A Gestão da Cadeia de Suprimentos e o Nível de Inovação: Estudo de Caso nas Indústrias de Calçados na Cidade de Juazeiro do Norte - Ceará

José de Figueiredo Belém, José Eduardo de Carvalho Lima, josiano Cesar de Sousa, Murilo Barros Alves

Resumo


O objetivo deste artigo é analisar os fatores essenciais da gestão da inovação em empresas do ramo de fabricação de calçados na cidade de Juazeiro do Norte – Ceará. A principal técnica de pesquisa foi entrevistas semi-estruturadas com gestores das empresas pesquisadas. No estudo foi desenvolvido um quadro teórico para as práticas de inovação em indústrias, formado por dois tipos: Inovação de produtos e inovação de processos. O estudo investiga esses dois tipos de inovação em três grandes empresas que atuam em forma de clusters e concorrem no mesmo mercado. É abordado o tema dos modelos de inovação e sua evolução ao longo do tempo, seus diversos estágios, sequências, interfaces, interações e interferências nas empresas e sistema de Gestão da Cadeia de Suprimentos. Observou-se durante a investigação a falta de adequação dos processos em alguns requisites importantes e consequentemente os produtos não atendem aos requisitos essenciais de inovação, tornando-se necessário que as empresas se aprofundem nos conhecimentos sobre a inovação e os apliquem corretamente a seus negócios, com o propósito de aumentar a competitividade e maximizar seus resultados.

 

 


Palavras-chave


Inovação, Gestão, Cadeia de suprimentos

Texto completo:

PDF

Referências


Abdulmalek, F, Rajgopal, J: (2007).Analisando os benefícios de fabricação magra e mapeamento de fluxo de valor por meio de simulação: Um estudo de caso setor processo. Jornal Internacional de Produção Economia 107, 223-236.

Achanga, P., Shahab, E., Roy, R., Nelder, G: (2006). Fatores críticos de sucesso para implementação lean nas PME. Journal of Manufacturing Tecnology Gestão 17 (4), 460-471

Baskerville, R. L. Wood-Harper, A. T. A critical perspective on action research as a method for information systems research. Journal of Information Technology, v. 11, n. 3, p. 235-246, set. 1996.

Betz, F. (1997). Managing Technological Innovation: competitive advantage from change. New York: A. Wiley -Interscince Publication.

Boer, Cr, Dulio, S: (2007). Personalização de massa e calçado: Mito, salvação ou Realidade. Springer, Heidelberg.

Braglia, M., Carmignani, G., Zammori, F: (2006). A nova abordagem de mapeamento de fluxo de valor de sistemas de produção complexas. International Journal of Production Research 44 (18-19), 3929-3952.

Carpanzano, E., Cataldo, E: (2003). Um design modular e Verificação Baseada em Simulação do Código Logic Control para uma sapata de Agile Manufacturing System: Proc. Industrial Conference Simulação, ISC 2003, a EUROSIS, Valência, Espanha, 09-11 junho (2003).

Campos, E. M. (2016). Os Dois Lados da Moeda: A sobrevivência e mortalidade dos Negócios. EDITORA IFPB. João Pessoa.

Cattani, K.; Gilland, W.; Heese, H. S. (2006). Pricing strategies for a manufacturer adding a direct channel that competes with the traditional channel. Production and Operations Management, v. 15, n. 1, p. 40-56.

Cooper, R. G.(2001) Winning at new products. Accelerating the process from idea to launch.3th ed. Addison : Wesley Publishing Company.

Damanpour, F. (1991). Inovação organizacional: uma meta-análise dos efeitos dos determinantes e moderadores. Academy of Management Journal. v. 34, n. 3, p. 555-590.

Drucker, P. F. (1974). O Gerente Eficaz. Editora Zahar.

Fajnzylber, F. (1998). Competitividad Internacional: evolucion e lecciones. Revista de la Cepal..

Freeman, C; Soete, L. (1997). Economics of Industrial Innovation. ED. Routledge, 3ª edição.

Galbraith , J. R.; Lawler, (1995). E. Organizando para competir no futuro -Estratégias para gerenciar o futuro das organizações. São Paulo : Makron Books.

Grant, R. M. (1988) Contemporary strategy analysis. 3th ed. Malden : Blackwell.

Gunasekaran, R: (1999). Agile Manufacturing: uma estrutura para pesquisa e desenvolvimento. Jornal Internacional de Produção Economics 62, 87-105.

Jones, Dt, Hines, P., Rich, N: (1997). “logística lean”. Jornal Internacional de Distribuição Física e Gestão Logística 27 (3/4), 153-173.

Jovane, F., Westkämper, E., Williams, D: (2008). O Manufuture Estrada: para Competitivo e Sustentável de alta Adicionando-Value Manufacturing. Springer, Heidelberg.

Kaplan, B.; Duchon. D. (1998). Combining quantitative and qualitative methods in informations systems research: a case study. Mis Quarterly.

Klaesener, D; Appio, J. Importância da atividade importadora. Disponível: < http://revistas.utfpr.edu.br/pb/index.php/SysScy/article/view/266>. Acesso em: 15.08.2017

Kotler, P.; Keller. K.L.(2006). Administração de marketing .12ª edição. São Paulo: Pearson Prentice Hall.

Paroline, C.; Visconti, F. Footwear manufacturing districts: the effects of internazionalisation, delocalization and new technologies. Paper apresentado na onferência Clusters, Industrial Districts and Firms: the Challenge of Globalization, Università degli Studi di Modena e Reggio Emilia, set. 2003. Disponível em: . Acesso m: 21.08.2017.

Pennings, (1998). Innovations JM como precursores de desempenho organizacional. Em: Galliers, R.; BAETS, WRJ (Org.). tecnologia da informação e transformação organizacional: inovação para a organização do século 21. New York: Wiley.

Prahalad, C. K.; Ramaswamy, V. (2004). O futuro da competição: como desenvolver diferenciais inovadores em parceria com os clientes. Rio de Janeiro: Elsevier.

Rogers, E. M. (2003). Diffusion of Innovation 5ª edição. Nova Iorque: Free Press.

Rother, M., Shook, J: (2003). Aprendendo a ver: Value Stream Mapping para agregar valor e eliminar desperdícios. O Instituto Lean Enterprise.

Rothwell, R. (1994). Para o processo de inovação de quinta geração. Ciência Policy Research, v. 1, n. 1, p. 7-31.

Salomon, D. V. (1999(. Como fazer monografia 9. ed. São Paulo: Martins Fontes.

Scaletzky, C. (2008). Pesquisa aplicada/pesquisa acadêmica: O caso Sander. In: Congresso Brasileiro de Pesquisa e Desenvolvimento em Design. São Paulo: Centro Universitário Senac.

Schmitz, E. (2000). Fundamentos da Didática. 7ª Ed. São Leopoldo, RS: Editora Unisinos.

Schumpeter, J. (1942). Capitalismo, socialismo e democracia. Rio de Janeiro: Fundo de Cultura, 1961 . 1ª edição.

Schumpeter, J, (1984). “Towards a strategic theory of the firm”, in Lamb, R.B. (org.), Competitive Strategic Management, Englewood Cliffs, NJ: Prentice Hall.

Setht, D., Gupta, V: (2005). Aplicação de mapeamento de fluxo de valor de operações magras e redução do tempo de ciclo: um estudo de caso Indiana. Prodution Planeamento e Controlo 16 (I), 44-59.

Sharifi, H., Colquhoun, G., Barclay, I., Dann, Z: (2001). Agile fabricação: a gestão e enquadramento operacional. In: Anais do Institution of Mechanical Engineers, vol. 215-B, pp. 857-869.

SEBRAE - Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas, (2016). Comece Certo a Indústria de Calçados. 2016.

SINDINDÚSTRIA - Sindicato das Indústrias de Calçados e Vestuários de Juazeiro do Norte – Ceará. Informativo Bimestral - 02/2017.

Tidd, J.; Bessant, J.; Pavitt, K. (2008). Gestão da Inovação. 3ª edição. São Paulo: Bookman.

Tidd, J .; Bessant, J .; Pavitt, K. (2005). Gestão da inovação: integração tecnológica, de mercado e mudança organizacional. New York: John Wiley & Sons.

Westkamper, E. (2007). Desenvolvimento Estratégico de fábricas sob a influência de tecnologias emergentes. Anais da CIRP 56-1, 419-4225.

Yin, R. K. (2005). Estudo de caso: planejamento e métodos. 3º edição. Porto Alegre: Bookman 2005.




DOI: https://doi.org/10.14295/idonline.v12i42.1407

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A Id on Line (ISSN: 1981-1179) é indexada nas seguintes bases de dados: