A Inclusão Escolar de alunos com Deficiência no contexto das Escolas de Tempo Integral da Rede Pública

Jacqueline Gomes Herculano de Castro, Edna Xenofonte Leite, Maria Goretti Herculano Silva

Resumo


Esse estudo teve como objetivo desvelar o processo de inclusão de alunos com deficiência, no contexto das Escolas de Tempo Integral da rede pública brasileira. Essa temática tem motivado reflexões e debates relacionados às políticas públicas para a educação, bem como direcionado os olhares e discussões de alguns pesquisadores em seus trabalhos, os quais cita-se, Cavalieri (2002), Mauricio (2009), Glat, Pletsch e Fontes (2006) Mazotta (2005), Mantoan (1997) e Triñanes (2009) dentre outros, que proporcionaram considerações importantes concernentes aos temas. Optou-se pela pesquisa bibliográfica, buscando averiguar relações existentes entre a inclusão escolar e o modelo de Educação em Tempo Integral. Pôde-se constatar através dos relatos de muitos estudiosos dessa área, o descompasso relativo ao que é apresentado em lei e o que efetivamente tem acontecido na realidade escolar. A partir das leituras feitas acerca dos temas, foi possível perceber que não existe uma legislação específica que enquadre o estudante com deficiência nas ETIs. Acredita-se, no entanto, que medidas podem ser tomadas para que esse aluno, que já vive limitado, não seja tratado de forma injusta diante de um sistema educacional que deveria acolhê-lo. Portanto, considera-se que os órgãos cabíveis do Governo Federal, precisam com urgência efetuar mudanças para que realmente ocorra inclusão, e não uma exclusão disfarçada.

 

 


Palavras-chave


Educação, Educação em Tempo Integral, Inclusão escolar

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL, Ministério da Educação, (1997). Parâmetros Curriculares Nacionais para o Ensino Fundamental. Brasília, MEC/SEF.

BRASIL, Lei nº 9.394/96, Diretrizes e Bases da Educação Nacional, aprovada na Câmara Federal em 17/12/96 e sancionada pelo Presidente da República em 20/12/96, Brasília, 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L9394.htm. Acesso em: 06/02/2018.

BRASIL, Orientações para implementação da Política de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Básica. Resolução n. 4, de 2 de outubro de 2009. Institui Diretrizes Operacionais para o Atendimento Educacional Especializado na Educação Básica, modalidade Educação Especial. Brasília, DF, 2009.

BRASIL.[Plano Nacional de Educação (PNE)]. Plano Nacional de Educação 2014-2024 [recurso eletrônico]: Lei n° 13.005, de 26 de junho de 2014, que aprova o Plano Nacional de Educação (PNE) e dá outras providências – Brasília: Câmara dos Deputados, Edições Câmara, 2014.

CARVALHO, Rosita Edler. A nova LDB e a Educação Especial. 3ª edição. Rio de Janeiro: WVA, 1997.

CAVALIERE, Ana Maria Vilella. Educação integral: uma nova identidade para a escola brasileira? Educação e Sociedade. Campinas, v. 23, n.81. 2002.

CAVALIERI, Ana Maria Vilella. Escolas de tempo integral versus alunos de tempo integral. Em Aberto, 2009.

CAVALIERI, Ana Maria Vilella: Currículo sem Fronteiras, v. 15, n. 2, p. 527-542, maio/ago. 2015.

DECLARAÇÃO DE SALAMANCA: Sobre Princípios, Políticas e Práticas na Área das Necessidades Educativas Especiais, 1994, Salamanca-Espanha.

GALLO, Silvio. A educação integral numa perspectiva anarquista. COELHO, Lígia Martha Coimbra da Costa e CAVALIERE, Ana Maria Vilella (Orgs.). Educação Brasileira em Tempo Integral. Petrópolis: Vozes, 2002.

GLAT, R; PLETSCH, M. D; FONTES, R. S. Uma Breve Reflexão sobre o Papel da Educação Especial Frente ao Processo de Inclusão de Pessoas com Necessidades Educacionais Especiais em Rede Regular de Ensino. Cadernos de Educação 6: Inclusão Social Desafios de uma Educação Cidadã. Rio de Janeiro: UNIGRANRIO Editora, 2006.

GLAT, R; FERNANDES, E. M. Da educação segregada à educação inclusiva: uma breve reflexão sobre os paradigmas educacionais no contexto da educação especial brasileira - Revista Inclusão, Universidade do estado do Rio de Janeiro. 2005.

GONÇALVES, Antônio Sérgio. Reflexões sobre educação integral e escola de tempo integral. Cadernos Cenpec, n.2, 2006.

KASSAR, M. de C. M. Deficiência Múltipla e Educação no Brasil: Discurso e Silencia na História de Sujeitos. São Paulo: Autores Associados, 1999.

KUENZER, A. no prelo. Exclusão includente e inclusão excludente: a nova forma de dualidade estrutural que objetiva as novas relações entre educação e trabalho. In: Anais do V Seminário Nacional de Estudos e Pesquisas – HISTEDBR, Campinas,UNICAMP, 2002.

LEITE, Michele de Mendonça. Educação Escolar da pessoa com deficiência e/ou necessidades especiais na escola de tempo integral. 2017. 197 f. Dissertação (Mestrado em Educação)- Faculdade de Educação da Universidade Federal de Goiás, 2017.

LOMBARDI, J.C. Reflexões sobre educação e ensino na obra de Marx e Engels. Campinas, SP: Tese (livre docência) – Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação, [s.n.], 2010.

MANTOAN, M. T. E. Ser ou Estar - Eis a Questão - Explicando o Déficit Intelectual. Rio de Janeiro: WVA, 1997.

MAZZOTTA. M. J. S. Educação Especial no Brasil: História e Políticas Públicas. São Paulo: Editora Cortez, 2005.

MAURÍCIO, Lúcia Velloso. Escritos, representações e pressupostos da escola pública de horário integral. Revista Em Aberto. V.22, n.80. Brasília, 2009.

MÉSZÁROS, I. O poder da ideologia. São Paulo: Boitempo editorial, 2004

MÉSZÁROS, István. O desafio e o fardo do tempo presente. São Paulo: Boitempo, 2007. Cap. 8. 396p.

MONTEIRO, Ana Maria. Ciep – escola de formação de professores. Revista Em Aberto. V.22, n.80. Brasília. p. 35-49, abr. 2009.

PLETSCH, M. D. Repensando a inclusão escolar de pessoas com deficiência mental: Diretrizes Políticas, Currículo e Práticas Pedagógicas. Tese (Doutorado em Educação) – UERJ, Rio de Janeiro, 2009.

REIS, Anderson de Araújo; MOTA, Paloma Marcelino; JESUS. Lei Brasileira de Inclusão N° 13.146/2015: In: 10º Encontro Internacional de Formação de professores. 2017, Aracajú-Sergipe. Disponível em: . Acesso em: 10 fev. 2017.

RIBEIRO, L. T. F. Questões Atuais sobre a Reforma Curricular. In: RIBEIRO, L. T. F; PATRÍCIO RIBEIRO, M. A. Temas Educacionais: Uma Coletânea de Artigos, Fortaleza: Coleção Diálogos Intempestivos, Edições UFC, 2010.

SANTOS, Fabrício Tineo. Educação de período integral e inclusão: Representações sociais do programa superescola. Pesquisa em Pós-graduação – Série Educação - nº 9, 2013.

SOUSA, Gustavo José Albino; SANTO,Nathalia Cortes do Espirito; BERNARDO, Elisangela da Silva. A sexta meta do PNE 2014-2024: Um diálogo possível em busca de uma Educação Integral e(m) Tempo Integral. Eccos; São Paulo (May-Aug 2015): 143-160.

SILVA, Bruno Adriano Rodrigues. Diferenças entre as Perspectivas de Educação Integral em Anísio Teixeira e no Programa Mais Educação. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, nº 61, p. 202-218, mar2015.

SOUSA, Gustavo José Albino; SANTO,Nathalia Cortes do Espirito; BERNARDO, Elisangela da Silva. A sexta meta do PNE 2014-2024: Um diálogo possível em busca de uma Educação Integral e(m) Tempo Integral. Eccos; São Paulo (May-Aug 2015): 143-160.

TEIXEIRA. A. S. Educação não é privilégio. 5. ed. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 1994.

TRIÑANES, Maria Terêsa R. Nós sem nós: alunos com deficiência visual na escola de tempo integral. 2009. 149 fl. Dissertação (Mestrado em Educação). Programa de Pós-Graduação em Educação da Pontifícia Universidade Católica de Campinas. Campinas, 2009.




DOI: https://doi.org/10.14295/idonline.v12i41.1276

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A Id on Line (ISSN: 1981-1179) é indexada nas seguintes bases de dados: