Aspectos Farmacoeconômicos do Tratamento da Esquizofrenia no âmbito da Assistência Farmacêutica Especializada

Emanuela Machado Silva Saraiva, Julyane Taisa Barros

Resumo


O Componente Especializado é um programa de acesso a medicamentos na esfera do Sistema Único de Saúde que garante o tratamento medicamentoso através dos Protocolos Clínicos e Diretrizes Terapêuticas, destinados à várias doenças entre elas a esquizofrenia que é uma doença crônica, caracterizada por um transtorno mental, que pode atingir ambos os sexos de idades variáveis, com causa desconhecida. O presente estudo possui natureza descritiva, exploratória, retrospectiva, com abordagem quantitativa. Realizado no Componente Especializado da Assistência Farmacêutica no município de Missão Velha – Ceará por meio de um levantamento de dados referentes a repasses financeiros mensais relativos aos medicamentos antipsicóticos destinados aos pacientes com esquizofrenia cadastrados no referido serviço de saúde, durante o ano de 2015. Os resultados apontaram que o medicamento utilizado no tratamento da esquizofrenia mais oneroso foi a Quetiapina 200mg que totalizou R$21.363,98, seguida da Olanzapina 10mg e 5mg que obtiveram um total de R$13.253,40 e R$11.754,61, respectivamente. A Risperidona 2mg foi o medicamento que menos onerou o montante financeiro, a qual totalizou R$ 210,00 no período considerado pela pesquisa. O custo anual total foi de R$55.867,70 com medicamentos antipsicóticos destinados a atender a demanda de 62 pacientes cadastrados no serviço de saúde. O Componente Especializado da Assistência Farmacêutica é importante pois, garante o acesso do cidadão ao tratamento seguro e eficaz, bem como reduz os custos para o município e para o paciente.


Palavras-chave


Assistência Farmacêutica. Esquizofrenia. Farmacoeconomia. Protocolos.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Resolução nº 466 de dezembro de 2012: Aprovar as seguintes diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. Brasília - DF, 2012.

BRASILa. Portaria SAS/MS Nº 364, de 9 de abril de 2013. Aprova o Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas – Esquizofrenia. Brasília - DF, 2013.

BRASILb. Portaria Nº 1554, de 30 de julho de 2013: Dispõe sobre as regras de financiamento e execução do Componente Especializado da Assistência Farmacêutica no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). Brasília - DF, 2013.

DA SILVA, R.C.B. Esquizofrenia: uma revisão. Psicologia USP, v. 17, n. 4, p. 263-285, 2006.

EPAMINONDAS, F.R. Modelagem do Comportamento para Controle da Esquizofrenia. Goiânia, 2010.

GELDER, M.; MAYOU, R.; COWEN, P. Tratado de Psiquiatria. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan,2006.

PULL, C. Diagnóstico da esquizofrenia: uma revisão. In M. Maj & N. Sartorius (Orgs.), Esquizofrenia (pp. 13-70). Porto Alegre: Artmed.




DOI: https://doi.org/10.14295/idonline.v12i42.1288

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A Id on Line (ISSN: 1981-1179) é indexada nas seguintes bases de dados: