último está mais ligado a conflitos organizacionais. Foi realizada uma pesquisa de opinião com o objetivo de analisar a percepção dos contadores sobre o estresse laboral. Esse tipo de pesquisa, de acordo com Lima (2018) consiste basicamente em medir atitudes, posicionamentos e opiniões a cerca de determinado conteúdo pesquisado.


Palavras-chave


Estresse laboral; Contabilidade; Pressão Psicológica

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRADE, C. R. de; GUIMARÃES, L. V. M.; ASSIS, L. B. Análise Crítica das

Pesquisas em Estresse Ocupacional da Anpad: Afinal, Cadê o Sujeito? XXXIV EnANPAD. Rio de Janeiro, setembro, 2010.

AYRES, K. V.; CAVALCANTI, G. A.; BRASILEIRO, M. do C. E. Stress

Organizacional: O Caso das Empresas de Base Tecnológica Incubadas da Região Nordeste. EnANPAD, 2001.

BRAGA, C. D.; PEREIRA, L. Z. Relação Entre a Função Gerencial e o Estresse Ocupacional: Uma análise a partir do Impacto das Novas Tecnologias de Gestão. III EnGPR (III Encontro de Gestão de Pessoas e Relações de Trabalho). Anais... João Pessoa, novembro 2011.

BALLONE, G. J.; MOURA, E. C. Estresse: o que é isso? Disponível em:

, revisto em 2008. Acesso em: 23 Out. 2018.

CHIAVENATO, I. Comportamento Organizacional. 2 ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2010.

CRESWELL, J. W. Projeto de Pesquisa: Método qualitativo, quantitativo e misto. Porto Alegre: Artmed, 2007.

FRAGA, G. S. Ambiente de Trabalho, Estresse e Saúde em Médicos da Rede Municipal de Saúde de Goiânia. 2004. Disponível em:

http://tede.biblioteca.ucg.br/tde_arquivos/10/TDE-2005-05-19T104948Z- 50/Publico/Gutemberg%20da%20Silva%20Fraga.pdf>. Acesso em: 04 Nov. 2018.

IUDÍCIBUS, S. Contabilidade: uma visão crítica e o caminho para o futuro. Belo Horizonte: CRC/MG, 1991.

LIPP, M. E. N.; MALAGRIS, L. E. N.. O stress emocional e seu tratamento. In: B. Rangé (Org). Psicoterapias cognitivo-comportamentais: um diálogo com a psiquiatria (p. 475-490). Porto Alegre: Artmed, 2001.

LISBOA, L. P. Ética geral e profissional em contabilidade. Fundação Instituto de Pesquisas Contábeis, Atuariais e Financeiras. 2. ed. São Paulo: Atlas, 1997.

LIMA, A. F. Pesquisa de opinião pública. Apostila de opinião pública. Curso de Gestão em Políticas Públicas FAPSS-SCS. Disponível em:

https://www.ebah.com.br/content/ABAAAAqpMAA/apostila-pesquisa-opiniao- publica> Acesso em 31 Out 2018.

MARION, J. C.; MARION, M. M. C. O ensino da contabilidade no Brasil. São Paulo: Atlas, 2000.

PASCHOAL T.; TAMAYO, A. Validação da escala de estresse no trabalho. Revista Estudos de Psicologia, v. 9, n. 1, p. 45-52, 2004.

PEREIRA, J. M. Manual de Metodologia da Pesquisa Científica. São Paulo: Atlas, 2012

SEEGERS, G.; VAN ELDEREN, T. Examining a model of stress reactions of bank

directors. European Journal of Psychological Assessment, v. 12, n. 3, p. 212-223, 1996.

THOMÉ, Irineu. Empresas de Serviços Contábeis: Estrutura e Funcionamento. São Paulo. Editora Atlas 2001.

VELOSO, H. M.; PIMENTA, S. M. Fontes de Pressão e as Novas Configurações do Trabalho: Uma discussão sobre os Modelos de Análise Estresse Ocupacional Frente à Realidade Bancária. EnANPAD, 2004.

VERGARA, S. C. Projetos e relatórios de pesquisa em administração. 3. ed. São Paulo: Atlas, 2000.

VIEIRA, S. S. da C. et. al. Análise do nível de estresse do profissional de Contabilidade. 2012. Disponível em: < htp:/dx.doi.org/10.507/ 2175- 8069.2012v9n18p103>. Acesso em: 04 Nov. 2018.




DOI: https://doi.org/10.14295/idonline.v12i42.1445

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A Id on Line (ISSN: 1981-1179) é indexada nas seguintes bases de dados: