Queima Inadequada de Resíduos Sólidos Domésticos, Principais Gases Tóxicos e Manifestações Clínicas: Uma Revisão de Literatura

Eutrópio Luiz Brandão Júnior, Gabriel Pereira Bernardo, Lorena Pereira Bernardo, Sâmia Israele Braz do Nascimento, Bruna Furtado Rolim Lima, Kimberly Virginin Cruz Correia da Silva, Gabriela Macêdo Egídio Cavalcante

Resumo


Na maioria dos municípios brasileiros, existem depósitos sem nenhum tipo de controle ou cuidado ambiental, chamados de vazadouros a céu aberto – os lixões. Neste cenário, a incineração irregular e as queimadas clandestinas dos resíduos sólidos domésticos produzem gases ricos em substâncias potencialmente tóxicas. Esta revisão buscou na literatura os principais gases tóxicos e suas manifestações clínicas associadas. Após a combustão dos resíduos domésticos, uma grande quantidade de gases e partículas sólidas são liberados na atmosfera, a exemplo do monóxido de carbono (CO), metano (CH4), hidrocarbonetos leves, compostos orgânicos voláteis (COV), orgânicos semi-voláteis (COSV), hidrocarbonetos aromáticos policíclicos (HAP), chumbo (Pb), mercúrio (Hg), dibenzenodioxinas-policlorados (PCDDs), dibenzofuranos-policlorados (PCDFs) e os bifenilos-policlorados (PCBs). Tais componentes estão associados a algumas manifestações clínicas respiratórias, reprodutivas e oncogênicas com elevado impacto na saúde da população. Dessa forma, para entender os efeitos diretos e indiretos do destino inadequado dos resíduos sólidos e suas consequências é imprescindível mais investimentos e projetos para criação de aterros sanitários controlados e mais estudos relacionados à temática.

 

 


Palavras-chave


Queima. Gases Tóxicos. Resíduo Sólido Doméstico

Texto completo:

PDF

Referências


ALENCAR JÚNIOR, N. R., GABAÍ, I. Incineração e dioxinas: Análise do aporte teórico disponível. Encontro Nacional de Engenharia de Produção. Salvador, BA, 2001.

ASSUNCAO, J. V.; PESQUERO, C. R. Dioxinas e furanos: origens e riscos. Rev. Saúde Pública, São Paulo, v. 33, n. 5, p. 523-530, Out. 1999.

BROWNER, C. M. The epa’s environmental justice strategy. 1995. Disponível em: < https://www.epa.gov/sites/production/files/2015-02/documents/ej_strategy_1995.pdf>. Acesso em: 12 out. 2017.

CAIXETA, D. M. Geração de energia elétrica a partir da incineração de lixo urbano: o caso de Campo Grande/MS. Brasília: Universidade de Brasília, Centro de desenvolvimento sustentável, 2005.

CETESB. Relatório da Qualidade do Ar da cidade de São Paulo: 2007. São Paulo, 2007.

COUTINHO, M. et al. Níveis ambientais e biológicos de dioxinas e furanos em Portugal. 1998. (Instituto do Ambiente e Desenvolvimento, Campus Universitário, AVEIRO Departamento de Ambiente e Ordenamento). Disponível em: < https://www.ua.pt/idad/ readobject. aspx?obj=9475 > Acesso em: 15 ago. 2018.

DELORAINEA, A. et al. Case-Control Assessment of the Short-Term Health Effects of an Industrial Toxic Waste Landfill. Environmental Research, v. 68, n. 2, p. 124–132, 1995.

DIAZ, L. F.; SAVAGE, G. M.; EGGERTH, L. L. Managing solid wastes in developing countries. Wastes Management, v. 10, p. 43-45, 1997.

DOLK, H. et al. Risk of congenital anomalies near hazardous-waste landfill sites in Europe: The EUROHAZCON study. Lancet, v. 352, n. 9126, p. 423–427, 1998.

FERREIRA, J. A.; ANTONIO, L. Aspectos de saúde coletiva e ocupacional associados à gestão dos resíduos sólidos municipais Public and occupational health issues related to municipal solid waste management. Cad. Saúde Pública, v. 17, n. 3, p. 689–696, 2001.

FONSECA, J. C. L. Manual para Gerenciamento de Resíduos Perigosos, 2009.

FRANCHINI, M. et al. Health effects of exposure to waste incinerator emissions:a review of epidemiological studies. Annali dell’Istituto superiore di sanità, v. 40, n. 1, p. 101–15, 2004.

GIUSTI, L. A review of waste management practices and their impact on human health. Waste Management, v. 29, n. 8, p. 2227–2239, 2009.

GOLDBERG, M.; AL-HOMSI, N. Incidence of cancer among persons living near a municipal solid waste landfill site in Montreal, QuebecArchives of Environmental Health, 1995.

GOUVEIA, N. Resíduos sólidos urbanos: impactos socioambientais e perspectiva de manejo sustentável com inclusão social. Ciência & Saúde Coletiva, v. 17, n. 6, p. 1503–1510, 2012.

GRANDJEAN, P.; LANDRIGAN, P. J. Neurobehavioural effects of developmental toxicity. Lancet, v. 13, n. 3, p. 330–338, 2014.

INTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE. Diretoria de Pesquisa. Pesquisa Nacional de Saneamento Básico 2008. Rio de Janeiro, 2010.

KOIFMAN, S.; HATAGIMA, A. Exposição aos agrotóxicos e câncer ambiental. É Veneno Ou É Remédio, p. 75–100, 2003.

KRAJEWSKI, J. A et al. Occupational exposure to organic dust associated with municipal waste collection and management. International journal of occupational medicine and environmental health, v. 15, n. 3, p. 289–301, 2002.

NAKAO, T. et al. Formation of toxic chemicals including dioxin-related compounds by combustion from a small home waste incinerator. Chemosphere, v. 62, n. 3, p. 459–468, 2006.

SEIBERT, A. L. A. Importância da gestão de resíduos sólidos urbanos e a conscientização sobre a sustentabilidade para a população em geral. 2014. Monografia (Especialização em Gestão Ambiental) - Universidade Tecnológico Federal do Paraná: Diretoria de Pesquisa e Pós-Graduação.

SILVA, L. C. Gases tóxicos em unidades armazenadoras. Grãos Brasil: da semente ao consumo, v. 3, n. 13, p. 12-15, mar. 2004.

PORTO, M. F. S. Saúde, ambiente e desenvolvimento: reflexões sobre a experiência da COPASAD – Conferência Pan-Americana de Saúde e Ambiente no Contexto do Desenvolvimento Sustentável 1 Health, environment and development : reflections on the COPASAD experience – Pan-A. Ciências & Saúde Coletiva, v. 3, n. 2, p. 33–46, 1998.

US EPA, keep out of reach of children danger: precautionary statement hazards to humans and domestic animals. TIMSEN, 1994.

US EPA. Emissions of Organic Air Toxics from Open Burning. United States Environmental Protection Agency, v. EPA-600/R-, October, 2002.

VERAS, M. M. et al. Air pollution and effects on reproductive-system functions globally with particular emphasis on the brazilian population. Journal of Toxicology and Environmental Health - Part B: Critical Reviews, v. 13, n. 1, p. 1–15, 2010.

WALTER, R.; GOTTLIEB, D. J.; O’CONNOR, G. T. Environmental and Genetic Risk Factors and Gene-Environment Interactions in the Pathogenesis of Chronic Obstructive Lung Disease. Environmental Health Perspectives, v. 108, n. s4, p. 733–742, 2000.

WEVERS, M.; DE FRÉ, R.; DESMEDT, M. Effect of backyard burning on dioxin deposition and air concentrations. Chemosphere, v. 54, n. 9, p. 1351–1356, 2004.

WHO - WORLD HEALTH ORGANIZATION - EUROPE. Population health and waste management: scientific data and policy options. Report of a WHO workshop, Rome, Italy 29-30 March 2007. World Health Organization, March, p. 29–30, 2007.

WHO - WORLD HEALTH ORGANIZATION - Children are not little adults. Children’s Health and the Environment, 2008.




DOI: https://doi.org/10.14295/idonline.v12i42.1356

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A Id on Line (ISSN: 1981-1179) é indexada nas seguintes bases de dados: