Percepção da População do Centro da Cidade de Juazeiro do Norte sobre a Expansão dos Empreendimentos de Origem Asiática

Maria Luana de Melo, Tharsis de Sá Barreto Diaz Cidália Alencar

Resumo


Evidencia-se ao longo dos relatos históricos a forte imigração asiática para o Brasil ao longo dos anos, motivados pela oportunidade de trabalho, desenvolvendo principalmente atividades voltadas para agricultura em lavouras de café, como também pela motivação de iniciar uma nova vida. Atualmente ainda é notório o fluxo de imigração, principalmente chinesa, para o nosso país, distribuídos por várias regiões do país. Dado o exposto a pesquisa tem como objetivo compreender como a população do centro da cidade enxerga à expansão de empresas de origem asiática na cidade de Juazeiro do Norte. Identificando o que tem ocasionado tal expansão dessas empresas de acordo com a percepção dos mesmos. A pesquisa em questão é de natureza básica, de abordagem quantitativa e trata-se de uma pesquisa de opinião desenvolvida com a população do centro da cidade de Juazeiro do Norte.  De acordo com a percepção dos entrevistados esses empreendimentos de origem asiática estão avançando e crescendo cada vez mais na economia da cidade e isto pode estar diretamente ligado a forma de atuação dessas empresas, ofertando produtos similares aos originais a preços baixos, mas mantendo a qualidade. E tal crescimento pode afetar os empreendimentos locais, que irão sofrer com a forte concorrência desses empreendimentos.


Palavras-chave


Imigrantes asiáticos. Expansão de empreendimentos. Cenário econômico

Texto completo:

PDF

Referências


BOMTEMPO, Denise Cristina; FERREIRA, Elidiane Silva. A china que ninguém vê: migrantes chineses no centro comercial das cidades cearenses. Disponível em:< http://periodicos.uem.br/ojs/index.php/BolGeogr/article/view/33906>. Acesso em: 22 set 2018.

BUSTELO, Santiago; CARIELLO, Tulio; FRAGOSO, Gabriel. Investimentos Chineses no Brasil 2016. Disponível em:< www.cebc.org.br/sites/default/files /investimentoschinesesnobrasil2016_pt.pdf,>. Acesso em: 05 maio 2018.

CAVALCANTE, Tamirys Ferreira. As relações nipo-brasileiras: perspectivas da cooperação em interesses complementares. Disponível em:< http://www.funag.gov.br /ipri/btd/index.php/10-dissertacoes/4608-as-relacoes-nipo-brasileiras-perspectivas-da-cooperacao-em-interesses-complementares>. Acesso em: 01 jul 2018.

COSTA, Juliana. Brasil e Coréia: uma relação em construção. Disponível em:< https://liceu.emnuvens.com.br/LICEU_ON-LINE/article/viewFile/865/675> Acesso em: 01 jul. 2018.

DIAS, Carina Roberta; LEITE, Gislaine de Souza; MORI, Juliana Sampaio. Evolução das relações comerciais entre Brasil e China: Uma análise dos anos 2002 a 2014. Disponível em:< http://www.revistaespacios.com/a16v37n24/16372416.html>. Acesso em: 25 mar. 2018

FARIAS, Anna Carolina Monéia. O que considerar para as relações comerciais Brasil-China em 2018?. Disponível em:< http://www.chinalinktrading.com/blog/relacoes-comerciais-brasil-china-2018/>. Acesso em: 20 mar. 2018.

FREITAS, Ernani Cesar de; PRODANOV, Cleber Cristiano. Metodologia do trabalho científico: métodos e técnicas da pesquisa e do trabalho acadêmico. – 2. ed. – Novo Hamburgo: Feevale, 2013.

G1.GLOBO. Cresce número de pontos comerciais comandados por chineses no Piauí.

Disponível em: < http://g1.globo.com/pi/piaui/noticia/2013/08/cresce-numero-de-pontos-comerciais-comandados-por-chineses-no-piaui.html> Acesso em: 20 jul. 2018.

GAMA, Déborah. Crescimento econômico de Juazeiro do Norte / CE. Disponível em: < http://deborahcorretora.com.br/tag/crescimento-economico-de-juazeiro-do-norte/>. Acesso em: 15 mar. 2018.

GIL, Antonio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. - 6. ed. - São Paulo: Atlas, 2008.

JYE, Chen Tsung; SHYU, David Jye Yuan. Integração cultural dos imigrantes chineses no Brasil. Disponível em: < https://www.revistas.usp.br/reo/article/view/90748,>. Acesso em: 05 maio 2018.

LEAL, Luciana Nunes. Censo 2010: população asiática no Brasil cresceu 177% em dez anos. Disponível em:< https://brasil.estadao.com.br/noticias/geral,censo-2010-populacao-asiatica-no-brasil-cresceu-177-em-dez-anos,748616> Acesso em: 22 set. 2018.

MASIERO, Gilmar; OLIVEIRA, Henrique Altemani de. Estudos Asiáticos no Brasil: contexto e desafios. Disponível em:. Acesso em 23 mar. 2018.

MINISTÉRIO DAS RELAÇÕES EXTERIORES. Republica da Coreia. Disponível em:< http://www.itamaraty.gov.br/pt-BR/ficha-pais/5051-republica-da-coreia>. Acesso em: 20 jun 2018.

NUNES, Paulo Henrique Faria. As relações brasil-japão e seus reflexos no processo de ocupação do território brasileiro. Disponível em:< http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/geografia/article/viewFile/2618/2281>. Acesso em: 20 jun. 2018.

OLIVEIRA, Henrique Altemani de. Os blocos asiáticos e o relacionamento brasil-ásia. Disponível em:< http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-88392002000100012>. Acesso em: 24 mar. 2018

OLIVEIRA, Marianne Costa; SANTOS, Débora Almeida Nascimento dos. Relação econômica entre Brasil e china no período de 2008 a 2013. Disponível em:< http://www.uesc.br/eventos/ivsemeconomista/anais/gt3-2.pdf>. Acesso em: 19 mar. 2018.

PEREIRA, Ronan Alves. Estudos Asiáticos no Brasil. Disponível em: < www.repositorio.unb.br/bitstream/10482/1591/.../CAPÍTULO_EstudosAsiaticosBrasil.pdf>. Acesso em: 25 mar. 2018.

SASAKI, Elisa. A imigração para o Japão. Disponível em: . Acesso em: 23 Abr. 2018 > Acesso em: 28 abr. 2018

SOUSA, Gerson dias de. Um negócio da china: A Dinâmica do Comércio no Centro de Teresina a Partir da Presença dos Chineses. Disponível em:< http://www.eng2016.agb.org.br/resources/anais/>




DOI: https://doi.org/10.14295/idonline.v12i42.1439

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2021 Maria Luana de Melo, Tharsis de Sá Barreto Diaz Cidália Alencar

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

A ID on line. Revista de psicologia (ISSN: 1981-1179) é indexada nas seguintes bases de dados: