Diagnóstico da Esclerose Múltipla por Imagem

Nicole Blanco Bernardes, Thainá Desiree Franco dos Reis, Odila Rigolin de Sá, Ana Cristina Fonseca de Sá, Raissa de Moura Costa, Marina Alves Damasceno

Resumo


A Esclerose Múltipla (EM) é conhecida como uma doença autoimune, desmielinizante e inflamatória da qual não possui cura podendo atingir pessoas entre 20 - 40 anos de idade sendo mais frequente em mulheres e pessoas da raça branca. Ela se apresenta de quatro formas clínicas podendo ser recorrente remitente, primária progressiva, secundária progressiva e progressiva recorrente das quais serão abordadas com mais detalhes na introdução deste. O presente trabalho irá abordar através de revisão literária os sintomas da EM como perda da atividade motora, fadiga, tonturas, entre outras; irá apresentar o diagnóstico por imagem, enfatizando como o diagnóstico da EM através da Ressonância Magnética (RM) é crucial para a descoberta precoce da doença, quais os critérios exigidos para a realização do exame e o porquê deste exame ser considerado um padrão- ouro para diagnóstico da EM, mostrará ainda quais são os tratamentos disponíveis e quais são os mais indicados e utilizados para o tratamento da doença como, por exemplo, o interferon-beta e o acetato de glatirâmer.

 

 


Palavras-chave


esclerose múltipla; sintomas; diagnóstico; tratamento; ressonância magnética

Texto completo:

PDF

Referências


ADONI, T. Aspectos clínicos sobre o uso da vitamina D em pacientes com esclerose múltipla. LAMSJ, v. 1, n. 3, 2012. Disponível em: . Acesso em: 10 set 2014.

ALI, E. N.; BUCKLE, G. J. Neuroimaging in multiple sclerosis.NeurolClin 2009; 27: 203-19, ix.

ALLEN, F. L. et al. Indirect treament comparison analysis of therapies that are often considered for treament - experienced patients whit relapsing-remiting multiple sclerosis. Valuc in Health. 2012;15(4):A141.

ALMEIDA, L. H. R. B. et al. Conhecimento dos profissionais da saúde sobre esclerose múltipla.ActaScientarium, 33(2), 2011.

BOURTON, J.M. Oral vesus intravenous steroides for treament in multiple sclerosis.Cochrane DatabaseRev, 2012; 12:CD006921.

FREITAS, J.O.; AGUIAR, C. R. R. A. Avaliação das funções cognitivas de atenção, memória em pacientes com esclerose múltipla. Psicologia: reflexão e pratica, 2012 , 2:(3)

KAPPOS, L. et al. A placebo controlled trial of oral fingolimod in multiple sclerosis. N Engl J Med. 2010; 362 (5):387-401.

LIMMROTH, V. et al. QUASIMS a worldwide comparative study of the effectiveness and tolerance interferon beta for treament multiple sclerosis. LMASJ, v. 2, n. 3, 2013. Disponível em: . Acesso em: 10 set 2014.

MONTALBAN, X. et al. MRI criteria for MS in pacients with clinically isolated syndromis.Neurology, 2010; 74:427-34.

MOREIRA, S. V.; MOREIRA, M. Neuromusicoterapia em pacientes com esclerose múltipla. LAMSJ, v. 2, n. 4, 2013. Disponível em: . Acesso em: 10 set 2014.

OLIVEIRA, E. M. L.; SOUZA, N. A. Esclerose Múltipla. Rev Neurociências, v. 6, n. 3, 1998. Disponível em: . Acessoem: 10 set 2014.

POLMAN, C. H. et al. Diagnostic criteria for multiple sclerosis: revisions to the MacDonald criteria. Ann Neurol 2011; 69:292-302.

POLMAN, C. H. et al. Diagnostic criteria for multiple sclerosis: revisions to the MacDonald criteria. Ann Neurol. 2009; 58: 840-6.

RIBEIRO, M. K. et al. Interferência da fadiga na qualidade de vida de pacientes com esclerose múltipla. LAMSJ, v. 2, n. 2, 2013. Disponível em: . Acesso em: 10 set 2014.

SCHAFFLER, N. et al. Accuracy of diagnostic tests in multiple sclerosis. Acta Neurologica Scandinavica, 2011; 124:151-64.

TILBERY, C. P. et al. Efeitos adversos no tratamento da esclerose múltipla. RevNeurocienc, v. 2, n. 3, 2009. Disponível em: . Acesso em: 10 set 2014.

UYSAL, E. et al. Sensitivity of immediate and delayed gadolinium - enhanced MRI after injection of 5m of 10m gadolinium chelates for detecting MS lesions. AJR.2007; 188:679-702.

ZINTZARAS, E. et al. Network analysis of randomized controlled trials in multiple sclerosis.ClinTher. 2012; 34(4):857-69. e9.




DOI: https://doi.org/10.14295/idonline.v12i42.1404

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A Id on Line (ISSN: 1981-1179) é indexada nas seguintes bases de dados: